Quinta-feira, 19 de Março de 2009

Momentos cor-de-rosa

Começa aqui uma série a que resolvi chamar "Momentos cor-de-rosa". Tenho verdadeiras pérolas para vos oferecer, acreditem. E inauguro a galeria com esta genial descrição da mulher "do continente, 'çores e madeira". Ou seja, made in Portugal.

Ficamos a saber, minhas amigas, que as nossas maiores qualidades são estas: "honestidade e gaiteirice". Digam lá... qual é a portuguesa que não se sente lisongeada com este rap(imba)?

 

 

(Nota: quem tiver sugestões para esta rubrica, é só mandar por mail)

 

publicado por Ana Vidal às 01:26
link do post
16 comentários:
De patti a 19 de Março de 2009 às 09:35
Ohvalha-meDeusquecoisamailinda!!

Já te enviei mais quatro preciosidades. As letras serão talvez um pouco eruditas para este blog, mas penso que vais conseguir entendê-las como merecem.
De patti a 19 de Março de 2009 às 12:18
E é Ónesta que se escreve Ana, Ónesta!
De Ana Vidal a 19 de Março de 2009 às 13:45
Desculpa... o português não é o meu forte.
De Ana Vidal a 19 de Março de 2009 às 13:44
Já estão na calha, Patti. Duas delas já tinha... são todas de se tirar o chapéu!

Temo é que a frequência deste blogue mude radicalmente, com o hermetismo das letras e a sofisticação das melodias! ;-)
De Pedro Barbosa Pinto a 19 de Março de 2009 às 09:56
Consegui aguentar (em sofrimento) 1:36ms.
Ainda assim um pouco mais que o Saul com o seu bacalhau quéralho.
Ando mesmo com maus fígados e a precisar de ir a águas pr'ó Cartaxo!

De Ana Vidal a 19 de Março de 2009 às 13:46
Também esse mimo há-de passar por aqui, Pedro. Prepare os fígados... :-)
De João Paulo Cardoso a 19 de Março de 2009 às 10:56
Cara Ana, se por acaso o "Eldorado" serviu de inspiração para esta inenarrável rubrica, peço imensa desculpa...

Beijos "made in Portugal".
De Ana Vidal a 19 de Março de 2009 às 13:49
Nada de sevícias, JP, a responsabilidade é só minha... mas conto com a tua preciosa crítica literária e musical!

beijos gaiteiros, mas ónestos.
De RF a 19 de Março de 2009 às 11:43
O bailarino é bem preparado, demonstra sincronicidade e força de execução. Os graffiti atrás servem de cenário a uma cidade onde o homem é tratado como bicho, que caça para sobreviver. Telmo representa esta metáfora magistralmente! Quem terá sido o coreógrafo, sabes?
De Ana Vidal a 19 de Março de 2009 às 14:44
Béjart? Balanchine? Petit?
Não sei, é um mistério...
De rocha a 19 de Março de 2009 às 12:41
Bem........não estou em mim. O que move um miúdo destes ainda com sotaque do Porto cantar " Made in Portugal" ?? Ela é a mais bonita , mais honesta e gaiteira???? Já mandarem isto para o Mané????
Vossa Rocha
De RF a 19 de Março de 2009 às 13:08
Não. Mas vou dizer-lhe para vir aqui comentar, pera...
De Luísa a 19 de Março de 2009 às 16:57
É sempre uma aventura, Ana, desbravar mundos desconhecidos. E o cor-de-rosa assanha as expectativas! ;-)
É-me também grato adivinhar no Telmo Miranda um rapaz que já não se perde, encarreirando na trupe dos «brejeiros», cujo grande pecadilho parece ser (na opinião do nosso Luís Serpa) entupir periodicamente a circulação na Rua das Portas de Santo Antão. ;-D
De Ana Vidal a 20 de Março de 2009 às 01:01
O pior é que nos entopem também os ouvidos, Luísa! É por isso que vão passar por aqui em doses moderadas, devagarinho... :-)
De mike a 20 de Março de 2009 às 00:14
Eu já estou de sorriso no canto da boca à espera de mais momentos cor de rosa, Ana. :)
De Ana Vidal a 20 de Março de 2009 às 00:59
E vais tê-los, Mike... cada um melhor do que o anterior. :-)

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

favoritos

O triunfo dos porcos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil


ver perfil

. 16 seguidores

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds