Domingo, 12 de Julho de 2009

Azinhagas da memória

Manuel Fragoso de Almeida

 

 

Obrigado por tudo, Deolinda!

 

Talvez não devesse escrever numa 2ª feira um texto assim, mas gostava muito de deixar este agradecimento a uma pessoa que sofre muito e que a doença vai levar. Visitei-a esta 5ª feira no IPO e ainda pude relembrar, com gosto, aqueles feijõezinhos…

 

Ela já não fala, mas sei o que sente.

 

No primeiro “conto” que escrevi sobre Nisa, há alguns anos, a propósito dum desejo meu dum Natal mais simples e menos materialista, ela é uma das protagonistas. Mas como o texto é um pouco maior que o costume, resolvi publicá-lo no blog da família Fragoso de Almeida e assim a Ana pode endereçar este texto para lá sem forçar a Porta do Vento.

 

É-me muito difícil vê-la sofrer, mas a amizade é também uma presença sentida… e guardo alguma serenidade quando sei que pude estar presente.

 

Aqui fica o meu Obrigado Deolinda, e que Deus a acompanhe sempre no caminho da nova vida. Sei que os feijõezinhos estão preparados para a minha chegada…

 

Até um dia!

 

 

Nota: Por avaria técnica (do meu mail) o Adivinhe quem vem jantar? passará para 3a ou 4a feira, quando a Luísa já tiver voltado de viagem e possa reenviar-me o seu post, que anda perdido na estratosfera. Para já, aqui ficam as Azinhagas do Manecas.

publicado por Ana Vidal às 10:00
link do post
10 comentários:
De mike a 12 de Julho de 2009 às 20:12
Uma homenagem simples e bela à Deolinda que, estou certo, sabe o amigo que tem. Um abraço.
p.s. - fui ao blog da Família Fragoso de Almeida e não é que dou de caras com o Fred, que conheço muito bem e com quem trabalhei.
De Ana Vidal a 12 de Julho de 2009 às 20:20
Manecas, que ideia engraçada ter um blog de família onde todos podem deixar recados, ideias, beijos, etc. Gostei imenso de visitar-vos.
Um beijo
De Manecas a 12 de Julho de 2009 às 22:54
Já puz uma resposta que era para o Mike e que apareceu em ti, enfim...!

O blog foi ideia do meu outro filho, o Miguel, e resultou duma discussão também de Natal (substituir ou não o presente de cada um para cada qual, por um sorteio em que um receberia o presente de um outro).

A facção dele ganhou (o argumento chave foi o de, mesmo tendo de ser pouco queremos dar a cada pessoa) e ele disse-me: "...há presentes sempre baratos que são possiveis de oferecer..."

No final construiu três blogs (com toda a estrutura montada, passwords, niveis de acesso, etc.) e um folheto explicativo para cada pessoa, impresso na empresa dele.

Tive de meter a viola no saco...!

Um beijinho para ti, claro!
De Manecas a 12 de Julho de 2009 às 22:44
Pois então eu sou o pai do Fred!

1 AB
De mike a 12 de Julho de 2009 às 23:02
Realmente a vida tem destas coisas, Manecas. Dê um abraço ao Fred... tem um rapaz às direitas. :)
De Manecas a 13 de Julho de 2009 às 14:24
Pedi à Ana os seus contactos, e mandei para o Fred.

Agora entendam-se, ou reencontrem-se, que eu já fiz a minha parte, com a benção da Ana, claro...

1 AB
De ritz_on_the_rocks a 13 de Julho de 2009 às 00:21
Adorei a história
Abraço
Rita V.
De Manecas a 13 de Julho de 2009 às 14:25
Muito obrigado!

beijinhos
De rita ferro a 13 de Julho de 2009 às 10:21
Também tive uma Deolinda, uma vez. A minha mãe perdeu-lhe o rasto e ainda hoje não lhe perdoo por isso. Não sei se bebo leite todas as noites porque ela me habituou, se por homenagem ao carinho que me deu sempre. Quando passou aquele programa pimba da TV, que localizava pessoas tresmalhadas, tive a tentação - tão humana - de concorrer só para a encontrar. Sei do que fala, Manecas. Não gostava que a minha Deolinda morresse como a tua sem partilhar com ela as minhas «azinhagas»... Obrigada, trouxe-me gratas recordações! Como sempre,
aliás :-))
De Manecas a 13 de Julho de 2009 às 14:27
Obrigado eu, pelas palavras, e pelo apoio.

1 Beijinho

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

Rosa dos Ventos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds