Quinta-feira, 17 de Julho de 2008

Bem-vindo, JB!

 

E porque na vida, na verdade, "nada se perde, tudo se transforma", aproveito este regresso antecipado para saudar o novíssimo blog de outro querido Amigo - o Adeus, até ao meu regresso.

 

Recomendo que o sigam com atenção, porque promete: o JB escreve sumptuosamente, e decidiu presentear-nos com a sua especialíssima experiência africana, num país de que muitos fugiriam a sete pés, se pudessem - o Zimbabwe.

 

Para ele, e também para mais um querido Amigo - o nosso (bravo...) embaixador em Harare,  João da Câmara - os meus votos de que tudo corra pelo melhor. Aqui estarei, fiel e ansiosa pelas vossas notícias...

 

Bem-vindo à blogosfera, JB! 

 

Etiquetas: , , ,
publicado por Ana Vidal às 13:17
link do post
Sexta-feira, 20 de Junho de 2008

Verão

 

Chegou o Verão.

 

A celebrá-lo, uma canção de sempre (que eu adoro) numa versão diferente do habitual: a de Amália, também ela uma voz de sempre para mim. Até Gershwin teria gostado de ouvi-la, acho eu.  


(Summertime - Porgy and Bess, de George Gershwin)

 

(Nota: Summertime deve ser das canções mais cantadas de todos os tempos. Interpretaram-na muitas das vozes mais celebradas no mundo inteiro, com versões maravilhosas e inesquecíveis. Escolhi a de Amália Rodrigues por ser das mais originais e inesperadas que conheço.)

 

publicado por Ana Vidal às 16:46
link do post
Domingo, 27 de Janeiro de 2008

Sul


E porque a minha bússola aponta sempre o Sul, aqui fica uma belíssima canção de alguém que percebe muito bem o que eu quero dizer. Bom Domingo.

(O Extremo Sul - José Miguel Wisnik)


O extremo Sul
lá na fronteira onde beira o firmamento
o céu azul
que te escondeu atrás do véu do pensamento
onde eu e tu
sabemos bem que vai e vem o esquecimento
que leva tudo
e nos mantém vivos, suspendidos no tempo

Protege bem
o lume aceso do desejo assim tão vário
guarda e contem
o mundo inteiro num luzeiro solitário
que tu completas
com teu jeito e teu exemplo originário
de quem contempla
o firmamento como um tempo planetário

Até amanhã
se Deus quiser
eu deixo tudo o que eu tenho
e vou aí te ver
te amo tanto
te chamo tanto
e será sempre mais ao Sul
ou mais azul
felicidade
o sonho de viver

Etiquetas: ,
publicado por Ana Vidal às 00:18
link do post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Bem-vindo, JB!

Verão

Sul

Rosa dos Ventos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds