Sábado, 8 de Setembro de 2007

E.un.genio Salvador Dali

Dali se desdibuja

tirita su burbuja al descontar latidos

Dali se decolora

porque esta lavadora no distingue tejidos

el se da cuenta y asustado se lamenta

los genios no deben morir

son mas de ochenta los que curvan tu osamenta

"Eungenio" Salvador Dali.

Bigote rocococo

de donde acaba el genio a donde empieza el loco

mirada deslumbrada

de donde acaba el loco a donde empieza el nada

en tu cabeza se comprime la belleza

como si fuese una olla expres

y es el vapor que va saliendo por la testa

magica luz en Cadaqués.

Si te reencarnas en cosa

hazlo en lapiz o en pincel

y Gala de piel sedosa

que lo haga en lienzo o en papel

si te reencarnas en carne

vuelve a reencarnarte en ti

que andamos justos de genios

"Eungenio" Salvador Dali.

Realista y surrealista

con luz de impresionista y trazo impresionante

delirio colorista

colirio y oculista de ojos delirantes

en tu paleta mezclas misticos ascetas

con baionetas y con tetas

y en tu cerebro Gala Dios y las pesetas

buen catalan anacoreta.

Si te reencarnas en cosa

hazlo en lapiz o en pincel

Y Gala de piel sedosa

que lo haga en lienzo o en papel

si te reencarnas en carne

vuelve a reencarnarte en ti

que andamos justos de genios

queremos que estes aqui

"Eungenio" Salvador Dali.

Nota: Esta canção - E.un.genio Salvador Dali - do grupo espanhol Mecano, é uma bonita homenagem a um pintor que é uma das minhas paixões. Reparem na letra, um poema belo e certeiro. Os Mecano têm outras músicas dedicadas a pintores célebres, que hei-de trazer também a este espaço.

publicado por Ana Vidal às 16:28
link do post
4 comentários:
De ana vidal a 11 de Setembro de 2007 às 20:26
Obrigada, pelo elogio, Manel.
Os Mecano são bons, sim. Têm sempre boas letras e não só boas músicas, condição sine qua non para eu gostar de uma canção. E hei-de trazer aqui outros bons músicos espanhóis, já que quase ninguém conhece o que se faz por lá. Joaquin Sabina, Presuntos Implicados, Luz Casal, Ana Belén, por exemplo, além do já vosso conhecido "à força" Pedro Guerra.
De manuel teixeira a 11 de Setembro de 2007 às 19:28
O Miguel Leal já me tinha falado desta canção e deste belo e inteligente poema, mistura nem sempre presente em poesia.
Só agora tive oportunidade de ouvir e gostei muito. Muito.
Ana, ficarei atento a outras musicas dos Mecano aqui neste teu espaço cujo encanto continua a crescer em mim.
De ana vidal a 9 de Setembro de 2007 às 01:50
Giro, PP. Também eu fui a Figueras, em "peregrinação". E a Pujol, e a Cadaqués, seguindo o rasto de Dali. E sempre que há uma exposição dele, não falho. Acho-o genial. Tens que me apresentar esses teus amigos portugueses.
A demain!
De pedro sanchez a 8 de Setembro de 2007 às 23:25
DALI, Salvador. Uma paixão que me acompanha deste que comecei a ter sentido pela arte da pintura. Fui a Figueras com 20 anos de carro, prepositadamente para ver a casa Museu, que recomendo.

Em Portugal sigo a carreira de discípulos da escola Dali que me impressionam tambem pela forma como pintam. Iniciaram as suas vidas artísticas com a criacção de um grupo a que deram o nome de ARTITUDE, dos quais faziam parte Luis Vieira-Batista, meu amigo de infância, Vitor Laje e Magno de Monserrate. Dava gosto vê-los pintar nessa época num atelier conjunto e onde quem quisesse podia visitá-los e aprender com eles. Estes Portugueses continuam pintando e muito bem.

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

favoritos

O triunfo dos porcos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil


ver perfil

. 16 seguidores

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds