Sexta-feira, 11 de Abril de 2008

Cata-Ventos


Divórcio
AMN, n' A Arte da Fuga
Cesse tudo o que a musa antiga canta
POS, n' A Criação do Mundo
Mulher escrevendo
Adelaide Amorim, n' O Bem, o Mal e a Coluna do Meio
The beat goes on
Teresa, no Beatles Forever
Adágio e Os grandes livros
RAA, n' A Sublime Porta
Corruptólogos
FJV, n' A Origem das Espécies
A atracção pelo lixo
Daniel Oliveira, no Arrastão
Feliz aniversário
Mike, no Desconversa
Águas de Abril
TCL, no Falabarata
No news whatsoever
OIAW, no Once in a While
Acordar, mas sem acordo
PRD, no Pedro Rolo Duarte
Etiquetas:
publicado por Ana Vidal às 02:11
link do post
11 comentários:
De PSB a 13 de Abril de 2008 às 02:49
Rectifico: you're sixteen, you're beautiful...
De av a 13 de Abril de 2008 às 02:12
You're right.
E nem me lembrava do Imagine... imagina!
Beijos
De PSB a 13 de Abril de 2008 às 01:43
Ana
Claro que também concordo que os êxitos a solo foram imensos, aliás até do próprio John Lennon (o fabuloso e intemporal Imagine e tantos outros) e mesmo do Ringo Star ... your sixteen, your beautiful and you're mine.
Beijos
De av a 13 de Abril de 2008 às 00:01
Se não estivesse, não pescava pérolas como estas duas, vizinho...
De RAA a 12 de Abril de 2008 às 23:46
Sempre atenta, vizinha... Obrigado.
De tcl a 12 de Abril de 2008 às 00:56
Céus, Ana que honra! Obrigada pelo destaque, fico mesmo sensibilizada.

Quanto à cena da jardim, o que se passa é que esse mulherio todo é completamente pelintra e não tem capacidade para se sustentar pois sempre viveram à conta de alguém. nem sabem o que é trabalhar. parasitas da sociedade. detesto essa gente. vivem de esmolas de almoços e jantares que trocam por fotografias nos jornais. é de loucos... e quando alguém não lhes apara o jogo, ainda se queixam...
De av a 11 de Abril de 2008 às 16:25
Um beijinho, Once. E bom fim de semana para si também.

Pedro, a história que contas mostra bem o ridículo a que algumas pessoas se expõem, achando-se imprescindíveis e acima dos outros "mortais". É triste, acho eu.
Quanto aos Beatles, nunca saberemos o que mais eles fariam em conjunto. Mas temos o que fizeram em separado, e há algumas preciosidades nessa fase pós Beatles. Do George Harrison e do Paul MacCatney, sobretudo. E o facto de se terem separado cedo também contribuiu para o mito, como sempre acontece.
De PSB a 11 de Abril de 2008 às 15:41
Ainda um comentário sobre o telelixo: é um óbvio (mau)sinal dos tempos a opção clara de muitos 'media' pelo sensacionalismo, estratégia certa para o aumento de receitas. A fórmula clássica dos pasquins, com parangonas de encher o olho na 1ªpágina. Se não, como se justificaria que os 24 Horas e Jornal do Crime, por exemplo, se vendessem como pipocas?
Culpa nossa(?) bisbilhoteiros voyeuristas...
De PSB a 11 de Abril de 2008 às 15:02
Comento agora os Beatles: compreendo a opinião de considerar que o abandono foi no momento oportuno da época áurea em que estavam. Mas indago-me: o que não teriam eles feito mais nos dez anos que ainda se seguiram antes da morte de John Lennon? E aí, naturalmente, que ficou a perder fomos todos nós, sem um punhado valente de novos grandes êxitos.
De PSB a 11 de Abril de 2008 às 14:46
A propósito das 'musas' deste País, soube de uma cena recente que simboliza a consideração em que estas petulantes se têm. Passou-se num bar recentemente inaugurado, em que a nossa(?) Cinha Jardim e companhia pediram uma garrafa de champanhe e demais bebidas. No final, quando lhe apresentaram a conta, enxofrou-se e perguntou: não sabe quem eu sou? Eu não costumo pagar nestes sítios...
Parece que o dono do bar não esteve com meias medidas e insistiu com o pagamento da conta, ao que a iluminada pseudo socialite terá retorquido que lhe mandaria o dinheiro mas... que nunca mais lá punha os pés...
Eu não teria esperado pelo pagamento diferido. Teria chamado a polícia e resolvido o problema, fosse de que maneira fosse, logo ali! Nem que fosse com uma table dance... para os mais velhotes...

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

favoritos

O triunfo dos porcos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil


ver perfil

. 16 seguidores

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds