Segunda-feira, 10 de Setembro de 2007

30 segundos


O suicida não é um homem que odeia a vida, como à primeira vista pode parecer. Pelo contrário: é um homem que a quer prolongar de qualquer maneira, nem que seja no remorso dos outros.

(Miguel Torga)


Cerca de 3.000 pessoas suicidam-se todos os dias no mundo, uma a cada trinta segundos, alertou esta segunda-feira a Organização Mundial de Saúde (OMS) por ocasião da comemoração do «Dia Mundial de Prevenção do Suicídio».

Em comunicado divulgado hoje a propósito do «Dia Mundial da Prevenção do Suicídio», a OMS lembra que este problema social atinge actualmente «índices extremamente elevados». O dados da OMS indicam que a percentagem de suicídios no mundo nos últimos 50 anos aumentou em 60% - sobretudo nos países em desenvolvimento - e que o suicídio constitui actualmente «a terceira causa de mortalidade na faixa etária dos 15 aos 34 anos».

A organização da ONU sublinhou, no entanto, que a maioria dos suicídios «são cometidos por adultos», lembrando ainda que cada vez mais um maior número de idosos decide acabar com as suas vidas. Segundo as estimativas da OMS, por cada suicídio cometido com sucesso registam-se pelo menos outras vinte tentativas falhadas, que resultam em graves lesões e graves sequelas emocionais, tanto para o suicida como para a família e amigos deste.

Os últimos dados referentes às mortes por suicídio em Portugal do Instituto Nacional de Estatística (INE) são de 2005 e indicam que os suicídios no país têm vindo a diminuir constantemente nos últimos anos. Segundo os dados do INE, em 2005, contabilizaram-se um total de 910 casos, contra os mais de 1.100 registados anualmente desde 2002. Do total de 910 casos registados há dois anos, um total de 858 ocorreram no Continente, 14 no arquipélago dos Açores e 38 na região da Madeira, segundo os mesmos dados.

Assim, em 2005, os valores relativos às mortes por suicídio baixaram para 8,6 casos por cada cem mil habitantes, enquanto que, em 2002, o valor era de 11,52 óbitos por cem mil habitantes.
Para lutar contra o suicídio, que, segundo a OMS, afecta «todos independentemente da idade», é necessário que se criem estratégias de prevenção e que «o suicídio não seja considerado um tabu ou o resultado de crise pessoais ou sociais, e sim um indicador de saúde que evidencia os riscos psicossociais, culturais e meio ambientais susceptíveis de prevenção», segundo a OMS.

A OMS sublinhou a importância de reforçar programas para identificar e prevenir o comportamento suicida, afirmando que a maioria dos mais de 1,1 milhões de suicídios por ano poderiam ser evitados, se fossem adoptadas medidas adequadas que garantissem tratamento adequado às pessoas que sofrem de distúrbios mentais ou medidas que dificultassem o acesso dos potenciais suicidas a métodos para pôr fim à vida. A depressão, os transtornos bipolares, o abuso de drogas e álcool, esquizofrenia, antecedentes familiares, contextos socioeconómicos e educacionais pobres ou uma saúde física frágil, são os principais factores que se antecedem ao suicido, segundo um estudo da OMS, publicado em 2006.

Diário Digital / Lusa
10-09-2007
Etiquetas:
publicado por Ana Vidal às 23:41
link do post
2 comentários:
De ana vidal a 11 de Setembro de 2007 às 16:09
Bonito, PP.
3o segundos é um espaço de tempo impressionante, dá que pensar.
De pedro sanchez a 11 de Setembro de 2007 às 14:59
Ora aqui está um tema difícil de comentar e de falar. Difícil porque se nos coloca sempre a questão por que será que as pessoas se suícidam.
Na verdade as estatísticas estão aí e em príncipio não enganam.
Mas melhor será começarmos a pôr a mão na consciência e começarmos a pensar verdadeiramente o que levará as pessoas a cometer tal acto.
Para mim parece-me que tem apenas uma única razão, solidão.
Solidão a que são devotados os velhos que quando começam a dar trabalho são atirados para os lares, essa palavra mágica que alivia as preocupações de muitos.
Deixar os velhos em lares que são mais asilos que outra coisa.
Mas não esqueçamos que para velhos vamos todos.
Os velhos são nossos, os nossos avós, pais , tios, e amigos, que muito já deram à nossa geração e merecem ter em troca o que nos deram.
E dar Amor é dificil?
Ou Amor é só sexo.
E quando esse flagelo é com jovens, que também por falta de Amor, diálogo, são deixados sózinhos com seus problemas de juventude e inquietações. Tudo é uma questão de solidão de deixarmos só, quem muitas vezes precisa de AMOR.
Dar AMOR não paga IRS nem IVA e não custa nada, acreditem.

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

Rosa dos Ventos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds