Segunda-feira, 25 de Fevereiro de 2008

Meia dúzia de nadas

Lá me apanharam em mais uma corrente. Mas, vinda da Leonor, não posso recusar. Assim, deixo aqui as tais "6 insignificâncias" sobre a minha pessoa, que não interessam a ninguém mas que tiveram o mérito de me fazer olhar para dentro. São estas:
    1. Demoro muito a "sair" de um filme de que gostei. Quando se acendem as luzes da sala de cinema e olho à minha volta, tudo me parece estranho: as pessoas, as conversas, o ambiente. Às vezes, um dia inteiro não chega para voltar à realidade. Acontece-me o mesmo com alguns livros.
    2. Adoro flores amarelas: rosas, frésias, narcisos, túlipas.
    3. O mar faz-me uma falta física: se estou muito tempo afastada, começo a entristecer perigosamente.
    4. Perco-me por tapetes orientais. E por chocolates.
    5. Nada tem a capacidade de me comover como a música. E pode ser qualquer uma a ter este efeito, desde a erudita ao fado.
    6. Sou a pessoa mais distraída do mundo, mas sou boa fisionomista. Raramente esqueço uma cara e tenho a mania de encontrar semelhanças entre as pessoas.
    7. Em Itália, sinto-me em casa. Mas é a Índia o meu grande desafio.

E pronto. Eu sei que são 7 e não 6, mas eu gosto mais do número 7 (outra mania minha, também). Passo o desafio ao Pedro Viegas, à Rosarinho, ao Paulo, à Musqueteira, à Meg, à Sofia e ao Pedro SB, que é da casa e por isso responderá aqui mesmo. Se lhe apetecer, claro, como aliás todos os outros.

publicado por Ana Vidal às 14:54
link do post
13 comentários:
De av a 29 de Fevereiro de 2008 às 01:13
É que as insufláveis, em colecção, ocupam muito espaço em qualquer casa... só isso, Pedro. LOL
De Sofia a 28 de Fevereiro de 2008 às 10:54
Risinho malicioso? Não... Ontem quando estive na Byblos e vi que estavam a sair as personagens das histórias de encantar em versão loiça... imaginem só de quem me lembrei???

'Outras só de busto'? Aqui não há risinhos... há mesmo gargalhadas!

Beijinhos
De PSB a 27 de Fevereiro de 2008 às 19:11
Esta agora...
E já são duas a comentarem (com risinho malicioso, que eu vi) as minhas bonecas de loiça. São bonecas, umas de corpo inteiro outras só de busto, umas de loiça outras de barro pintado, antigas, entre 30 a 50 cms altura, fruto das minhas voltas nas velharias. Não lhes resisto.
Agora, bonecas insufláveis Ana?
Está bonito, está...
De av a 27 de Fevereiro de 2008 às 11:36
Bonecas de loiça, Pedro??!! Acho que essa nem o Nicholson!
Bem, suponho que seria pior se fosse das insufláveis ...
LOL
De PSB a 27 de Fevereiro de 2008 às 08:57
Sofia
Só de loiça...
De Sofia a 27 de Fevereiro de 2008 às 01:51
Colecciona bonecas de loiça? LOL
De PSB a 27 de Fevereiro de 2008 às 01:25
Ana
Obrigado pelo desafio e pela Porta aberta para o desfiar. Não tenho andado com muita cabeça nestes últimos dias, mas vou tentar resumir 6 das minhas (in)significâncias: 1)Gosto de ter as minhas camisas penduradas, arrumadas por cores/tons, lisas ao meio, quadrados para um lado, riscas para outro. Gravatas, idem aspas. 2)Não resisto a uma feira de velharias e dou duas voltas ao recinto. Na primeira vejo 'por cima' e memorizo o que me agrada. Na segunda, faço contas de cabeça e compro o que posso. Já tenho a casa num bric-a-brac. 3)Sou um coleccionador impulsivo. Selos, moedas, bonecas de loiça, bules, discos, livros, etc, etc, etc. A partir do 2º ou 3º objecto da mesma família, já se instalou o virus coleccionista. 4)Levante-me a que horas me levantar, cedo, muito cedo, tarde ou muito tarde, seja em que paralelo fôr, a rotina matinal é sempre a mesma (...mas mais não digo). 5)O Expresso ao Sábado. Posso não o ler, como já aconteceu ocasionalmente, mas não o ter dá-me a sensação de me faltar alguma coisa. 6)Recortes de jornal. Sim, tenho essa 'panca'. Artigos, entrevistas, caricaturas, tudo o que, de algum modo, me tenha chamado a atenção. Corto, aparo, colo e arrumo tudo direitinho. Pode ser que, num futuro qualquer, me dê jeito. Claro que, cá em casa , já me gozam... Mas são as minhas manias e, como disse, significantes para mim.
E, claro, também já há quem goze comigo dizendo que... melhor é impossível...
De av a 26 de Fevereiro de 2008 às 12:15
Olá, ssv! Podes levar também este desafio e passá-lo a quem quiseres. O meu problema com as caras é esse mesmo: sei que as conheço, mas não sei de onde. E se estiverem fora do contexto habitual, então perco-me de vez...
De sem-se-ver a 26 de Fevereiro de 2008 às 10:30
idem aspas qt aos teus pontos 2, 4 (mas só nos chocolates) e 5.

qt às caras, tb não as esqueço, mas não faço a mínima ideia quem sejam! um desastre...
De av a 25 de Fevereiro de 2008 às 22:31
LOL, Paulo. E assim vamos brincando aos egos, não é?
Um beijinho

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

Rosa dos Ventos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds