Sábado, 13 de Junho de 2009

Moleskine


João de Bragança

 

 

5ªfeira

A Ana V, que me apresentou e me mostrou os meandros da blogosfera, convidou-me para participar no Porta do Vento. Alguns clamores interiores – a vaidade, a satisfação, a simpatia – empurraram-me de mansinho para o cadafalso, como quem envia um inocente para a degola. Uma voz dentro de mim (também há a da Petula Clark, mas isso ficará para outra altura) que se chama prudência, alertava sem cessar: vais escrever sobre o quê? Avancei para a auto-imolação com a alegria dos mártires.

 

Sábado

Circunstâncias próprias da vida levam a que seja o número impar na casa de alguns amigos. Neste jantar de sábado somos onze. Apercebo-me, com um sentimento misto de injustiça e espanto, de que até aí somos judaico-cristãos. De facto, Noé convidou um par de cada espécie para fugir ao dilúvio. É gratificante pensar que há quem tenha uma visão teimosa da amizade, como se um qualquer Noé acenasse a um peru ou a uma égua que, vítimas de uma vida impiedosa, se quedassem sozinhos no cais de embarque sem bilhete, sem destino – e sem par.

 

Domingo

Dia da Solenidade da Santíssima Trindade. Conta-se que Santo Agostinho, molhando os pés nas praias de Hipona e meditando sobre esta estranheza de um mais um mais um ser igual a um, encontrou um rapaz que, paciente, baldeava água do mar para dentro de uma cova.

- O que fazes, rapaz?

- Tiro toda a água do mar e ponho dentro deste buraco.

- És mesmo tolo. Achas que algumas vezes conseguirás fazer isso?

- Tolo és tu. Mais cedo mudarei toda a água, do que tu conseguirás entender o mistério da Santíssima Trindade.

Assim acabou o diálogo curto entre o doutor da Igreja e um rapaz, que a lenda diz ser o Menino.

Na realidade, estes e outros mistérios são para se acolher, não para se entender.

 

3ªfeira

Na qualidade de Presidente da Acreditar sou convidado – juntamente com uma colega - para uma reunião com o responsável máximo de um grupo português da área da construção civil. Subo o elevador com uma secretária que, sorridente e simpática, diz conhecer-me da missa de Santo António do Estoril (gosto deste sentimento de comunidade não envergonhada) quando me lembro de uma história, supostamente com o cavalheiro com quem nos vamos encontrar.

- Então vocês vão apoiar a Acreditar?

- Sim, vamos.

- Mas quem é o Presidente?

- Não faço ideia. Mas é isso que eu gosto naquela associação. Nunca ninguém sabe quem ele é.

Quando, há pouco mais de um ano, recebi o testemunho de quem me precedeu na presidência, segurei nas mãos a imagem de todas as crianças que sofrem e sofreram de cancro, que passaram por nós e que se despediram para destinos nem sempre terrenos. O Presidente não é, na realidade ninguém, apenas o fiel depositário de uma luta injusta, porque protagonizada por gente que devia estar a brincar. Daqui a dois anos, outro continuará esta guerra. Anonimamente, porque o rosto que apresentamos ao mundo é, apenas e sempre, o de um Pai que abraça um Filho – um abraço de esperança, de certeza ou de dor.

 

5ªfeira

Não foi hoje, mas o Dia do Corpo de Deus, sabe-se lá porquê, provocou o pensamento fugidio, a lembrança de uma refeição que podia ter sido apenas eficaz, mas que se arrastou por horas perdidas e mansas. Há conceitos que se devem proferir com uma periodicidade teimosa: nada é mais importante do que o amor e o perdão. Estou tão certo disso como o estou da esfericidade imperfeita da Terra. Só isto é que permite uma caminhada confiante no lado luminoso da vida, derramando um olhar sereno e em paz sobre os transeuntes da nossa vida, não obstante todas as curvas da estrada. Há, no indulto, uma sensação de libertação e de pacificação interiores que deveriam viciar. Perdoar os que nos ofendem, desculpar os que nos magoam, relevar as agressões de que somos vítimas deveriam fazer parte do código de boas práticas de qualquer ser humano. Amor e perdão.

 

6ªfeira

Almas caridosas sugerem-me temas para o post de amanhã. E que tal um jantar com um convidado surpresa? Ou as memórias da tua infância? Resumos divertidos sobre os clássicos? Um espaço de humor, talvez? Temas polémicos, quem sabe... A todos respondo, com o desalento na voz: já existe, já há quem faça, já está.  A voz prudente dentro de mim (para além da Petula Clark, obviamente) continua a perguntar: sim, escrever sobre o quê?

 

 

Etiquetas:
publicado por Ana Vidal às 09:30
link do post
46 comentários:
De Ana Vidal a 13 de Junho de 2009 às 10:01
Bom dia, João. Seja bem-vindo a esta casa. Vai ver que encontrará um tema, ou vários, bem depressa.
Mas atenção, don't sleep in the subway ", como lhe dirá certamente a maviosa Petula Clark que há em si... just in case, o seu dia, para já, será o sábado, não vá ela embirrar e começar a dizer que "never on sunday ".

Aqui fica um presente, para o animar: http://www.youtube.com/watch?v=-rzR9F797l8

Um beijo
De JdB a 14 de Junho de 2009 às 18:12
Agora sim, com uma rede mais decente, posso agradecer condignamente tão simpático convite. Como diria o poeta, o caminho faz-se caminhando. E já vou abrir o seu presente...
De fugidia a 13 de Junho de 2009 às 10:33
Gostei muito de ler.
Gostei dos pedaços da vida que ficaram gravados neste seu Moleskine.
Gostei sobretudo do que disse sobre quem deve ser o presidente de uma associação que representa quem devia estar a brincar.
Bom fim-de-semana.
De JdB a 14 de Junho de 2009 às 18:17
Fugidia: obrigado pela sua visita. Espero voltar com mais pedaços de vida que nos façam meditar sobre algumas coisas. é preciso acreditar...
De João Paulo carodo a 13 de Junho de 2009 às 10:58
Brilhante estreia!

Penso que já está encontrado o ritmo e logo à primeira!

Afortunados os que o conseguem em qualquer tipo de interactividade...

Um abraço.
De Grande Jóia a 14 de Junho de 2009 às 18:47
Os textos do João Paulo são muito engraçados e a brincadeira com o lapso do Cardoso, bem podia pegar dada a sua brilhante carolice...:)))
De Rita Ferro a 13 de Junho de 2009 às 11:04
Querido João, mais um espaço para «torradarmos», que bom! A tribo está cá toda, falta a C., a A., e outros saudosos! Ana: não sobra um dia para o Mané? Tenho pena, sabes? Sei que não podes encher isto de escrevinhadores amigos, mas... TEMOS CULPA DE QUE SEJAM TODOS TÃO ESPECIAIS? Deixo um voto para o Mané e um abraço para ti, João querido! Welcome aboard, sailor!
De Ana Vidal a 13 de Junho de 2009 às 11:17
E falta também a nossa Rocha, que ainda hei-de converter à blogança... é uma questão de tempo. :-)

Quanto ao Mané, para ele não há sobras... há dias de pleno direito, sempre que ele quiser. Encolhemo-nos, se for preciso, mas cabemos todos.

Olha, acabaste de dar-me uma ideia: para os que não quiserem a obrigatoriedade de uma colaboração regular, podemos criar um "Dia da Tribo" onde cada um pode opinar ou mandar coisas giras, sempre que lhe apetecer. Boa, gente?
De JdB a 14 de Junho de 2009 às 18:34
Ana: como a bloguista das 5ªs feiras do Adeus está indisponível, abri um dia para convites avulso: os meus filhos, um colega do Técnico, amigos "avulso", uma miúda a acabar o 9º ano, etc. 5ªfeira é dia de fado vadio...
De Ana Vidal a 14 de Junho de 2009 às 18:43
Isso quer dizer que, mesmo sem o saber, continuo a imitar os seus modelos... loool

Seja: esse é o meu dia aqui na Porta, e será o "Dia da Tribo" também. Estão desde já abertas as inscrições para a próxima 5a feira. De manhã sairá o meu post, a tarde é vossa. :-)

Beijos, tribo (agora não me deixem ficar mal, vejam lá...)
De JdB a 14 de Junho de 2009 às 18:32
Rita: obrigado pelas palavras "alentosas" e, também, pelas ideias que deram origem a este registo diarista. Um beijo.
De João Paulo Cardoso a 13 de Junho de 2009 às 11:15
Era mesmo só para corrigir o meu nome, não vá ficar conhecido como João Paulo Carodo, Carolo ou coisa pior.


Bom fim de semana a todos.
De JdB a 14 de Junho de 2009 às 18:21
João Paulo: eu percebi a gralha, embora qualquer apelido lhe ficasse bem. Até Eldorado.
De JdB a 13 de Junho de 2009 às 11:36
Ana, Rita, Fugidia, João Paulo: no sítio onde estou a rede é tão lenta que a resposta individual demoraria a tarde toda... Espero que me perdoem esta "insensibilidade" inicial, mas, de facto, a tecnologia tem muito poder. Obrigado a todos pelos comentários tão rápidos.
Ficam duas palavras especiais: à Ana, pelo convite, à Rita pelas ideias.
De Luísa a 13 de Junho de 2009 às 11:46
João, este género «diarista» é muito giro, original na «Porta», e altamente promissor para quem parece ter uma vida tão cheia de experiência e de testemunhos interessantes para dar. Gostei imenso de o ler.
P.S.: Um dia da tribo, Ana, é uma óptima ideia. Um pouco na linha dos «textos amigos» que aqui publicou há uns tempos, com grande adesão e sucesso.
De JdB a 14 de Junho de 2009 às 18:26
Luísa: obrigado pela sua visita. A ver vamos, como diria o ceguinho, se as notas da minha abertura corresponderão ao resto da sinfonia. Agora, se não se importa, vou ali ao lado ver quem vem jantar...
De maf a 13 de Junho de 2009 às 12:26
Grande estreia, João. Gosto de diários. Será que vamos ter o Diário de Anne Frank, dos tempos de hoje, versão masculina ?
Não sabia que havia uma Petula dentro de si :-) Talvez queira vir cantar no meu coro , rs !
Vou colocar o Porta do Vento nos favoritos, hei-de vir cá espreitar sempre que o tempo livre o permitir.
De JdB a 14 de Junho de 2009 às 18:27
maf: vamos ter o diário do JdB, que é seguramente menos estimulante. Quanto à história da Petula Clarke, tenho de ir às minhas memórias de karaoke em Harare. Depois contarei.
De Anónimo a 13 de Junho de 2009 às 15:45
Parabéns, João de Bragança,

Cada vez mais, vicia-nos na sua belíssima escrita.

Agradeço também à Ana Vidal, por o ter convidado.

Já agora, permita-me, reparei que neste blog, existe um corrector ortográfico, será que também pode inserir no seu?

Pois, nem todos temos o mesmo dom de escrever sem erros.

Até sempre
De JdB a 14 de Junho de 2009 às 18:29
Anónimo: obrigado pela visita habitual, aqui e no Adeus. Quanto ao corrector ortográfico não sei, mas tentarei indagar como funciona essa tecnologia. Depois direi.
De meunikaki a 13 de Junho de 2009 às 22:51
Esta entrada é diária, só que concentrada num único dia; até me perdi com tanta informação, eu que julgava tratar-se de um diário, afinal trata-se de uma espécie de "courrier international". É patrocinado pelo grupo Impresa? lol
Enfim, uma boa entrada; parabéns
De JdB a 14 de Junho de 2009 às 18:30
Meunikaki: o patrocínio, sempre alto, é do Porta do Vento. Não estou vinculado a mais nada. Espero que o courier international versão brigantina não o/a desiluda.
De meunikaki a 14 de Junho de 2009 às 22:16
Até agora nada a apontar em desabono, antes pelo contrário. Parabéns

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

favoritos

O triunfo dos porcos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil


ver perfil

. 16 seguidores

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds