Terça-feira, 26 de Fevereiro de 2008

O poder de um sorriso

Charlie Chaplin compôs esta canção lindíssima, num especial momento de inspiração. Michael Jackson (de quem eu nem sequer gosto muito) cantou-a assim, igualmente inspirado. A mensagem da letra e a beleza da música, fazem dela uma eterna lição. E uma eterna emoção.

(Smile)

Smile, though your heart is aching, smile, even though it's breaking

When there are clouds in the sky, you'll get by...

If you smile with your fear and sorrow, smile and maybe tomorrow

You'll find that life is still worthwhile, if you just...

Light up your face with gladness, hide every trace of sadness

Although a tear may be ever so near

That's the time you must keep on trying, smile, what's the use of crying

You'll find that life is still worthwhile, if you just...

Smile, though your heart is aching, smile, even though it's breaking

When there are clouds in the sky, you'll get by...

That's the time you must keep on trying, smile, what's the use of crying

You'll find that life is still worthwhile

If you just smile.

(Nota: Para a minha amiga S., que perdeu o sorriso algures entre duas lágrimas. E eu quero voltar a vê-lo.)

publicado por Ana Vidal às 00:22
link do post
9 comentários:
De JuliaML a 27 de Fevereiro de 2008 às 23:30
coitado, ele nunca teve uma vida normal, nunca foi criança, foi um produto..

Mas que é um bom profissional,é.
De JuliaML a 27 de Fevereiro de 2008 às 23:28
parece que só eu não consegui ouvir a musica..
De O Réprobo a 26 de Fevereiro de 2008 às 22:20
Querida Ana, a encomenda já está aviada. Beijinho.
Ah, gosto da música, mas ão da voz.
De Capitão-Mor a 26 de Fevereiro de 2008 às 20:28
Convenhamos que a múmia viva até tem um timbre de voz agradável e a letra da mpusica é muito boa.
De Sofia a 26 de Fevereiro de 2008 às 13:26
Querida amiga A. queres ver-me sorrir, mas quase me fazes chorar de sorrisos. Obrigada...

beijinhos

p.s. vai lá ao meu blogue...
De av a 26 de Fevereiro de 2008 às 12:11
Acho que foi ainda pior do que isso, Miguel: o MJ perdeu-se dentro dele próprio e já não deve sequer saber quem é. Mas é verdade que a máquina comercial o engoliu também, como acontece muitas vezes com os talentos genuínos.
De miguel a 26 de Fevereiro de 2008 às 09:05
Há génios que parece que fazem tudo por não o parecer. Perdem-se , aparentemente, no lado mais fútil da vida. Dá ideia que só vêm cifrões; são uma máquina de comércio. Tudo isso, sem deixarem de ser génios. Michael Jackson é, decididamente, um deles.
De av a 26 de Fevereiro de 2008 às 02:35
LOL. Não só não te bato, JG, como me parece que vou apanhar também... eu acho o MJ uma xaropada (a não ser a dançar, que é imbatível), mas adoro esta música e a versão dele é óptima. Fraquezas...
De JG a 26 de Fevereiro de 2008 às 02:00
Não me batam, não me atirem ao rio, não me deitem para a jaula dos leões, mas eu gosto muito de Michael Jackson.
Sempre gostei. E sempre achei que é um icon incontornável do século XX, que ficará na história da música popular como um artista maior.

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

favoritos

O triunfo dos porcos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil


ver perfil

. 16 seguidores

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds