Sábado, 8 de Setembro de 2007

Jardins da blogosfera




Um blog sem comentários é como um jardim sem flores.
Etiquetas:
publicado por Ana Vidal às 00:35
link do post
12 comentários:
De ana vidal a 11 de Setembro de 2007 às 11:43
Como eu gosto que um cavalheiro me ofereça flores!!
Obrigada, Manel.
Bjs
De manuel teixeira a 11 de Setembro de 2007 às 11:10
E porque é bom saber que não se está a falar sózinha, aqui fica mais uma flor para engrossar o teu bouquet.
E outra mais, esta para ti, com uma beijoca do
Manel
De ana vidal a 9 de Setembro de 2007 às 02:02
Claro, PP, não tarda nada vamos todos ter um telhado outra vez! Até lá, abriguem-se neste que eu tenho muito gosto nisso.
Se quiseres dar tu próprio um beijo à Mad, este é o blog dela - http://www.juro-que-tenho-mais-que-fazer.blogspot.com
Ela está desterrada lá no Brasil(no paraíso, é verdade, mas tem saudades de Portugal e dos amigos, por isso adora que lá apareçam.)

Bjs
De pedro sanchez a 9 de Setembro de 2007 às 00:04
''Um blog sem comentários é como um jardim sem flores''

Diria mais é como ficar a falar sózinho depois de uma discussão ou pior almoçar sózinho que é uma coisa horrivel.

O Miguel que não fique triste pois julgo que o Mário não nos vai deixar sem casa, ainda mais quando se aproxima o Inverno. Fico à espera que ele construa outra já que a outra ardeu sem chama.

Ana manda um beijinho meu à tua mana Madalena e um para ti para não ficares com ciúmes, pp
De papalagui a 8 de Setembro de 2007 às 16:39
lol
Pois é, o quintalinho é giro e tal mas pronto... ;-)
De ana vidal a 8 de Setembro de 2007 às 16:16
Obrigada e bom fim-de-semana também para si, Leonor. (Embora, depois da Jamaica, o nosso quintalinho não deva ser um grande entusiasmo...). Bjs
De papalagui a 8 de Setembro de 2007 às 15:58
Embora tenha um blogue sem comentários, mas não o meu pessoal, concordo inteiramente. É bom poder trocar ideias e ter um feed-back, se não como é que eu vinha aqui para desejar um bom fim-de-semana ;-)
bj
leonor
De ana vidal a 8 de Setembro de 2007 às 15:42
Trionfo,
Que bom vê-la por cá. Obrigada pela flor e pelo sorriso. E sabe, tenho tido sorte com os meus comentadores. São todos de primeira categoria. Podem discordar à vontade - até acho muito saudável - mas sempre o têm feito com educação. Nunca tive que apagar comentários, impedir a entrada de anónimos ou filtrá-los antes. Mas todos esses instrumentos estão à minha disposição, caso comecem a aparecer os espinhos e as ervas daninhas. A casa é minha, só entra quem eu quero!
Quanto a si, volte sempre.

Adelaide,
Sempre simpática. Muito obrigada, querida, é uma honra ter aqui uma bloguista do seu nível.

Florista,
Assim fico "encabulada", como diria a Adelaide. Obrigada pelas margaridas, flores que eu adoro. Que charme! É isso mesmo que eu acho pena nos blogs sem comentários - que sejam monólogos, por muito bons que sejam.

Miguel,
Gosto muito de ter-te por aqui. És e serás sempre bem vindo neste espaço. Tenho pena das razões que te trouxeram a comentar aqui (tu sabes porquê) mas espero que continues a aparecer e a deixar rasto sempre que te apetecer. Esta casa é tua também, como do Mário, do Cage (ele não tem aparecido mas manda um dos heterónimos, de vez em quando, fazer-me uma visita. Palpita-me que o florista que comentou mesmo antes de ti é um deles...), e de todos os que ficaram temporariamente sem abrigo depois do katrina balealense. Dos que vierem como amigos, claro.

beijos a todos
ana
De Miguel a 8 de Setembro de 2007 às 09:26
Ana: o " Porta do Vento" faz parte do meu roteiro bloguista, que é feito todos os dias. E, enfim, intervenho porque não sei onde raio andam o Cage e o Mário. E, também, porque a minha outra "casa" fechou.

Mesmo não comentando este teu espaço está nos meus fevoritos

Miguel Leal
De Florista a 8 de Setembro de 2007 às 08:36
Não me tenho por espinho ou erva daninha - embora, às vezes, como todos nós, faça essa figura - mas acho que até as claques devem ter sentido crítico.

Acho que sim, que um blog sem comentários é, de facto, como um jardim sem flores. Um monólogo. Mesmo que seja o monólogo de uma flor.

Deixo-lhe, sem encargos, um ramo das que gosto mais. Margaridas. Ficam bem consigo.

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

favoritos

O triunfo dos porcos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil


ver perfil

. 16 seguidores

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds