Quinta-feira, 21 de Fevereiro de 2008

Observatório II





Tesos, mas saudáveis!


Li, algures, que os conselheiros municipais de Bridgewater, Nova Escócia, Canadá, iniciaram um processo legislativo para proibir fumar nas ruas, passeios e pontes. O regulamento ocupa-se também dos edifícios federais e parques de estacionamento, remetendo os fumadores para as suas casas.
Outro artigo, desta vez vindo da Finlândia, referia ter um tribunal invalidado a decisão de um condomínio, que proibia os residentes de fumarem na varanda, depois de uma contenda judicial que durou 2 anos.
Fumador convicto desde os meus 15 anos, há muitos, portanto (sim, eu sei que faz mal e que já perdi não sei quantos anos de vida), pensei logo: Pronto! Estamos tramados! Se o Sr. Francisco Ex-Fumador George e o Sr. Não Sei Quantos Abstémio Sakelarides, eminências lusas em saúde pública e defensores acérrimos da nossa saúde privada (sim, eu também sei que a sua preocupação com a minha saúde é, deveras, genuína) sabem disto, não vai faltar muito para só podermos fumar na casa de banho de nossa casa, o que até acho graça e me faz voltar aos meus tempos de miúdo, quando comecei a dar as primeiras passas, precisamente às escondidas, na casa de banho (que tinha janela grande e dava para disfarçar o cheiro a tabaco).
Aí, vai ser vê-los a darem a mão ao Sr. António Fundamentalista Nunes e (ah, ASAE dum caneco, que não vais ter mãos a medir!) vamos ter o problema do desemprego resolvido, a promessa dos 150.000 postos de trabalho cumprida, toda a gente satisfeita, com tanto inspector caçador de relapsos fumadores que vai ser preciso arranjar.
E vamos ter, finalmente, o País com uma saúde de ferro, liberto de monóxidos e de viciados à porta de centros comerciais e de restaurantes, todos enclausurados nas suas casas de banho privadas.
O resto, pode continuar uma merda. Mas teremos uma saúde de primeira.
Bem hajam e obrigado!

Pedro Silveira Botelho

(Nota: Gravura roubada no Afinidades Efectivas. A César o que é de César, meu amigo Paulo!)

Etiquetas:
publicado por Ana Vidal às 12:05
link do post
16 comentários:
De PSB a 27 de Fevereiro de 2008 às 08:59
Ana
Agradeço. Parece-me mais sóbrio...
Um beijo
De av a 26 de Fevereiro de 2008 às 12:52
Pedro,
se preferes, posso comparar-te antes a uma cama D. Maria, de espaldar alto e direitíssimo! Melhor assim?
Beijo
De PSB a 26 de Fevereiro de 2008 às 04:36
Miguel
A 'lupa' de cada um faz-nos ver realçado aquilo que cada um quiser ver. Tem a ver com a personalidade, o carácter, a educação, a maneira de estar na vida e a vivência, entre muitas outras coisas.
Quiseste 'ver' uma afronta aos funcionários, públicos. Compreendo-te. É legítimo. Direito teu.
Mas parece-me que olhaste para a árvore e ignoraste a floresta. Compreendo-te. É legítimo. Direito teu.
Devias limpar a tua 'lupa'.

Redjan
Um abraço

Ana
Obrigado pela comparação com a tal cómoda francesa... estou assim tão abaulado?
E o estaminé está seguro e bem entregue. Mas o gosto, esse é meu.
Beijinhos.
De av a 25 de Fevereiro de 2008 às 11:35
Obrigada, Redjan. O Pedro já faz parte da mobília desta casa, com muito gosto meu. Eu diria mesmo que é uma cómoda francesa assinada!
E não devia dizer isto, porque ele qualquer dia toma-me conta do estaminé...
De redjan a 25 de Fevereiro de 2008 às 11:00
***** para o Pedro , outras 5 para quem se lembrou de o convidar a escrever por aqui !!
De av a 24 de Fevereiro de 2008 às 19:36
Miguel,
Parece que estamos outra vez em desacordo, mas isso já é um clássico. Não acho que estejamos "na alvorada" de um estado policial, acho que estamos já mergulhados num, até ao pescoço. Aliás, penso que este governo pratica uma "democracia" que é mais uma ditadura do que muitas ditaduras assumidas, porque tem todas as características: arrogância total, nenhuma explicação das medidas tomadas, nenhumas contemplações pelos problemas humanitários e sociais. Se isto é uma democracia, vou ali e já venho... Sei que há medidas impopulares que têm que ser tomadas, mas não gosto desta atitude. É claro que o Pedro não precisa que eu o defenda, mas a indignação dele dirige-se aos decisores e não aos executantes (embora o argumento de "executar ordens" não tenha livrado de julgamento e condenação, e acho que muito bem, os "funcionários" do Hitler. Há sempre a alternativa de não cumprir uma ordem com a qual não se concorda, e isto é aplicável a tudo...).
Finalmente, para os meus filhos quero um mundo muito mais assente em valores humanistas do que este que os actuais governantes tentam impingir-nos. Ser tratada como acéfala nunca me agradou muito...
Mas é, mais uma vez, apenas a minha opinião.
Bjs
De miguel a 24 de Fevereiro de 2008 às 11:48
Pedro:

Legítima a tua indignação. Mas em relação aos funcionários que referes , todos eles têm uma característica funcional comum: são executores de leis feitas, não são decisores. Em em relação a um executor exige-se-lhe que execute!.Pessoalmente não acho nada que estjamos na alvorada de um novo estado policial. Acho até, que nos particulares que referes, é assim que se constrói um futuro melhor para os nossos filhos. e isso que ambos desejamos, concerteza.

Abraço e continua!

Miguel
De conselheiro acácio a 23 de Fevereiro de 2008 às 00:25
Obrigado, Ana.
Voltarei, sim. Aqui está-se bem.
De av a 22 de Fevereiro de 2008 às 19:09
Que bom que é ter gente civilizada aqui no estaminé! Gente que discorda com classe, com argumentos em vez de arruaças, gente que sabe discordar. Enfim, gente que não tem falta de chá (uma das coisas que mais falta hoje em dia, infelizmente)!
Conselheiro Acácio: volte sempre, concordando ou não com o que aqui lê.
Um abraço meu também
De PSB a 22 de Fevereiro de 2008 às 16:52
Caro Conselheiro
Independentemente da condição de cada um nesta matéria (ex ou fumador, e devo dizer-lhe que sou ambas as coisas) o que está em causa é a liberdade individual de cada um. Sempre pensei (e como tal agi) que a preocupação com os outros deve ser uma constante na mente de qualquer fumador civilizado, sabendo bem que há muitos que o não são, mas, a estes, a quem o chá faltou em pequeninos, não vamos nunca poder educar.
Obrigado pela sua 'fidelidade' aos meus escritos e pelos seus comentários, concordando ou não.
Um abraço.

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

favoritos

O triunfo dos porcos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil


ver perfil

. 16 seguidores

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds