Quarta-feira, 22 de Julho de 2009

Sou sincera

Rita Ferro

 

Como se resiste a uma «mulher-mulher»?

 

Bell, numa cedência ao consumo

 

 Ainda sem papéis de relevo, Lake Bell é, na minha opinião,

uma das actrizes mais giras da actualidade.

Porquê? Talvez por ser de carne e osso e não de celulóide,

ser graficamente dotada, ter charme – que não se compra nem se opera - 

e uma voz irresistível.

Além disso, é feliz, espontânea e luminosa como uma miúda

e diabolicamente tentadora como toda a fêmea. 

A beleza corrompe?

A leveza pode ser um afrodisíaco?

O desejo ensina o que o homem ainda é?

Não, não vamos discutir isso,

mas responder com a isenção possível

a esta pergunta tão ociosa quanto gasta, irritante, pequeno-burguesa:

 

Haverá hipótese de alguma mulher,

 mesmo de qualidade,

estar sossegada com um exemplar destes

 rondando o seu homem?

 

1. Bell, entrando no Letterman

 

2. Bell, naturalmente em entrevista


 

 

Etiquetas:
publicado por Ana Vidal às 07:30
link do post
191 comentários:
De Luísa a 22 de Julho de 2009 às 15:31
Querida Rita, falando unicamente por mim, confesso-lhe que não fico muito preocupada. Este tipo de mulheres atrai tanto os olhos, quanto intimida os espíritos dos homens com quem me sei compatível. Enfrentar estas «divindades pagãs» implica de um homem, ou excesso de segurança pessoal – e portanto pouca «auto-consciência» – ou machismo coleccionador, atributos que também podem atrair-me os olhos, mas intimidam o espírito. Os homens que escolho ou poderia escolher prefeririam sempre o mundo real das coisas simples e acessíveis. ;-D
De rita ferro a 22 de Julho de 2009 às 18:05
Provocação ao seu sentido de humor: vc fará parte desse mundo de coisas simples e acessíveis, Luísa???
De Luísa a 22 de Julho de 2009 às 18:27
Rita!!! Como pode duvidar?!!!!!
;-D
De rita ferro a 22 de Julho de 2009 às 18:47
Explico a minha perversão, Luísa, com base na ambiguidade do português: é que você, pelo que conheço e vou cada vez mais conhecendo - pela inteligência, sofisticação, cultura, subtileza - será tudo o que existe de mais oposto ao que considero «simples e acessível». Percebeu agora?
De mike a 22 de Julho de 2009 às 19:30
Rita, a Luísa percebeu logo no início, só que tenta manipular-nos, entendes? ;)
De rita ferro a 22 de Julho de 2009 às 20:26
Achas? Tu és um misógino, já percebi! Ó Ana, olha ele...
De Luísa a 22 de Julho de 2009 às 20:45
O Mike tem razão, Rita. Eu tento manipular, mas sou logo VILMENTE denunciada. Quanto aos factores da minha pretensa complexidade – que encontro por aqui, na Porta e nos seus comentadores, em doses bem mais generosas do que as que me couberam (mas obrigada, Rita, por mos atribuir também) – acho que são eles, precisamente, que tornam as coisas simples e acessíveis. Não há para mim nada de mais misterioso, complexo, inacessível, desconcertante (e, finalmente, decepcionante) do que a combinação da beleza com a estupidez. :-D
De Luísa a 22 de Julho de 2009 às 20:56
Nota: Não estou a insinuar que a nossa Lake Bell seja estúpida, Rita, nada disso. Apenas querer dizer que acho geralmente mais simples e acessíveis as pessoas inteligentes do que as pessoas menos inteligentes. :-)
De rita ferro a 22 de Julho de 2009 às 23:55
Não posso concordar consigo neste ponto, Luísa, mas, como me disse na semana passada, esta conversa não teria fim. Diga o dia, o local e a hora :-))
De mike a 23 de Julho de 2009 às 13:48
Eu concordo com as duas senhoras: ela é estupidamente bela. (muitos risos)
De Luísa a 23 de Julho de 2009 às 21:57
Mike, o «compatível» cá de casa concorda consigo. :-(((((
De meunikaki a 22 de Julho de 2009 às 15:39
Não vi os trailers ou os videos ou lá que se chame àquilo :-( ; devo ter isto meio avariado, mas li os comentários.
Não há receitas únicas, como se vê dos comentários, mas por alguma razão quem tenha mais de 40/45 anos (por exemplo, não se abespinhem), homem ou mulher, não está necessariamente sózinho(a), o que quer dizer que seja a Bell (ferro e) fogo, isso não é suficiente, como não o é ser inteligente, natural, madura e o mais que possa transparecer dos videos que não vi. Há um cocktail que faz de cada homem ou mulher um ser diferente e apetecível (também intelectualmente) para outro; a arte está em mantermo-nos apetecíveis toda a nossa vida para quem nos apetece e vice versa que "ou há moralidade ou comem todos"
De Anónima a 22 de Julho de 2009 às 16:57
That's my man!
De rita ferro a 22 de Julho de 2009 às 18:13
Acho sempre muito graça aqui ao Seunick que, de tão espontâneo e sincero, diz sempre coisas que divertem. Hoje, por exemplo, foi dar uma idade para se estar mais acompanhado do que sozinho e se isso fosse assim, científico, toda a gente queria chegar aos quarenta :-)) Na «arte de nos mantermos apetecíveis toda a vida» já me identifico e recomendo, mas o problema é o talento, não é? Nem todos nascem com vocação e fica assim, tantas vezes, a relação desequilibrada...
De Ana Vidal a 23 de Julho de 2009 às 02:14
Não foi isso que eu li nas palavras do nosso Poliss: o que acho que ele quer dizer é que, se só as e os Bell's desta vida fossem apetecíveis, a partir de uma certa idade deixaríamos de estar acompanhados por falta de parceiros apetecíveis, o que não é de todo verdade. Interpretei bem, seunick?
De rita ferro a 24 de Julho de 2009 às 11:23
Porque é que o Poliss não responde, Ana? Tem desprezo por sermos pobres?
De João Paulo Cardoso a 22 de Julho de 2009 às 15:41
Nem parece meu (eterno prospector de perigosas curvas femininas) mas ainda não sei muito bem quem é a Lake Bell e assim, até prova em contrário (que bem poderia ser uma expressão para levar à letra), prefiro ainda outros Lakes deste mundo.
Como o de Loch Ness, onde dizem ter visto a Maddie.

De qualquer forma, não ficando de forma alguma indiferente à sensualidade arrasadora das mulheres fatais, paulatinamente tenho vindo a direccionar os meus gostos para um outro tipo de mulher, meigo, plácido, onde se adivinhe mais do que um parque de diversões, um porto de abrigo.

Devem ser carências afectivas, sem razão de ser, ou talvez seja a proximidade dos 40, but anyway, penso que a Zooey Deschanel (como assim "quem é essa?!") é um bom exemplo.

Para si Rita, e para todos os leitores do "Porta", sugiro uma visita ao "Eldorado",

(http://oeldorado.blogspot.com)

onde hoje mesmo foi publicado o "Grande Dicionário de Setubalense", com recolha de expressões que se ouvem nesta cidade à beira Sado.
É quase um dialecto!!!

Beijos para si e, já agora, também para a Lake Bell :)
De rita ferro a 22 de Julho de 2009 às 18:18
Olha o João Paulo, caro colega! Aqui, do meu observatório vigilante contra os abusos praticados contra a condição feminina, LOL, vou assumir que ao afirmar-se «eterno prospector das perigosas curvas femininas» estará a referir-se, metaforicamente, ao enigma da mulher, muito mais do que ao seu formato anatómico. Engano-me?
De rocha a 22 de Julho de 2009 às 16:08
Rita Querida
Esta tua 4º feira seja ele qual tema postado tem em 1º lugar uma característica ......uma "catarse" no universo feminino !!!!!!!
Há ainda umas que não acabaram o post de há 2 semanas Rita ...tens dado conta???? É muito engraçado..... Há umas Perplexas ; outras atónitas , outros abespinhados.....e eu aqui estou embasbacada porque na verdade´não me param de surpreender...Que bom...é bom sinal..não estamos blasés...se calhar estou sei lá!!!! Bom mas o que traz aqui hoje é esta beleza que acompanho no mais hilariante e inteligente dos seriados nas Foxes ..O Boston Legal. Pois que lhe digo eu?? se o meu " macho" olhasse para tal Estampa com ar de guloso teria seguramente muito bom gosto . Primeiro porque estava comigo e me tinha escolhido em primeirissimo lugar e em segundo porque a fantasia nunca fez mal a nenhuma relação ...antes pelo contrário.
Beijos vaidosos
Rock and honey
De rita ferro a 22 de Julho de 2009 às 18:21
Ora aí está, Rocha, uma maneira airosa e desportiva de reagir à concorrência! Estando ela looooonge, claro. Em Los Angeles :-))
De Raúl Mesquita a 22 de Julho de 2009 às 16:41
Querida Rita:

1ª situação: Para as feministas, esta mulher é uma boa justificação da sua filosofia.

2ª situação: vi a câmara lenta a desenhar as formas da entrevistada e ouvi as palavras inócuas de uma mulher muito estúpida. Contei 16 likes " (correspondente ao português actual -" tipo..."), o suficiente para, na Costa Leste, se ser banido de qualquer bonne société É considerado ou atraso mental, ou sinónimo de ser ter andado numa escola estadual e de subúrbio. Também contei quatro cools " (se calhar há mais), o que é considerado na mesma Costa Leste como "not the thing to say." E mais não digo: deixo ao sexo feminino, que me ler, o prazer de interiorizar as minhas palavras. E esta Bell é muito artificial. Se há gente com gosto para tudo, há, mas compreendo o que a Luísa disse.

Bjs,

Raúl.

De rita ferro a 22 de Julho de 2009 às 18:23
E a Marilyn?
De Raúl Mesquita a 22 de Julho de 2009 às 19:13
A Marilyn , Rita, parecia-me mais inteligente, logo, também mais bonita e mais atraente. Se fazia de estúpida era porque os papéis que lhe davam o exigiam, ainda mais difícil! sim essa era um perigo para as outras mulheres, esta? Esta é mais uma de plástico , aquele sorriso então, muito forçado! A Marilyn era muito sofisticada, esta é nitidamente falsa, são coisas diferentes , julgo. Raúl.
De rita ferro a 22 de Julho de 2009 às 19:24
Não sei não, Raúl: lembro-me sempre do Robert Mitchum, que a conheceu bem, a dizer ao meu pai, num dos festivais de cinema de Tróia, que ela era afugentadoramente burra. E há outra coisa que podes estar a confundir, Raúl, e que é frequente: incultura com estupidez. A Bell pode ser estereotipada, não sei, não a conheço, mas, ao contrário da Marilyn, que até no sorriso - essa, sim - era artificial, não parece burra, mas viva, sensível, consistente, com humor e instinto. E desde quando, lá está, o desejo se prende com a inteligência? Pode ser politicamente incorrecta esta minha deixa agora, nesta altura do campeonato, mas a inteligência pode ser uma arma para «conservar» mas nunca foi absolutamente necessária para «encantar». E as marilyns deste mundo são de novo exemplo... Até tu, Raúl, tens de concordar neste ponto :-))
De Anónimo a 22 de Julho de 2009 às 17:27
Olá Rita

Quando li acudiram-me algumas coisas à cabeça:
- O que é isso do meu homem? O meu marido, namorado, companheiro, etc. não me pertence, é dele próprio. Achar uma brasa a Bell é natural, até você acha. O que não quer dizer que se perca por ela. Coitado se se perder porque as relações a dois são tramadas e deixar-se apanhar pelo isco não é bom começo.
- Se ele fosse atrás da Bell e me deixasse, eu era capaz de ficar feita num oito mas depois, à distância, iria achar que ele não era o tipo certo.
Mas isto é a minha visão das coisas
Beijos
Luísa Beltrão
De rita ferro a 22 de Julho de 2009 às 18:35
Não se prenda, Luísa, é forma de falar em sociedade monogâmica - o «seu» namorado, marido, noivo, companheiro - se disse «seu homem» foi apenas para englobar todos esses registos! Sei que ninguém é de ninguém, mas também - não nos iludemos - que uma das emoções fortes de toda a união amorosa é o sentimento de exclusividade e de pertença - ainda que ilusório ou mesmo patético. Quanto à troca, enfim: não estamos a falar de troca, nem mesmo de preterição, pois isso levava-nos para outras questões mais radicais, mas ainda nos territórios permanentemente ameaçados, se quiser, e das inseguranças que isso pode causar no outro. É um assunto pimba e cor-de-rosa, talvez, mas responsável pela destruição de casas e de famílias laboriosamente construídas...

De ZPQ a 22 de Julho de 2009 às 17:29
Caros e Caríssimas,

Que discussão interessante, entre as nossas musas portuguesas... concordo com os outros caríssimos, a Bell apeasr de ser físicamente "belíssima", passa o trocadilho, tem um não sei quê de grosseiro... prefiro muito mais uma Catarina Zeta Jones, ou mesmo uma Elizabeth Hurley e no burgo português existem tantas e tão vossas conhecidas , que não vou nomear nenhuma... mas de facto, uma pintura de um cachimbo, não é um cachimbo e assim, uma fotografia da Bell, não é o mesmo que a Bell ao vivo em carne e osso e aí, a quimica fala mais alto ou mais baixo, rasteira e irresistivel ou simplesmente não fala... Mas a Bell da fotografia, o narizinho é muito pouco fino e o sorriso abertão, faz-me lembrar uma não sei quantas mocetoila do campo...Boas Férias ZPQ
De rita ferro a 22 de Julho de 2009 às 18:44
Zpq, desculpe se fui eu que o baralhei com este post equívoco, mas a questão aqui não é bem a da especificidade física do corpo ou das feições desta actriz em particular, mas talvez a instabilidade que pode causar viver-se hoje rodeado de réplicas da Bell nos nossos cenários domésticos e quotidianos, em todo o lado onde poisemos a vista - na praia, no supermercado, nas amigas dos nossos filhos ou ao balcão de uma loja - e na solidez e substância que as relações têm de ter para resistir a esse assobio constante.
De Patricia da Cunha a 22 de Julho de 2009 às 18:58
Sossegadissíma
Bjs
Paricia
De rita ferro a 22 de Julho de 2009 às 19:06
Happy you!
De mike a 22 de Julho de 2009 às 19:22
Rita, sou sincero... não se resiste a uma mulher-mulher, só que esta Bell, apesar de ser um pedaço de mau caminho, não me desencaminhava. Bem sei que os olhos também comem, só que quando assim é (apenas) o estômago fica a ronronar com fome. A moça é gira, fotogénica, com um corpo fantástico mas não é uma mulher-mulher. Faltam-lhe quilos, falta-lhe carne (então nas coxas nem se fala), há demasiados ossos à vista (imagino que os coldres sejam salientes, o que é aborrecido e desconfortável), não tem pegas e o espaço para amar é estreito. Como vês, eu resistia e não cedia ao consumo. Mulher minha pode ficar sossegada com esta magrela rondando.
Eu cá não troco um bife raspado nouvelle cuisine por um bife à cortador com gordurinha à vista. Feitios... ;)
De rita ferro a 22 de Julho de 2009 às 19:27
Eu contigo não falo, Mike: escolhes mulheres como quem vai ao talho!
De mike a 22 de Julho de 2009 às 19:33
Ora, ora... e vocês escolhem os homens como quem vai à charcuteria. (risos)
De rita ferro a 22 de Julho de 2009 às 20:26
Não é, é mais como quem vai a uma livraria: lemos o título, o sub-título, o lide, o resumo da badana, a contracapa, abre-se umas páginas, lê-se uns bocadinhos ao acaso, folheia-se... espreita-se o fim... e só depois se começa a ler. E devarinho, ouviste? Mas nenhuma de nós compra pelo título, te garanto... (Bom, a Lake Bell, não faço ideia...) LOL
De mike a 22 de Julho de 2009 às 20:50
Pois... entendo-aaa, Ritaaaa... livrariaaaas e livroooos são muito mais glamorosaaaas, chiques, refinadaaaas... hum... pois, está bem... (muitos risos)
De fugidia a 22 de Julho de 2009 às 21:38
Hum...
por acaso, Rita, eu não li nada... aquilo foi assim... como explicar... pois, olhe, fiquei atordoada
De rita ferro a 22 de Julho de 2009 às 23:57
Eu sei, estava a reinar com o MIke :-)) Ou acha que eu intelectualizo o amor??? LOL
De fugidia a 22 de Julho de 2009 às 19:51
cof cof cof cof
(engasguei-me, de tanto rir)

Safa!, é mesmo carniceiro este Mister!
Gordurinha à vista?!
Livra!
De rita ferro a 22 de Julho de 2009 às 20:29
Tu já me viste isto, ó Fugi? «Um pedaço de mau caminho»? Como se lamentasse não ser um mau caminho inteiro? Isto! Anda uma mulher a estudar e a aprimorar-se para isto! Onde é que já se viu?
De fugidia a 22 de Julho de 2009 às 21:34
Tsss, tsss, tsss
Ele que não tenha juízo e fica feito em picadinho...
De mike a 22 de Julho de 2009 às 20:46
Permita-me uma correcção, Fugidia: carnívoro, não carniceiro. ;)
De fugidia a 22 de Julho de 2009 às 21:37
Sei não, Mister;
lendo bem, o que está escrito é que não troca o «bife raspado nouvelle cuisine por um bife à cortador com gordurinha à vista»; ou seja... pois, não à gordura...
De mike a 22 de Julho de 2009 às 21:51
Ups... queria dizer exactamente o contrário. Mas não se faça de sonsa, que já basta a Ana. A menina entendeu perfeitamente, ora! Humprffttt!...
De fugidia a 22 de Julho de 2009 às 22:07
Ora, ora, Mister, eu sou uma anjinha...
De Ana Vidal a 23 de Julho de 2009 às 02:20
Páras de chamar-me sonsa, ó apreciador de mulheres ao quilo?
De rita ferro a 24 de Julho de 2009 às 11:24
Está tão babado com a Bell que já se baralha todo, ó Fugi!
De GJ a 23 de Julho de 2009 às 01:36
Ok Mike, estou de acordo consigo. O que é no mínimo interessante... Tenho estado a ler os comentários e a perguntar-me o pode levar um homem a desejar uma miúda que fala como milhares de adolescentes americanas aos saltos e andam aos saltos e abrem a boca e impressionam porque são treinadas para isso e falam como se não compreendessemos o que querem dizer e só vemos uns dentes lindos e uma cara que exibe todos os esgares que lhe ensinaram e são exageradas e iguais às que encontramos nos restaurantes a debitar a ementa e o special tonignt for 12.99?
A Bell é gira mas não me mete medo (risos convencidos). Imagino que faça às minhas filhas e os meus filhos não lhe resistam...:))))
De rita ferro a 23 de Julho de 2009 às 07:56
Ah, GJ, pode ser que sim. Pode ser que sim!
De mike a 22 de Julho de 2009 às 19:23
Mas podes repetir a dose às quartas-feiras... só para lavar a vista. :)
De rita ferro a 22 de Julho de 2009 às 19:28
Tás de castigo!!!
De mike a 22 de Julho de 2009 às 19:33
Pfff!... já estou habituado...
De rita ferro a 22 de Julho de 2009 às 20:30
Sim, mas já percebi que saltas pela janela. Desta vez fecho-te a sete chaves e deito-as ao Tejo! Onde é que já se viu??
De mike a 22 de Julho de 2009 às 20:51
lol... só não gosto de apanhar... lol

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

favoritos

Fado literário

O triunfo dos porcos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil


ver perfil

. 16 seguidores

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos de Passagem


Subscrever feeds