Domingo, 14 de Junho de 2009

Adivinhe quem vem jantar?

Luísa

 

No rescaldo do passado fim-de-semana, que veio abalar tantas certezas, não resisti a sugerir à nossa anfitriã este convite. Pouco conhecemos da personagem, mas a figura não impressiona, míope, rechonchuda, atarracada, de um porte «flinstoniano» maciço e sem graça. Além disso, emerge do relativo anonimato de uma carreira em leis, promissora mas embrionária, cavalgando a onda da política, que não costuma depositar nos areais senão lixos e sargaço viscoso e repulsivo. No entanto, se lhe associarmos à figura o riso alegre e bonacheirão e a atitude franca, igualitária e modesta q.b., somos capazes de identificar, no nosso convidado, um estranho carisma, do mesmo tipo do que - alguém lembrava há dias - nos permite reconhecer, no saudoso mas picaresco Vasco Santana, condições para personificar o herói e o galã do melhor cinema português. À simplicidade é difícil regatear simpatia. E ao humor, negar encanto. No caso, as companhias parecem ainda avalizar-lhe alguma seriedade e capacidade de resistência às corrupções do poder. Sinais que aliviam o peso da atmosfera de sombras e miasmas em que temos vivido. Haja esperança!

 

Não adivinhamos o que se seguirá ao seu inesperado sucesso. Sabemos, do cinema, que a ascensão do «Vasquinho da Anatomia» ao «Doutor Vasco Leitão», passando pela decifração do enigma do «mastóideo» (ou pelo convencimento de renitentíssimos examinadores), implicou uma pontinha de euforia e de vaidade. E também sabemos que há sempre aqueles que, por inveja, despeito ou pura malvadez, não deixam de espiar e denunciar todas as incongruências do passado, do presente ou do futuro às «velhas tias desnaturadas», que, no exercício do seu peculiar sentido de justiça, estão geralmente mais abertas a perdoar os grandes erros dos poderosos do que as pequenas fraquezas da gente normal.

 

Mas o momento é de festa, os Santos Populares estão na rua, e não vamos torturar-nos com extemporâneas preocupações. Propomo-nos antes acolher o nosso convidado com um jantar ao ar livre, no espírito brejeiro do arraial, com fitinhas, arcos, balões, marchas e cantigas, muito caldo verde, muita sardinha assada, pingada na fatia de pão saloio… e especial abundância de sangrias e bons tintos, pois não queremos que a criatura se nos exima à discursata da praxe com desculpas de que não tem dotes oratórios, não tem palavras… e não tem vinho!

 

Acrescentamos uma nota para as nossas comensais femininas. O convidado é solteiro. E em conformidade com a imagem, que vende, de português clássico, afectivo, de forte pendor familiar, já esclareceu que está no mercado à procura da sua «fada do lar». Recomendamos, portanto, às interessadas que tratem de cultivar os dotes seguros da agulha e do dedal – não esquecendo os da colher de pau que, pelos caminhos dos estômagos, também aquecem corações. Sabemos, no entanto, do cinema, que verdadeiramente sedutoras são as «traidoras de franja». Aos cabeleireiros, pois!

 

publicado por Ana Vidal às 11:49
link do post
30 comentários:
De Ana Vidal a 14 de Junho de 2009 às 12:14
As minhas desculpas no atraso da postagem, Luísa, mas o meu computador está embirrento desde ontem. Se calhar foi ao cabeleireiro também. ;-)

Quanto a mim, ainda não é desta que me converto à franja... mas é com muito gosto que recebo consigo este convidado vitorioso e lhe dou o benefício da dúvida. Afinal de contas, tem uma tarefa dura pela frente e todo o apoio será pouco! Espero que se aguente assim simples e afável, trunfos que lhe serão muito vantajosos porque vão rareando cada vez mais nos seus colegas de profissão.

Enfim, vou já tratar das brasas para as sardinhas e para os pimentos, e cortar a fruta para a sangria. Venham os arquinhos e balões!

De Luísa a 14 de Junho de 2009 às 22:19
Pois eu, Ana, já estou há muito convertida à franja, mas também tenho de ir apará-la ao cabeleireiro que estou quase sem conseguir ver… Ou talvez seja melhor não ir, manter a vista meio «impedida» e apenas bem apurados os ouvidos, que é por aí, suspeito, que se apanha o maior «encanto» do convidado.
P.S.: Vou, aliás, desafiá-lo a improvisar, para todos nós, os acordos «choradinhos» de um «Fado do Eurodeputado»… ;-)
De Ana Vidal a 14 de Junho de 2009 às 23:16
Estou morta por ouvir isso, Luísa! Sempre quero ver como ele se sai a cantar, perturbado com a sua franja como vai ficar... :-)

De Luísa a 15 de Junho de 2009 às 00:27
Não vale gozar com a minha franja, Ana. ;-D
Aliás, é tão óbvia a minha falta de habilitações para fada do lar, que o nosso homem em três tempos se recomporia da perturbação… De resto, tal como com os chapéus, franjas há muitas!...
De Ana Vidal a 15 de Junho de 2009 às 00:37
Pois há, mas nem todas fazem sombra a uma testa de eleição como a sua, ora!!

Quanto à sua falta de habilitações para fada do lar, tenho sérias dúvidas... :-)
De Luísa a 15 de Junho de 2009 às 23:45
:-)))))
De Dom Quixote a 18 de Junho de 2009 às 09:44
Obrigado, Ana

A Esperança é a última a morrer! Mesmo quando há poucas razões para isso, nós inventamos a esperança, agarra-mo-la quando esvoaça no ar. Vale a pena.
Sim, tem cara de ser uma pessoa autêntica, humana e sabe-se que tem sentido de humor, um espírito ágil, em suma: para já, uma boa companhia para jantar.
De Luísa a 15 de Junho de 2009 às 01:23
Errata: onde se lê «acordos», deve ler-se «acordes».
De GJ a 14 de Junho de 2009 às 12:41
O rapaz tem enorme sentido de humor. Contará histórias e anedotas sem parar. É bom garfo embora se tenha habituado a comer entre aeroportos e aviões. A rota Porto- Lisboa da TAP será substituída pela Bruxelas-Porto.
No jantar onde estarei presente, para lhe dr umas dicas sobre a utilização do gel no cabelo, temos de o puxar mas para as gentes alfacinhas. Queremos que PR não se esqueça que o país está repleto de moças casadoiras e de onças com franja a condizer.
Até logo, Luísa. ;)
De Luísa a 14 de Junho de 2009 às 22:31
É a ideia que me dá, GJ, de que é um bom garfo, um bom copo e um melhor conversador. E as suas dicas sobre o gel produzirão, estou segura, um «extreme makeover»: arriscam-se a torná-lo irresistível! Espero que sejamos capazes de conter o rebuliço nas fileiras femininas. ;-D
De fugidia a 14 de Junho de 2009 às 15:09
Ora bem,
confesso que apesar de detestar estas festas dos Santos, as sardinhas e quejandos, pode contar comigo para este jantar.
Estou com curiosidade de conhecer este senhor que, segundo consta, era o verdadeiro ministro da justiça no tempo do Aguiar Branco (que foi um bom ministro, sbtd se comparado... pois...)

Bom domingo Luísa (era tão querida se me fizesse uma saladinha à parte...)
:-))))
De Luísa a 14 de Junho de 2009 às 22:48
Querida Fugidia, mas claro que terá a sua salada muito rica em verdes… e, por que não, com um ou outro tomatinho «cherry» para uma nota de cor «democraticamente» contrastante. ;-D
Não sabia desse papel do nosso «Paulinho das Leis» no tempo do Aguiar Branco. Mas parece-me uma pessoa estudiosa e segura nas matérias sobre que é instado a pronunciar-se. Há dois ou três elementos da nova geração partidária, gente com algum currículo já feito fora da política, na advocacia ou no mundo empresarial, que me estão a despertar bastante curiosidade.
De meunikaki a 14 de Junho de 2009 às 15:56
Não fosse ler os comentários, quase ficava a "leste do paraíso"; fico a saber, agora, quem é esse "paraíso" e onde fica: Bruxelas. O que vos vale é que parece que o Parlamento paga deslocações semanais a Lisboa. Que rodopio a Bruxelas seria se assim não fosse. No mais, franjas no caso, não creio que o "paraíso" se encante por esses encantos. lol
De Luísa a 14 de Junho de 2009 às 23:10
Ora essa, Meunikaki, se o «paraíso» bruxelense tem alguma coisa contra as franjas, é porque é um «paraíso» de gosto muito questionável! A franja marca o «paraíso» alfacinha desde há mais de três quartos de século, e pode mesmo considerar-se um clássico intemporal (que remonta à antiguidade egípcia!) :-D
Parece que sim, que vai haver deslocações regulares entre cá e lá e ainda bem. Não se dispensam «estrategas» em pleno combate. ;-)
De meunikaki a 14 de Junho de 2009 às 23:24
lol, desculpe se me rio
Entendi as franjas como classificação depreciativa de algumas meninas / senhoras; recordo serem «traidoras de franja». Não creio que o "paraíso", já agora não se nomeie o mesmo, se encante pelos encantos das «traidoras de franja», mas sim por outras sem a tal depreciação original
De Luísa a 15 de Junho de 2009 às 00:37
É verdade, Meunikaki, tinha-me esquecido do pormenor das «traidoras». Mas essas «traidoras» têm o encanto das incertezas sentimentais, das inacessibilidades amorosas. O «Vasquinho da Anatomia» apaixonou-se pela «traidora da franja» e o nosso «Paulinho do Parlamento Europeu» não tem, cá para mim, um coração mais resistente. ;-)
De ritz_on_the_rocks a 14 de Junho de 2009 às 16:59
Não conheço este seu convidado, ainda não me debrucei sobre o seu CV ... acho que vou deixar passar as festas ... mais as sardinhas, os arcos e balões e esperar por melhores dias ... pelo que desta vez ... passo!
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Não conheço este seu convidado, ainda não me debrucei sobre o seu CV ... acho que vou deixar passar as festas ... mais as sardinhas, os arcos e balões e esperar por melhores dias ... pelo que desta vez ... passo! <BR><BR class=incorrect name="incorrect" <a>bjinhos</A> p si do Alentejo Profundis
De ritz_on_the_rocks a 14 de Junho de 2009 às 17:01
( acho que isto hoje não correu lá muito bem publicou o comentário a dobrar e cheio de informações.... e eu que só estava a querer mandar bjinhos )

:-)
De Luísa a 14 de Junho de 2009 às 23:25
Rita, às vezes também me saem estes comentários cheios de códigos estranhos. Mas a mensagem chegou ao destino e foi compreendida: nem o perfil «Flinstone», nem a sardinha no pão fazem o seu género. Estou solidária com o desinteresse pelas sardinhas (mas Santos Populares são Santos Populares…). E quanto ao resto, confesso que, apesar da minha compridíssima franja, não sou – repito: NÃO SOU – candidata a fada do lar. Estamos, portanto, em sintonia no essencial. ;-D
Bjs.
De ritz_on_the_rocks a 15 de Junho de 2009 às 17:30
eh eh eh
... e essa franja ?
é defeito ou feitio?
ah ah ah
bjs
:P
De Luísa a 15 de Junho de 2009 às 23:44
Neste momento, Rita, é defeito e dos grandes: uma cortina sobre os olhos que quase me faz ver o Sol às tiras. Mas, a muito curto prazo, será apenas feitio… e interessante! ;-D
De ritz_on_the_rocks a 16 de Junho de 2009 às 00:19
... e que sorte não ver o Sol aos quadradinhos
ah ah ah

bjs
Rita V.
De JdB a 14 de Junho de 2009 às 18:56
Luísa: sou sincero - se bem que esta expressão pague direitos de autor aqui no estabelecimento. Do cavalheiro em questão retenho, talvez, o seu sentido de humor, que li algures ter. Vou sobretudo pelas sardinhas e por tudo o resto. Delicadamente, a seguir ao arroz doce (não vi referência a doces...) retirar-me-ei, que ele quererá dançar com a potencial fada do lar. E eu não sou elegível.
De Luísa a 14 de Junho de 2009 às 23:44
João, e eu aprecio a sinceridade. Mesmo se ela nos priva da sua companhia no momento decisivo do bailarico. Lá terão algumas senhoras, sem par, de se abster do pezinho de dança… :-)
De JdB a 14 de Junho de 2009 às 23:52
Vá. Talvez repense, então...
De Luísa a 15 de Junho de 2009 às 00:07
:-)))))
De imprevistoseacasos a 14 de Junho de 2009 às 19:05
Cara Luísa
Devagar, devagar, este político credível, aparente bonacheirão, com um perfil curvilíneo, vai subindo, subindo, até que alguém o derrube, por falta de carisma, talvez, ou apenas porque a demagogia não é apanágio de todos na política. Enfim...parece-me que o convidado já conquistou a simpatia de muitos de uma forma transversal, o que é raro nos nossos dias.
Luísa, permita-me que como alentejana de gema que sou, sugira uma ementa inspirada na minha região, regada com os nossos néctares e finalizada com doces conventuais regionais.
O que acha?
Beijinhos da Fernanda
De Luísa a 15 de Junho de 2009 às 00:06
É verdade, Fernanda, que as hipóteses de «sobrevivência» são escassas: seja porque se mantém sério e perde a confiança dos políticos, seja porque se deixa corromper e perde a confiança dos cidadãos. A ver vamos o que acontece. Quanto às especialidades alentejanas, a que tenho recorrido algumas vezes nestes jantares (porque fazem muitos dos meus pratos, doces, vinhos favoritos), ficam já prometidas para o próximo convidado que as mereça (porque não é qualquer um!) :-)
De Dom Quixote a 17 de Junho de 2009 às 17:52
Excelente escolha. É refrescante que apareça uma pessoa genuína, quero dizer, prescindindo do envelope de plástico, tipo pinóquio ou qualquer outro boneco fabricado pela "ciência da comunicação". Ainda por cima, uma pessoa que estudou, esforçou-se nos caminhos árduos das ciências jurídicas, fez um excelente lugar no Ministério da Justiça (por acaso eu tenho dados concretos sobre o tipo de desempenho como SEJ) e,- pasme-se! - tudo isto no mundo real, sem se ralar com as virtualidades da propaganda.
É exactamente de gente assim que precisamos, não é? a melhor companhia, sem dúvida....
De Luísa a 18 de Junho de 2009 às 02:09
Meu caro Dom Quixote, espero que o futuro só venha confirmar esta nossa confiança. Mas agrada-me saber que tem referências concretas. Eu vou pela cara e pelo estilo, que acho sempre muitíssimo reveladores. Mas são mais falíveis do que os actos, claro. :-)

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

favoritos

O triunfo dos porcos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil


ver perfil

. 16 seguidores

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds