Domingo, 22 de Março de 2009

Adivinhe quem vem jantar?

 

Luísa

 

 

O combate está prestes a começar, pelo que decidimos convidá-lo enquanto ainda é possível escapar à dose «comicieira» que nos espera. E que não poderemos digerir passivamente, cientes que estamos de que já nada é como era, e de que até a formiguinha da fábula terá cedido à vertigem do ganho fácil e decidido explorar os louros da sua boa imagem, trocando o labor e a obra pelo discurso moralista da propaganda. (Está naturalmente condenada, porque palavras, e demais ocas, não enchem barrigas). Pois o nosso convidado, que se diz formiga – na versão pós-moderna dos atributos da espécie, é de presumir – atrai-nos a nós pelo mistério do sorriso «Gioconda», persistente, sereno, inefável, com que entra em nossas casas nas noites da «Quadratura», dando lastro a mil especulações de politólogos, jornalistas e bloguistas. E é desvendar as razões desse sorriso que nos motiva à organização deste jantar. Será porque se orgulha da única mas portentosa empresa do seu mandato, que foi armar de baldes e esfregões a população do Bairro Alto e declarar guerra aos «graffitti»? Será porque conseguiu afirmar-se no rebanho partidário, protestando contra as orientações governamentais de policiamento das ruas e exigindo o rebaixamento do tabuleiro da terceira ponte sobre o Tejo? Ou será porque se perfila como primeiro candidato à sucessão do grande líder e pretende contrapor à arrogância deste uma expressão pacífica e consensual? Seja pelo que for, o sorriso não sairá daqui misterioso como vai entrar.

 

Mas sairá certamente mais rasgado e genuíno, depois de um repasto em que – porque um homem se vence pelo estômago – nos vamos esmerar. Pensamos, assim, começar por lhe despertar os sentidos com um «amuse bouche» de damasco seco, recheado com queijo «chèvre» e coentros, fazendo avançar depois um caldo de garoupa com tomate e pimentos, perfumado com azeite de noz-moscada. Para prato principal – e em homenagem às suas raízes orientais – temos em mente um caril verde de galinha com pão «chapati», picante de ir às lágrimas, que faremos acompanhar de um branco do Douro, Duas Quintas 2007, que é vivo no aroma e no sabor, mas fresquíssimo na boca, como convém. E porque lhe detectamos no olhar um brilhozinho guloso, apostamos, para sobremesa, na formidável dupla de uns «formigos» (passamos a ironia) com pinhões e canela, e – sugestão da nossa anfitriã – uma «bebinca» de sete folhas, sucessivamente cozinhadas no forno com a mesma hábil paciência com que se cozinham carreiras políticas.

 

Porque se trata de um convidado que respeitamos, apesar das divergências, não gostaríamos de terminar sem com ele partilhar as nossas profundas apreensões. Mas já que o poder assanha sensibilidades – e não querendo nós ferir as suas – tencionamos oferecer-lhe, com o café, um «fortune cookie», que propõe este subtil, mas não indecifrável, enigma: «Descamba nos solilóquios quem se encanta com Pinóquios». Acham que dá para entender?…

 

 

publicado por Ana Vidal às 09:30
link do post
22 comentários:
De maria a 22 de Março de 2009 às 10:15
depois de ficar literalmente de água na boca, abriu-se um sorriso na face de quem não o faz há muito tempo--- esse fortune cookie é DEMAIS!
xi
maria de são pedro
De Luísa a 22 de Março de 2009 às 22:06
Ainda bem que a fez sorrir, Maria. Infelizmente, arrisco afirmar que o contrário do enigma do «fortune cookie» também é verdadeiro e que também, provavelmente, já anda em solilóquios quem está DESencantado com os Pinóquios. :-)
Um beijinho.
De maria a 22 de Março de 2009 às 22:29
em solilóquios de olho bem aberto para os "fortune cookies" que ainda vão surgir num profundo e triste dialogo interno ao adormecer e ao acordar... é que quando se pensa que nada nos vai mais surpreender, aí aparece um pasmo maior...
xi
maria de são pedro
De Luísa a 23 de Março de 2009 às 00:22
É verdade, Maria. Ninguém estava preparado – julgo eu – para uma tão descarada inversão de valores. Confesso que nem sei se me custa mais a inversão de valores, se o descaramento! :-S
De Ana Vidal a 22 de Março de 2009 às 10:31
O nosso convidado está cheio de sorte, Luísa: além do requintado repasto e do privilégio da nossa companhia, ainda leva preciosos conselhos, de borla, num "fortune cookie"! Não há dúvida: os jantares de Domingo na Porta do Vento são um must que ninguém vai dispensar. Acho que vamos ter inscrições, Luísa... :-)
De Luísa a 22 de Março de 2009 às 22:17
Conselhos, Ana, temos para dar e vender. E, felizmente, gente a precisar de conselhos também não falta – embora nem sempre essa gente se enxergue. É um mercado – o dos conselhos – com imensas potencialidades! E o dos «fortune cookies», por estes desafortunados dias, também. ;-D
De maria a 22 de Março de 2009 às 22:31
primeiro... eu!!!

quando abrirem as inscrições... claro :)
De RF a 22 de Março de 2009 às 11:28
Queijo e coentros? Ó Luísa, que má, lá se vai a minha dieta hoje! Adoooooooooorooooooo.......
De Luísa a 22 de Março de 2009 às 22:25
Um dos meus «handicaps» para a cozinha é não ter olfacto, Rita. Há certas combinações (sobretudo com ervas aromáticas) que não faço ideia nenhuma se resultam ou não, e apenas presumo que sim porque as vejo nos livros de cozinha. Ainda bem que esta é boa. E não há que temer porque, em frugalíssimo «amuse bouche», tem poucas probabilidades de destruir qualquer dieta. Use e abuse, Rita! :-D
De Si a 22 de Março de 2009 às 12:25
Já me incomodei hoje com o Reader, por não me ter chamado assim que o respasto de hoje foi anunciado, já que, nas manhãs de Domingo, o palato me trai sempre, puxando-me o apetite para estas requintadas ementas.
Coisas de fim de semana, esta oportunidade única de disfrutar, em conversa amena, da companhia de sabores apurados e de convidados ilustres, na qual não resisto a participar, mesmo com risco de ser importuna e 'penetra'.
Até porque hoje não terei muito mote de conversa, uma vez que a cidade dele não é a minha, embora sendo ela a Capital do meu país. Fico-me pela observação, pela intervenção comedida, pela atenção no decifrar do sorriso e sobretudo na recepção do cookie, enquanto saboreio à distância como ele resistirá, ou não, aos 'amuse bouche' de sabor a solilóquios....
De Luísa a 22 de Março de 2009 às 22:36
Este nosso convidado de hoje, Si, é muito mais do que o Presidente da Câmara de Lisboa. Na verdade, a única coisa que ele não tem sido é mesmo Presidente da Câmara de Lisboa… Os temas de Lisboa são, portanto, os que menos interessa desenvolver, se queremos que a conversa flua e haja respostas (ou se não queremos nós descambar nos solilóquios). ;-D
De JuliaML a 22 de Março de 2009 às 15:17
por este andar, hoje nao janto :-(
De Luísa a 22 de Março de 2009 às 22:38
Ai, Júlia, fazia-nos aqui tanta falta o seu desassombro! ;-)
De mike a 22 de Março de 2009 às 21:48
Estou de regime, cara Luísa. :)
E adivinhar que vem jantar é uma tarefa inútil, safa... não sou bom nestas coisas. É preciso ter algo de diabólico dentro de nós. ;)
De Luísa a 22 de Março de 2009 às 22:55
Também me palpita, meu caro anjinho Mike, que o sorriso enigmático da nossa «formiga» (que dá pelo nome de António Costa) não significa nada que nos faça, a nós, sorrir… Compreendo bem a sua deserção. Mas é pena, porque contávamos que, com as suas asinhas (mesmo chamuscadas), nos ajudasse a carregar certas cruzes. ;-D
De fugidia a 22 de Março de 2009 às 23:05
Querida Júlia,
depois de um fim-de-semana a almoçar e a jantar pelo norte, nem queira saber como me sinto uma bola!
Este jantar passo :-)))
De fugidia a 22 de Março de 2009 às 23:29
Aiiiiiiiiiii, querida LUÍSA!
(vinha da Júlia e deu nisto ;-) )
De Luísa a 23 de Março de 2009 às 00:30
Sentiremos muito a sua falta, querida Fugi. Mas compreendemos que esse périplo gastronómico por terras do Norte foi por uma muitíssimo melhor causa. E a Júlia, um sucesso, claro! :-)
De mike a 23 de Março de 2009 às 00:48
Cruzes, credo, Luísa... (muitos rizos)
De mike a 23 de Março de 2009 às 00:49
... risos... aaiiii. ;)
De Manecas a 22 de Março de 2009 às 21:59
E eu que só aqui vim, já depois de ter jantado...

Bjs
De Luísa a 22 de Março de 2009 às 23:08
Manecas, a gente guarda-lhe um «fortune cookie» com o enigma: «Castigar uma formiga é bom para as dores de barriga». ;-D

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

favoritos

O triunfo dos porcos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil


ver perfil

. 16 seguidores

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds