Segunda-feira, 4 de Junho de 2007

A 8ª maravilha


Um búzio, talvez da família dos nautilus?
Não. Errado.
Não é obra da natureza, mas de homens. Mais exactamente, de portugueses.
É a escada de caracol do claustro de D. João III, no Convento de Cristo, em Tomar.
Em tempo de votações para apurar as nossas 7 maravilhas, como não eleger esta pérola da arquitectura portuguesa em lugar de destaque? E já que as 7 maravilhas mundiais não incluem nenhuma em Portugal, o Porta do Vento propõe o nosso Convento de Cristo como a 8ª maravilha do mundo.
Pronto, tenho dito.
Etiquetas: ,
publicado por Ana Vidal às 12:42
link do post
4 comentários:
De av a 5 de Junho de 2007 às 01:59
Já dizia o Pessoa, como o Jorge Palma: "falta cumprir-se Portugal"...
De av a 5 de Junho de 2007 às 01:56
Olá J.P., sempre atento!
É verdade, o poço iniciático da Regaleira é uma curiosidade nacional única e uma experiência inesquecível (até pelos morcegos que nos esperam, se não acertarmos na saída redentora...).
É um monumento ao esoterismo e à maçonaria, mas também à excentricidade (um pouco megalómana, admita-se) de um homem que fez fortuna no Brasil e dedicou uma boa parte da vida a construí-lo, nos finais do século dezanove.
Penso é que não se pode comparar, em monumentalidade ou em significado, a um convento que acompanhou a história de Portugal desde a sua nacionalidade e acabou por transformar-se num símbolo do manuelino, na época áurea das suas muitas reconstruções. Mas não só: acho que Portugal inteiro está ali, escrito em pedra.
Um beijo
Ana
De João Paulo Cardoso a 4 de Junho de 2007 às 19:29
Não que a escada de caracol do claustro de D. João III, seja um poço.

Mas visto daqui pareceu... Eh! Eh!

Beijos.
De João Paulo Cardoso a 4 de Junho de 2007 às 19:25
Mais singelo, mais esverdeado e até porventura mais bonito, o "poço elíptico" da minha vida fica na esotérica Quinta da Regaleira, em Sintra.

Só estive lá uma vez e ainda me lembro de descer as escadinhas escorregadias e, chegado ao fundo, utilizar a luz do visor de um telemóvel para atravessar o túnel que leva a um local de lagos e estátuas maçónicas.

Não será uma das grandes maravilhas nacionais, mas faz parte de um vasto conjunto de mimos lusitanos.

E pensar que um país assim não avança...

"Ai Portugal, Portugal
Do que é que estás à espera..."
Jorge Palma.

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

Rosa dos Ventos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds