Sábado, 21 de Março de 2009

Poesia

Não é um dos meus poetas de eleição, mas escreveu (entre muitas outras, há que ser-se justo) estas palavras belas e de uma simplicidade desarmante, que aqui deixo a propósito do dia de hoje:

 


 

 

UM POEMA

 

Não tenhas medo, ouve:
É um poema
Um misto de oração e de feitiço...
Sem qualquer compromisso,
Ouve-o atentamente,
De coração lavado.
Poderás decorá-lo
E rezá-lo
Ao deitar
Ao levantar,
Ou nas restantes horas de tristeza.
Na segura certeza
De que mal não te faz.
E pode acontecer que te dê paz...

 

Miguel Torga, Diário XIII

 

Etiquetas:
publicado por Ana Vidal às 12:45
link do post
12 comentários:
De Si a 21 de Março de 2009 às 20:44
Miguel Torga, em prosa ou poesia, não se consegue comentar. Apenas se sente....

P.S. Deixo aqui o convite para passarem este Domingo lá por casa. É dia de (Si)nceridades.
Beijinhos
De Ana Vidal a 22 de Março de 2009 às 16:22
Já lá vou espreitar, Si.
Beijinho
De Luísa a 21 de Março de 2009 às 21:02
E deu paz!...
:-)
De Ana Vidal a 22 de Março de 2009 às 16:22
Que bom, Luísa. :-)
De marie tourvel a 22 de Março de 2009 às 16:02
Gosto de muitas coisas de Miguel Torga, Ana, querida. Obrigada por postar esse lindo poema. :)

Beijos!
De Ana Vidal a 22 de Março de 2009 às 16:21
Eu também, Marie. Mas prefiro-o em prosa, embora goste muito de alguns poemas.

Beijinho
De sum a 22 de Março de 2009 às 22:43
Eu também gosto tanto desse poema!!
Engraçado que o "dei" a um amigo meu ainda a pouco tempo.
Um beijo
De Ana Vidal a 24 de Março de 2009 às 13:02
É uma espécie de iniciação à poesia muito bonita e comovente, não é?

Beijo, Sum
De fugidia a 22 de Março de 2009 às 23:09
Creio que conheço esta escada... por acaso não foi tirada em França?

De Ana Vidal a 23 de Março de 2009 às 00:10
Nops, dona Fugi... é no Convento de Cristo, em Tomar. Portuguesíssima, portanto. E linda.
De sofia k. a 24 de Março de 2009 às 12:53
Adoro Miguel Torga - poeta... um sussurro de paz!

beijinhos
De Ana Vidal a 24 de Março de 2009 às 13:01
Eu sei, miúda... e, graças a ti, eu também já gosto muito mais do que gostava.

Beijinhos!

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

Rosa dos Ventos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds