Quinta-feira, 6 de Setembro de 2007

Nobre linhagem


A Folha Online (Brasil) tem uma interessante colecção que consiste numa série de pequenos livros que abrangem as mais diversas áreas do conhecimento, distribuídas por 73 temas que vão da filosofia à música, da literatura à gastronomia, da moda às novas tecnologias, e por aí fora. Cada um aborda, de forma resumida e em linguagem acessível, o que de mais importante se sabe hoje sobre cada um desses assuntos. A colecção tem o nome de "Folha Explica" e é um útil instrumento de consulta e de pesquisa.
Saliento, a título de exemplo e na secção de Literatura, o volume dedicado ao escritor Graciliano Ramos, sob a responsabilidade de Wander Melo Miranda (professor titular de teoria da literatura na Universidade Federal de Minas Gerais e supervisor do projecto de reedição da obra completa do autor). O primeiro capítulo pode ser lido na página de apresentação do livro, aqui.
Dono de um estilo contundente e directo, Graciliano Ramos é um dos mais importantes autores da literatura brasileira. O escritor reafirma de modo inconfundível em toda a sua obra, cujo interesse estético é inseparável do comprometimento ético, o vínculo entre a literatura e a vida. A leitura dos seus livros recomenda-se a todos os que têm interesse em entender o Brasil e a sua história.
Nota: Para além do seu inquestionável valor, a minha escolha de Graciliano Ramos como exemplo desta colecção não foi completamente inocente. É que o seu neto Ricardo Ramos Filho, o mais recente herdeiro de uma linhagem não interrompida de escritores, é o bloguista Lord Broken-Pottery, meu amigo e habitual comentador da Porta do Vento. Aqui fica a homenagem merecida, milord!
publicado por Ana Vidal às 16:17
link do post
1 comentário:
De João Paulo Cardoso a 6 de Setembro de 2007 às 18:14
Confirma-se que quem sai aos seus não é de Genebra, é made in Brasil...

Beijos.

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

favoritos

O triunfo dos porcos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil


ver perfil

. 16 seguidores

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds