Sexta-feira, 3 de Julho de 2009

Lapsus Linguae

João Paulo Cardoso

 

No País dos Recordes

 

Gloriosa nação de Portugal!

 

500 anos depois, o nosso país volta a ser uma potência mundial, pelo menos em matéria de recordes no Guiness Book, com a preciosa ajuda do grande macho latino com ar de ursinho de peluche, Tony Carreira, esse trovador dos novos tempos.

 

Milhares de pessoas estiveram no Parque da Bela Vista à volta das chamuças e coxinhas de frango, sumóis e tintol, no maior piquenique do mundo.

Aplaudiram o Tony no maior aplauso do mundo e fizeram tanto lixo que também conseguiram encher o maior ecoponto do mundo.

 

Tal como Martin Luther King, neste momento da nossa história "I Have a Dream".

 

Sonho com novos recordes, inebriantes momentos de júbilo e fogo-fátuo.

Anas Malhoas, caldo verde e sacos azuis.

Fios de prata pendurados numa mata de pelos, gente que diz "prontos" e jogos de matraquilhos.

 

Meus amigos, este é o momento!!

 

Não devemos deixar que a inércia abrande esta dinâmica de vitória nascida à sombra de um pinheiro, numa toalha aos quadradinhos, entre morcelas e pudins flan!!

 

Venha comigo e ajude-me a organizar o próximo recorde do mundo!!

 

No caso, "O Maior Número de Tugas nos Centros Comerciais Vestindo Fatos de Treino".

 

Para já, só posso adiantar que vai ser a um domingo, em dia de eleições, que é para que ninguém tenha sequer a veleidade de faltar.

 

Ainda pensei convidar o Kenny G. para a animação musical, já que a música de elevador não difere muito da dos centros comerciais mas, lá está, como é dia de eleições, alguém poderia gritar "no blow job for the boys!"

 

Pessoalmente sou obrigado a concordar que não é muito bonito ver homens tão entusiasticamente empenhados a soprar num instrumento, mas isso sou eu, que não percebo nada de aceleração de partículas nucleares.

 

Matando o Kenny, ressuscitei a Barbi.

 

A Barbi é uma moçoila lá do bairro que não canta nada de jeito, mas que tem uma prateleira e uma bagageira mais imponentes que as da citada Ana Mamalhoa e, parecendo que não, neste tipo de espectáculos para a populaça, é mais importante ter uma artista com a capacidade de um contentor de Alcântara do que com a qualidade de um fadista de Alfama.

 

Além da Barbi e dos assegurados comes e bebes, no caso com a colaboração da McDonald's, Companhia das Sandes, Pizza Hut e Farturas Tialice, o importante é mesmo que apareçam muitos, bué da pessoal, resmas de people, vestidos de fato de treino.

 

Sofisticados, surrados, Adidas vintage ou Rio Boque da Feira da Ladra, às risquinhas, estampados, descosidos, largueirões ou daqueles que realçam as bochechas do rabo, não importa.

 

Espero sim que sejam muitos, mais que as mães, e que Deus providencie um lindo terramoto que os leve a todos.

 

 

Etiquetas:
publicado por Ana Vidal às 07:30
link do post
10 comentários:
De mrunikaki a 3 de Julho de 2009 às 13:22
Não me estranha a ausência de comentários a esta hora do dia.... Deve estar tudo boquiaberto com, e cito, "Fios de prata pendurados numa mata de pelos", "no blow job for the boys!", "homens … empenhados a soprar num instrumento" e, claro, a "moçoila … que tem uma prateleira e uma bagageira … imponentes".

Já quase me esquecia que o mote é entrar para o book of records com fatos de treino em centors comerciais em dia de eleições. Desde logo haverá que decidir se autárquicas se para a assembleia.....

Sugiro, porém, uma alternativa que, eventualmente, possa diminuir a abstenção: mirones é o que há mais em Portugal e nada como, junto de cada assembleia de voto, colocar uns artistas com fios de prata pendurados numa mata de pelos, recusando-se a fazer aquelas coisas dos boys, embora a soprar num instrumento e moçoilas com prateleira e bagageira imponentes. Nível de abstenção de 10%, correspondentes aos mortos que continuam a figurar os cadernos eleitorais. Não íamos para o livro dos recordes, já houve eleições com 0% de abstenção, mas era muito mais divertido!!!
De meunikaki a 3 de Julho de 2009 às 13:23
meunikaki, claro!
De Ana Vidal a 3 de Julho de 2009 às 13:37
Ah, a língua portuguesa é muito traiçoeira, Meunikaki... a mata de pelos com fio de prata pendurado sugere-me apenas uma peitaça de macho latino... e a si? :-)

Quanto à sua estratégia de combate à abstenção... quem sabe? Já experimentou dar essa ideia ao governo? Ainda lhe fazem uma estátua...
De meunikaki a 3 de Julho de 2009 às 14:31
Há para todos os gostos, como se depreende do texto inicial. Quanto a estátuas, preferia uma condecaração em ouro, que sempre dava para derreter...
De Ana Vidal a 3 de Julho de 2009 às 15:59
Não queria mais nada, Meunikaki! Leva a estatuazinha e já vai com sorte, que o ano é de contenção de despesas... lol
De Ana Vidal a 3 de Julho de 2009 às 13:38
JP, obrifgada por me fazeres rir com alguma coisa que vá para além da tauromaquia política!
De João Paulo Cardoso a 3 de Julho de 2009 às 15:34
Obrigado eu pelas marradinhas no ego que a Ana e os leitores da "Porta" me proporcionam.

Hoje no "Eldorado", como não poderia deixar de ser, escreve-se sobre Manuel Pinho e a sua vocação para as touradas.

Incontornável e irresistível inspiração para a escrita de humor, este boy de Sócrates.

Em
http://oeldorado.blogspot.com

Beijos e abraços.
De Sun Iou Miou a 3 de Julho de 2009 às 17:43
Quem bom texto para começar um tarde de Sexta se não fosse tão real. Mas já me ri, que não é pouco. E o terramoto, peço eu agora, que os leve a todos e mais alguns, fios de prata e matas de pelo incluídos; as prateleiras e as bagageiras, não, que ainda se salvam para reciclagem.
De maf a 3 de Julho de 2009 às 21:34
ri-me a bom rir com este texto divertido, real e actual. Antes de ler a frase final "que venha um terramoto que os leve a todos" já estava toda lampeira a pensar no meu fatinho de trem roxo e no meu téne . Mas pensando bem, acho que a minha missão aqui na terra ainda não está completa, não quero morrer já, por isso, perdoe-me V.Exa . mas declino o seu amável convite para o grande evento Os Tugas Vão Ao Shópingue . :-)
De Luísa a 4 de Julho de 2009 às 13:32
João, faço minhas as palavras da Maf. Faria o esforço do fatinho de treino e do centro comercial pelo seu recorde e pelo gozo do espectáculo, mas em segunda análise, prefiro ficar recolhida e aguardar notícias. Tanto mais que só os seus expressivos planos já me proporcionam uma boa antevisão. :-D

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

Rosa dos Ventos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds