Segunda-feira, 29 de Junho de 2009

Ideias à Solta

Manuel Fragoso de Almeida

 

A madrugada de Lisboa acolheu-nos chorando, com lágrimas quentes, gentis, enternecedoras… 

 

Deixámos Montemor impregnada de melodia, de fado, mas sobretudo transbordante de amizade simples, sincera, eterna. 

 

As enormes pedras, agrestes e sós, as oliveiras que lutam por cada nesga de terra para brotarem em troncos viris por entre os brutais pedregulhos, as luzes das velas dispostas ao redor da piscina, que iluminam as nossas almas deixando somente vislumbrar as silhuetas, a casa disposta num enorme abraço acolhedor no meio da noite, serena, silenciosa e meiga, ficaram emudecidas deixando fluir os sentimentos, a melodia, a paz de cada palavra cantada. 

 

A vida faz-se de pequenos nadas, mas constrói-se com a solidez de cada laço, com a força de cada relação, com a saudade de cada momento, o sonho de cada amanhã. 

 

Obrigado João e Madalena, pelos momentos que nos fizeram sonhar, pelas saudades que nos fizeram sentir, por uma noite de ternura imensa. 

 

O acordar é mais suave, o olhar mais ao longe…ainda sonhamos… 

 

É já dia, mas deixámos convosco um pouco de todos nós, com a amizade apertada por tantos laços e enriquecida por tantos sins.

 

Obrigado.  

 

PS – Xica, não pares de cantar. A tua alma desabrocha e floresce a cada nota que nos dás de presente!  

 

Adenda: Para quem não está dentro do assunto - e sei que a maior parte dos leitores da Porta do Vento não está - o Manecas refere-se, neste post, a um jantar em que ambos estivemos ontem, entre outros amigos de longa data. O Alentejo continua lindo, o monte é um primor, a festa foi óptima e eu gostei, sobretudo, de rever gente que não via há muitos anos. Acrescento o meu obrigada à Madalena e ao João, por uma noite excelente. Até sempre. E, Manecas, quanto a vocês não sei, mas nós conseguimos encontrar o caminho de volta à estrada à primeira, sem problemas... e sem gps!

 

Etiquetas:
publicado por Ana Vidal às 07:30
link do post
36 comentários:
De Manecas a 29 de Junho de 2009 às 10:40
Obrigado Ana pela tua ajuda...

Quanto ao caminho de volta...

Enfim percebo a tentativa, mas eu já lá tinha ido várias vezes, pelo que estou em vantagem...mesmo depois de jantar, fados, sangria, vinho tinto, etc...

Beijinhos
De Ana Vidal a 29 de Junho de 2009 às 23:39
Batoteiro! :-)
De mike a 30 de Junho de 2009 às 00:05
Viperina!
De Ana Vidal a 30 de Junho de 2009 às 11:07
Viperina era a senhora sua tia, menino Mike... :-)
De mike a 30 de Junho de 2009 às 23:45
E não é que era mesmo? lol
De Ana Vidal a 30 de Junho de 2009 às 23:56
Eu sabia...
De Rita Ferro a 29 de Junho de 2009 às 12:12

Olha que bonito e raro o gesto de aproveitar um espaço público para mandar um recado privado de celebração à amizade! Bem-aventurados os que resistem à desumanização das relações!
De Manecas a 29 de Junho de 2009 às 12:52
Há que inovar Rita...

Virtudes privadas expostas em público...!

Da próxima vez a malta convida...Não achas bem Aninhas?

Bjs
De Rita Ferro a 29 de Junho de 2009 às 13:10
Tem piada: vocês em montemor-o-novo e eu no velho, à mesma hora, a entristecer com o desaparecimento do restaurante Ramalhão, que era uma das pérolas do meu imaginário, por ter um cardápio requintado como filigrana, de ir às nuvens! «Parece que o dono avariou», avisou-nos um local com um pequeno estalido de língua, abanando a cabeça, com aquele ar de que um louco já não preste para nada a não ser para dar trabalho aos desgraçados dos equilibrados que ficam por cá a carregar o fardo. Espantoso, não é? É assim que a vida agradece a quem passou décadas a servir as mais preciosas iguarias conventuais aos desprevenidos que por ali passavam... «Bolas», disse eu. E rumámos até à Figueira, comer sardinhas de escabeche alimadas. Não é a mesma coisa, mas sempre há o mar, para esquecer o que a vida às vezes merecia que a gente lhe fizesse!
De Manecas a 29 de Junho de 2009 às 15:00
Realmente a vida muitas vezes não é justa...!

Bjs
De Luísa a 29 de Junho de 2009 às 14:30
Manecas e Ana, acho que também tenho de agradecer à Madalena e ao João pelos vossos tão sugestivos textos e pelo excelente momento que vivi através deles. Esse tipo de encontros de amigos, despreocupado, livre do bulício citadino e dos constrangimentos temporais, é e sempre foi, para mim, uma das melhores coisas da vida. :-)
De Manecas a 29 de Junho de 2009 às 16:49
Obrigado Luisa!

O mérito é realmente do João e da Madalena que são mestres na simpatia e na organização...

Bjs
De Ana Vidal a 29 de Junho de 2009 às 23:45
Sim, Luísa, foi uma descontracção igual à de há muitos anos, quando o grupo ia estudar para aquela espécie de república abençoada (e sem adultos...) que era a nossa casa em Lisboa. Por isso o tema do jantar: "Os malucos da Junqueira". Foi divertido encontrarmo-nos todos outra vez. :-)
De ritz_on_the_rocks a 29 de Junho de 2009 às 18:48
Boa!
Para a próxima avisem com antecedÊncia para eu ir largando os véus no caminho
assim
como os chocolates
um a um
para ninguém se perder
bjinhos

ergo o meu copo à amizade
'tchin tchin'
De Manecas a 29 de Junho de 2009 às 18:57
UUUURRRRAAAA!!!!!
De ritz_on_the_rocks a 29 de Junho de 2009 às 21:03
... deduzo que seja uma exclamação de alegria ...

(i hope)

eh eh eh
De Ana Vidal a 30 de Junho de 2009 às 12:13
Também brindo a isso!
De Francisca Deslandes a 29 de Junho de 2009 às 23:30
Não posso falar dos tempos que passámos juntos e do prazer do reencontro, porque na realidade só conhecia cerca de 5 pessoas! Posso dizer, no entanto, que espero vir a ter amigos destes quando "for grande"!

Somos um grupo grande tal como este, do qual a Catarina (filha do Manecas) também faz parte, e penso que partilha da mesma opinião que eu...
Espero daquia 20..30..40 anos continuar com amizades como as que ali se demonstraram e espero também que alguém tenha o mesmo espírito de iniciativa para organizar jantares destes!
Para nós, "os mais novos", que estão agora na fase de mudança de vida (faculdade, empregos novos, pessoas novas...), que dão agora mais um passo, foi um exemplo a seguir de como "agarrar" as amizades e a importância que elas têm! Obrigada por nos mostrarem isso e obrigada também pela noite!

Ah, e parabéns pela casa! É realmente espectacular!

Muitos beijinhos

Xica
De Manecas a 30 de Junho de 2009 às 08:54
Pelo que escreves vão seguramente no bom caminho.

Na vida, na verdadeira essência da vida, prevalecem sempre os sentimentos, e é isso no fundo que sempre soubemos preservar ao longo do curso e ao longo de tantos momentos que passámos juntos.

O bichinho da amizade também está com vocês, por isso...

E é fácil, diz que vais cantar, e o pessoal aparece logo todo...!!!!

Muitos Beijinhos
De Rosário / João Pedro Saldanha a 29 de Junho de 2009 às 23:31
Manecas, que bem escrito! Não consigo expressar-me com tu, mas também gostava de dar, à Madalena e ao João, muitos parabéns por tudo, receberem-nos tão bem na vossa casa, que é tão bonita, tão bem integrada na paisagem, e uma verdadeira caixa de surpresas. Tal e qual os donos, também pelas palavras do João que nos comoveram. Tive pena de não termos tido mais tempo para conversar mais, mas espero, que este reencontro se repita muito mais vezes.

Bjs e abraços

Rosário e João Pedro

De Manecas a 30 de Junho de 2009 às 08:57
Obrigado por tudo o que dizes, e também por vocês terem ido.

Sei quantas duvidas te surgiram, seguramente...

A casa do João expressa profundamente o abraço de quem nos acolhe, tens toda a razão!

Beijinhos (e as melhoras do teu pai)
De Mª João / Eduardo S. dos Reis a 29 de Junho de 2009 às 23:34
Com palavras tão profundas e ilustrativas como as que estão no blog nada tenho a acrescentar a não ser :
Viva a amizade !!! que ela perdure por muitos anos !!! E não seja a distância física que contribua para o seu atenuar!!!

Parabens Madalena e João pelo tão agradável serão.

João e Eduardo
De Manecas a 30 de Junho de 2009 às 08:59
Obrigado pelas vossas palavras, mas os agradecimentos são relamente devidos ao João e à Madalena.

Beijinhos

De Madalena / Luís F. Leite Rio a 29 de Junho de 2009 às 23:38
A excelência do local, a simpatia dos seus donos e dos amigos, tornam inesquecivel a noite de 27 de Junho. Obrigado não chega.

Luis e Madalena
De Manecas a 30 de Junho de 2009 às 09:01
E aqui ficam também os agradecimentos pela excelência do canto...!!!

Bjs e Abs
De mike a 30 de Junho de 2009 às 00:07
Manecas, podiam ter deixado Montemor impregnada e transbordante de todas essas coisas bonitas, mas poupá-la ao fado, caramba. ;)
De Manecas a 30 de Junho de 2009 às 09:04
O fado faz parte das coisas bonitas!

O fado cantado por alguns artistas faz parte de coisas muito bonitas, e ouvir uma miuda de vinte e poucos anos a cantar como a Xica o faz, é realmente comovente.

Para a próxima, quando se proporcionar uma nova sessão de fados, o Mike está convidado!

1 AB
De mike a 30 de Junho de 2009 às 10:45
Obrigado, Manecas. E irei. Mas não acalente muitas esperanças na mudança da minha relação com o fado. ;)
Um abraço.
De Ana Vidal a 30 de Junho de 2009 às 12:14
Casmurro!
De mike a 30 de Junho de 2009 às 23:46
Maria-vai-com-as-outras!
De Ana Vidal a 30 de Junho de 2009 às 23:59
Maria-vai-com-os-outros, Mike. Sempre há uma diferença, que diabo... :-)
De mike a 1 de Julho de 2009 às 01:16
lol
De Manecas a 30 de Junho de 2009 às 13:47
Vai uma apostinha?
De joão a 30 de Junho de 2009 às 22:55
Ok rendo-me !!!
Depois de tantos comentários e de tanto me babar, não resisto à tentação de escrever também o meu comentário.
Tenho a noção que se conseguiu criar o ambiente apropriado para um jantar especial.
Mas a componente mais importante foi levada por cada um dos participantes.
Uns levaram a Amizade, outros foram até lá pela Empatia. (nós demos os "comes" lol ).
Limitamo-nos (a Madalena e eu) a recebê-los o melhor que sabemos, mas com o mesmo prazer, que sabemos que tiveram em participar nesta demonstração, daquilo a que podemos chamar " a nossa Amizade".
Seria injusto não mencionar o leque de vozes fantásticas, que a Empatia levou a que se juntassem a nós. E o enlevo dos que os escutavam, ficou bem patente no tamanho daqueles enormes silêncios.
Três agradecimentos especiais: ao rouxinol do xaile branco; ao São Pedro pelo tempo... e à Alexandra pela "Chuva".
...Já agora um quarto agradecimento: A TODOS

Madalena e João

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

favoritos

O triunfo dos porcos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil


ver perfil

. 16 seguidores

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds