Segunda-feira, 17 de Dezembro de 2007

Par gourmandise

Je t'aime aussi par gourmandise...
Estamos no Natal, tempo de mil guloseimas. E há algumas que não fazem desequilibrar a balança. Como esta deliciosa letra cantada, com a maior graça, por quem sabe dizer estas coisas melhor do que ninguém: Aznavour, claro. Quem mais? Ofereço-a a todos os que gostam destas e de outras guloseimas.

Get this widget | Track details | eSnips Social DNA


publicado por Ana Vidal às 12:22
link do post
8 comentários:
De av a 24 de Dezembro de 2007 às 02:43
JP e Capitão,

Agora não há dietas. Em Janeiro pensa-se nisso outra vez.
Bjs

Sofia,
Sim, já sabia, mas não comprei bilhetes ainda. E quando me decidir, já sei, não vai haver...
Só tenho medo de que ele esteja já sem voz e sem fôlego, e preferia lembrar-me dele em pleno. Mas talvez não esteja assim, quem sabe?

beijinhos
De Sofia a 24 de Dezembro de 2007 às 02:01
Eu ando tão atrasada na minha leitura de blogues que ainda não tinha visto este... e a minha dieta que não permite estes desvarios antes de amanhã... Sabes que o senhor Aznavour vem cá em Fevereiro? Ah pois é... e eu vou!

beijinhos doces
De Capitão-Mor a 18 de Dezembro de 2007 às 20:49
Não se arranjam umas broas castelares por aí?
De JP a 18 de Dezembro de 2007 às 17:28
Isto é que abrir o apetite para o que aí vem!

Que se lixe a dieta, porque guloso me assumo!
E como tem estado um frio de rachar, venham a mim as calorias!!

Beijos.
De av a 18 de Dezembro de 2007 às 00:43
Que enigmático, Pantagruel... mas ainda bem que o inspirei com esta música. Espero que a Vida lhe sorria sempre assim, mesmo quando tiver passado o Natal e as guloseimas da época.
De Pantagruel a 18 de Dezembro de 2007 às 00:24
Com a beleza desta "receita", na voz deste ilustre "Chef", este Natal vai ser muito sensitivo e deliciosamente convidativo. Como em tudo na Vida, a gourmandize torna-se um prazer indizível, fantasiado com imaginação qb e a deixar-nos na boca o sentimento da partilha do mesmo sabor.
De av a 17 de Dezembro de 2007 às 21:49
Um beijo também, Adelaide.
Já lá vou espreitar a sua Coluna do Meio, que nunca perco.
De adelaide amorim a 17 de Dezembro de 2007 às 14:12
Uma delícia de post, imagem, som e palavras bem-humoradas...
Beijo grande.

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

Rosa dos Ventos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds