Domingo, 9 de Dezembro de 2007

Saudades de Lisboa


ALFAMA
Alfama de cacos pintados de tintas e trocas e ventos no rio de pontos picantes e pontas de faca e alpaca de Alfama com alma de alfafa e gente de fama que cai na galhofa do pátio da esquina da feira da ladra de cacos picantes e contas correntes de tretas e pintas de gente com laca nas pontas da fama e ventos de faca que cortam Alfama de portas pintadas com a fama do fado.

(Nuno Rebelo - in Mler If Dada, Coisas que Fascinam)
Nota: Roubado ao RAA, no Abencerragem.
publicado por Ana Vidal às 01:47
link do post
8 comentários:
De av a 10 de Dezembro de 2007 às 16:44
Eu sei.
Também acho.
Um beijo.
De manuel teixeira a 10 de Dezembro de 2007 às 15:59
Gosto.
Muito.
Além de Lisboa,
Do texto que roubaste
E a aqui afixaste.
Acertaste.

Manel
De av a 9 de Dezembro de 2007 às 15:33
Percebo-te muito bem, Leonor. Por aqui (Estoril, Sintra, Mafra) o ritmo é muito mais saudável, a qualidade de vida é inegavelmente melhor, mas isso não impede que eu tenha saudades de Lisboa, que adoro. E alguma agitação também sabe bem às vezes. Concordo que hoje em dia a cidade está um caos, que gera um stress imparável, mas tenho saudades na mesma. Nada feito!

Sofia, Lisboa ao fim de semana e em Agosto é uma delícia!!

Beijos às duas
De NUNO a 16 de Março de 2009 às 02:49
LISBOA E SEMPRE UMA DELICIA PARA QUEM LA NASCER OH MONTE DE MERDA!!! SEJA FIM DE SEMANA, DURANTE A SEMANA, PRIMAVERA, VERAO, OUTONO OU INVERNO!!
MATA-TE FDP!!
De Sofia a 9 de Dezembro de 2007 às 14:32
Belo texto!
Pois eu adoro Lisboa e como hoje é Domingo gosto do silêncio, do barulho de um carro ou outro a passar de fugida, dos risos das crianças nos jardins e do vazio das ruas, como se a cidade fosse só minha... mas gosto assim, porque sei que amanhã a cidade acorda bem mais cedo do que eu e com ela uma imensidão de gente que corre ou que voa entre um carro, um autocarro e um metro... E eu gosto tanto dela assim - agitada e viva!

Alfama? Adoro, as noites dos Santos populares e as jantaradas na Baiuca, onde somos família, onde o taxista e a cozinheira cantam o fado e onde só bebe quem não vai conduzir! Tenho de lá voltar...

beijinhos
De leonor a 9 de Dezembro de 2007 às 12:30
Só vivi em Lisboa no tempo de faculdade, mas depois trabalhei lá 7 anos e continuo cheia de sauadades, tantas que, da última vez que precisei duma declaração, pedi ao meu marido que lá fosse só para não me confrontar com o que tinha perdido :(
De av a 9 de Dezembro de 2007 às 03:06
Adoro Lisboa. Sempre que lá vou (ontem estive no Chiado, ainda por cima)fico com enormes saudades de viver lá. Depois passa-me, quando o trânsito me faz perder quase uma hora para percorrer 2 km...
Mas, por momentos, não lhe encontro um único defeito.
Roubei-lhe este post por esse motivo, além de ter gostado imenso da descrição de Alfama.
Obrigada.
De RAA a 9 de Dezembro de 2007 às 02:33
:)

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

favoritos

O triunfo dos porcos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil


ver perfil

. 16 seguidores

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds