Segunda-feira, 21 de Setembro de 2009

Coentros e rabanetes

Manuel Fragoso de Almeida

 

Obtida a necessária autorização da menina Ana, aqui vamos nós iniciar uma volta por alguns sítios da gastronomia de Portugal, com um pré-aviso: desfazem, quase todos, as tímidas tentativas de dieta de quem tiver a paciência de me ler, e sobretudo comprovar demoradamente as recomendações que vos deixo. As férias de Verão já lá vão, por isso é somente uma questão de optarem por um furo do cinto mais favorável…

 

De quando em vez poderei parar num sítio recomendável para o efeito, e sugerir-vos também uma estadia diferente, relaxante, perto da praia ou no campo, para um fim-de-semana de repouso, ou adequado à leitura serena de um livro, e inspirador de novas escritas e novas estrofes das escritoras afamadas.

 

Estávamos perto de Manta Rota e Tavira, e se calhar vamos seguir viagem pela Via do Infante (para eu ter não me demorar nos limites de velocidade da EN 125, e a Ana me dizer que o texto ficou muito longo…). Também não vale a pena acelerar muito porque vamos sair inevitavelmente para Olhão, onde mora um casal, o Zé e a Ângela, e uma família a que me ligam laços duma grande amizade desde os tempos da universidade.

 

O mais simples é seguir as indicações do porto, depois de passar pela nova zona industrial e seguirem mesmo até ao cais de embarque para a Ilha da Armona.

 

Já chegaram?

 

Então arrumem o carro pela zona das “docas” (quem diz que só há docas em Lisboa?), e perguntem o melhor caminho para chegar ao restaurante do “Zé Manel”. Fica no fim duma rua estreitinha que vai dar à marginal das docas, e não vale a pena perguntar pela “Casa de Pasto – Algarve”, o verdadeiro nome, porque se calhar ninguém o conhece. Chegando em cima da hora também não se dispersem pela visita à nova marina ou pelos novos apartamentos que ficam mais para o fim da avenida. Essa é uma hipótese dum passeio digestivo.

 

Bom, agora já sentados na esplanadazinha do restaurante, têm obrigatoriamente de entrar nas boas graças do Zé Manel (as histórias sobre o seu mau humor têm graça, porque se passaram com outros clientes), e de seguida deixar-se conduzir por este viúvo, verdadeiro patrão omnipresente do restaurante, mas que dirige uma cozinha divinal.

 

Uma ajuda? Avanço, sem medo, para os filetes de lingueirão e sobretudo umas lulinhas em caçarola de barro, que são uma maravilha. Mas é bom tomar atenção que as especialidades são muitas (e podem variar consoante o dia), e sobretudo… ter sempre presente que quem manda é o Zé Manel, até porque a figura recomenda que assim seja.

 

Nós queríamos provar quatro pratos, repartindo entre os dois casais ao gosto de cada um, mas fomos logo avisados: “Não, comem lingueirão e as lulinhas que estão muito boas!” Comemos, sim! E efectivamente foi necessário o passeio nocturno pela nova marina, pela vista dos apartamentos, etc.

 

Até à próxima viagem, mas até lá… uma aguinha das pedras talvez não seja mal pensada, e sobretudo, deixem passar o efeito das imperiais bebidas ao jantar.

 

 

publicado por Ana Vidal às 10:00
link do post
11 comentários:
De Manecas a 21 de Setembro de 2009 às 12:30
Obrigado Aninhas, por esta dos coentros e rabanetes!

Lá vou ter de adequar o nome dos ficheiros que te mando em conformidade...

Muitos Beijinhos!
De Ana Vidal a 21 de Setembro de 2009 às 12:42
Ainda bem que gostaste do nome para a tua nova rubrica. Mas estes coentros e rabanetes são dos que vão à mesa do rei, ou melhor, dos reis que somos todos nós.

O teu "Zé Manel" já está no meu roteiro gastronómico para uma visita, fora da época balneária. Lá irei, para confirmar as tuas escolhas (que assino de cruz, já se sabe) e submeter-me ao mau feitio do patrão...

Um beijo!
De Manecas a 22 de Setembro de 2009 às 09:15
É melhor dares um toque ao Zé e à Angela...Sempre vais protegida pelos locais...

Beijinhos
De rita ferro a 21 de Setembro de 2009 às 13:20
Ó Manecas - ou deverei chamar-te Lucifer? - está uma pessoa a querer fazer dieta e você a tentar-me com delícias destas, que só de ler já engordam? Socorro!!!
De Manecas a 22 de Setembro de 2009 às 09:17
É melhor queixar-se à Luisa. Ela é que me deu a ideia...

Mas as dietas é só antes do Verão, até lá estamos safos...Enfim...

Bjs
De Luísa a 21 de Setembro de 2009 às 15:47
Manecas, os «coentros e rabanetes» prometem. O gosto que dá ler sobre aventuras gastronómica toca todos os sentidos e esta primeira sugestão já me deixou como o pobre cachorro de Pavlov. E não sou apreciadora de lulas! Estou para ver o que acontece quando subir ao paralelo alentejano. :-D
De Manecas a 22 de Setembro de 2009 às 09:20
Tenho de ir alternando com outras escritas, porque a Rita, só com este inicio, já me roga pragas...mas havemos de lá chegar...

Bjs

PS - ...e a Luisa é que me deu esta ideia, portanto não me culpem depois das adiposidades...
De Lúcio a 21 de Setembro de 2009 às 17:28
Hmmm, lulinhas em caçarola de barro... E eu que ainda nem almocei, suspiro.
De Manecas a 22 de Setembro de 2009 às 09:21
A sugestão para almoço está porventura um pouco longe demais...Mas para jantar...

1 AB
De mike a 22 de Setembro de 2009 às 13:28
A menina Ana autorizou e fez muito bem, Manecas. :)
Como não padeço dos mesmos receios da Rita Ferro (gargalhada abafada a custo), acompanharei esta "volta" com muito prazer. Está visto que coentros e rabanetes só não vão à mesa do rei. ;)
De Manecas a 22 de Setembro de 2009 às 15:16
Desde que o rapaz se adapte à tasquinha por mim qualquer um pode vir...!

Rabanetes não gosto lá muito, mas quanto aos coentros...

1 AB

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

Rosa dos Ventos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds