Sábado, 13 de Outubro de 2007

Descubra as diferenças II


Doris Lessing, a octogenária que acabou de ser agraciada com o Nobel da Literatura, foi apanhada de surpresa por jornalistas ao sair do supermercado, no bairro londrino onde vive. De sacos na mão, afogueada e com o carrapito meio desmanchado, disse a um deles, divertida: "Eu achei estranho, realmente, tantos repórteres por aqui... mas, como neste bairro se filmam muitas novelas (soap operas), pensei que estavam cá por causa disso. O que não me passou pela cabeça é que era por mim!"
Comoveu-me a total ausência de vaidade, a bonomia, a sábia relativização das coisas deste mundo. E lembrei-me, inevitavelmente, de outro laureado a quem os louros subiram, literalmente, à cabeça. Adivinhem quem.
publicado por Ana Vidal às 15:13
link do post
8 comentários:
De ana vidal a 17 de Outubro de 2007 às 01:00
É o que dá ter comentadores de luxo... começam a fazer habilidades com as palavras e depois a gente não os percebe! Mas obrigada pela explicação, já lá cheguei. É uma questão de tempo: sabem como é, ideias curtas e cabelos compridos...
Vai um nobelzinho para cada um?
Bjs
:)
De JG a 17 de Outubro de 2007 às 00:27
O Luís já disse. Estou dispensado. Ufff!!!
De Luis a 16 de Outubro de 2007 às 23:26
Ana, como diria a Mad, dá-lhe ... no nobel ignobel ou ignaulereado ?? tanto faz ou, à espanhola, me da egual.
De ana vidal a 14 de Outubro de 2007 às 00:47
Espera aí, JG: explica lá isso outra vez, como se eu fosse MUUUUUUITO burra...
Estás a ficar hermético ou foi o meu cérebro que congelou ao pensar no nosso igNobel laureado?
;)
De JG a 14 de Outubro de 2007 às 00:34
É que ele há pessoas que escrevem laureadas e outras (ig)nobeis nobilizadas. Tão simples como isso.

Escritas à parte, a diferença é abissal.
De ana vidal a 13 de Outubro de 2007 às 23:13
Pois é, vizinho, a voragem da glória...
;)
De papalagui a 13 de Outubro de 2007 às 18:29
Admiro muito pessoas assim e são tão raras...
De RAA a 13 de Outubro de 2007 às 16:37
É verdade, vizinha, admirável. Mas lembro-me também dos que, não tendo ainda o laurel, a cabeça já se lhes turvou.

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

favoritos

O triunfo dos porcos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil


ver perfil

. 16 seguidores

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds