Segunda-feira, 24 de Setembro de 2007

Palavras com dedos


De cada vez que revejo Il Postino ("O Carteiro de Pablo Neruda", na tradução portuguesa) descubro-lhe um pormenor que me tinha escapado antes.
Desta vez foi uma verdadeira pérola da sempre imbatível sabedoria popular, saída da boca da tia de Beatrice num tom de quem sabe muito bem o que diz:
“Quando um homem começa por tocar-nos com palavras, chega longe com as mãos.”
Etiquetas:
publicado por Ana Vidal às 01:27
link do post
18 comentários:
De SOBE E DESCE a 25 de Outubro de 2007 às 16:21
Não concordo com a frase, até porque para mim "palavras o vento as leva".
De ana vidal a 25 de Setembro de 2007 às 12:26
Obrigada, Manel. Gosto muito que se sintam bem aqui, mas não quero ensinar ninguém. Cada blog é um caso diferente, com personalidade própria.

Beijo
Ana
De Manuel Teixeira a 25 de Setembro de 2007 às 09:45
15 Comentários interessantes e quanto a mim verdadeiramente representatitos do que pode (e deve) ser um blog.
Gerar participação, criar uma quimica na troca de ideias, trocar imperssões, fazer sorrir, comunicar.

Continua Ana que estás a agradar e daqui desta Porta do Vento há alguns ensinamentos a tirar para outros Blogs. É preciso é estar com atenção...

Manel
De ana vidal a 25 de Setembro de 2007 às 02:20
Claro, está escrito.
A frase tem várias interpretações, como quase tudo o que dizemos ou escrevemos. E depende daquilo que se quer ler, ouvir ou sentir. E de quem vem, sobretudo.
Também escolho a versão da Oriana. No que me toca a mim (e não é inocente aqui o verbo "tocar"), a qualidade das palavras é sempre um bom caminho para as mãos.
O mais engraçado é a quantidade de comentários que esta frase gerou, o que só prova comno nos tocou a todos.
De RAA a 25 de Setembro de 2007 às 00:58
Está escrito, vizinha...
De ORIANA a 24 de Setembro de 2007 às 23:54
Manel a frase é uma pérola, bem o dizes. E eu escolho uma das tuas alternativas para interpretar a frase: "Quando um homem 'tem o dom' de me tocar com as palavras, 'permito-lhe' chegar longe com as mãos." Foi sempre assim que fiz na vida e até agora ainda não me saí mal.

Un beso a todos
ORIANA
De Manuel Teixeira a 24 de Setembro de 2007 às 23:14
É por isto que eu acho que, a palavra DITA, de certo modo, clarifica, esclarece, dá rigor, à palavra escrita.
Refiro-me, claro está, à frase BEM dita, de uma frase BEM escrita. O som, a entuação, a pausa, o respirar, a dicção, o volume da voz, a intenção e tantas outras componentes mais, fazem a palavra DITA ter 'um tipo' de rigor que a palavra ESCRITA não tem.

Vejamos: “Quando um homem começa por tocar-nos com palavras, chega longe com as mãos!”

Quererá, esta frase aqui escrita (e não dita) quererá esta frase dizer:

Quando um homem 'tem o dom' de me tocar com as palavras, 'permito-lhe' chegar longe com as mãos.

ou

Quando 'nos permitimos' que um homem nos comece a tocar com palavras... 'atenção que' quer chegar longe com as mãos'

Assim a mesma frase pode ter pelo menos duas interpretações: uma de 'aceitação' outra 'de recusa'.

Por certo, OUVINDO esta frase e, então dentro do contexto da história do filme e do perfil do personagem que a DIZ, certamente esta dúvida não existirá. O sua intenção será clara.

No entanto qualquer que seja a interpretação que se possa fazer desta frase, ela é certamente uma pérola.

Aqui fica esta bola para o pinhal... Ana.

Manuel Teixeira
De João Paulo Cardoso a 24 de Setembro de 2007 às 20:07
“Quando um homem começa por tocar-nos com palavras, chega longe com as mãos!”

Já no tempo de Salazar, convinha estar calado ou ficava-se de mãos atadas sem poder ir a lado nenhum.

Beijos.
De ana vidal a 24 de Setembro de 2007 às 18:24
Peri,
Nem queira saber as "traduções" completamente absurdas que em Portugal se fazem dos títulos originais.

Oriana,
Gosto muito de tê-la por aqui, volte sempre. Mas vmo-nos encontrando também por lá, no reino de La Mancha. Por supuesto!
De ORIANA a 24 de Setembro de 2007 às 17:08
Descobri este Blog num outro em que de vez em quando dou o meu contributo. E a entrada deu-me muito que pensar... Dei-lhe o estatuto de frase do dia e vou apontá-la para não a esquecer!

O melhor de rever um filme de que se gosta é a maior atenção que damos a pequenos pormenores que, anteriormente, nos passaram ao lado. Quase sempre encontramos algo que nos faz gostar ainda mais do filme. Adorei este filme, mas estou a ver que tenho de o rever,porque esta frase me escapou!

Uma sábia verdade, mas à partida mais facilmente entendida pelas mulheres.

un beso
ORIANA

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

favoritos

O triunfo dos porcos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil


ver perfil

. 16 seguidores

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds