Quarta-feira, 16 de Abril de 2008

Uma VOZ

Hoje, 16 de Abril, é o dia mundial da VOZ. Vou-me rendendo a assinalar estes "dias de", sobretudo aqueles que não têm implicações dúbias ou não me irritam especialmente. Por isso aqui fica uma das mais bonitas canções de amor alguma vez escritas, numa das mais bonitas vozes que já ouvi. E não só bonita: é uma voz de tal maneira expressiva e rica de inflexões que, mesmo para quem não perceba a língua em que as palavras são ditas, é fácil entender o que elas pretendem transmitir e deixar-se levar pelas emoções. É uma "voz-actriz", e de primeira água. Recostem-se e ouçam-na, de preferência sem outros ruídos de fundo. E digam-me lá se não ficamos todos com vontade de ter um amor "soft as an easy chair"...

(Evergreen - Barbra Streisand)

Love soft as an easy chair
Love fresh as the morning air
One love that is shared by two
I have found with you

Like a rose under the april snow
I was always certain love would grow
Love ageless and evergreen
Seldom seen by two

You and I will make each night a first
Every day a beginning
Spirits rise and their dance is unrehearsed
They warm and excite us, cause we have the brightest love

Two lives that shine as one
Morning glory and midnight sun
Time weve learned to sail above
Time wont change the meaning of one love
Ageless and ever evergreen

Etiquetas: ,
publicado por Ana Vidal às 02:01
link do post
15 comentários:
De Sofia a 16 de Abril de 2008 às 11:26
Devia ter vindo aqui logo de manhã para ainda a dançar no meu salon de baile lá de casa. Prometo comemorar o dia cantando-a, porque é realmente maravilhosa! Mas baixinho para não estragar!

grande beijo

p.s. E a tua voz como anda?
De Ana Vidal a 16 de Abril de 2008 às 12:54
A minha está fanhosa, miúda... muito longe da que escolhi para ilustrar o dia!

beijinhos
De PSB a 16 de Abril de 2008 às 11:25
A música é linda e esta Senhora é um espanto. Não tanto pela beleza, algo difusa, com uma classe inquestionável, mas pela voz espectacular. 'Tenho-a' (querias) em vários vinis e CD's de música ligeira, em peças da Broadway e num magnífico a cantar música erudita (Classical Barbra) de Debussy, Fauré, Handel e outros.
Bárbaro...
De Ana Vidal a 16 de Abril de 2008 às 12:57
Bárbaro, mesmo, Pedro. É uma das vozes mais elásticas e expressivas que conheço. Também adoro, mas não conheço essa aventura clássica. Vou procurar.
De cristina ribeiro a 16 de Abril de 2008 às 10:11
Esta é uma daquelas canções que eram sempre convidadas para as nossa festinhas de adolescentes, e era certo e sabido que nos dias que se lhes seguiam não parávamos de a trautear, sempre com um sorriso nos lábios, comum a todos aqueles que viram passarinho verde...
De Ana Vidal a 16 de Abril de 2008 às 15:17
LOL. É verdade, Cristina. Também me lembro disso...
De Anónimo a 16 de Abril de 2008 às 08:57
Aninhas, se é o dia da Voz, aqui fica o meu contributo, com um poema.
Para mim o Luis Represas é um dos maiores vocalistas mundiais dos últimos tempos, e só não é mais conhecido por esse mundo fora, porque provem deste nosso cantinho...
O poema é sublime, e toda a música, orquestração melodia...enfim não sei o que mais admirar. (Não puz aqui o link para a música, mas podem surffar pela net)

Para ti, um beijinho
MANECAS

Ser poeta é ser mais alto, é ser maior
Do que os homens! Morder como quem beija!
É ser mendigo e dar como quem seja
Rei do Reino de Áquem e de Além Dor!

É ter de mil desejos o esplendor
E não saber sequer que se deseja!
É ter cá dentro um astro que flameja,
É ter garras e asas de condor!

É ter fome, é ter sede de Infinito!
Por elmo, as manhas de oiro e de cetim...
É condensar o mundo num só grito!

E é amar-te, assim, perdidamente...
É seres alma, e sangue, e vida em mim
E dize-lo cantando a toda a gente!
De Ana Vidal a 16 de Abril de 2008 às 15:16
Bem escolhido, Manecas. O Luís tem uma voz linda, também acho. E o poema é uma beleza, claro.
Um beijinho
De Manecas a 16 de Abril de 2008 às 15:33
Bem, e a propósito de voz, não sei se vou cometer alguma inconfidência...mas a menina ANA também, enfim...pelo menos não desafinava, a cantar o fadinho ...
Especialmente aquele que quase passou a ser um hino dos tempos das tertúlias universitárias da Junqueira, com que a Paula nos brindava: O Cavalo Ruço...
Agora é que ficaste corada, eh, eh, eh...!!!
Escusas de me bater que eu já me pirei!!!
Mas deixei-te um beijinho
De Ana Vidal a 16 de Abril de 2008 às 19:24
Manecas!!!! Estás proibido de fazer mais revelações dessas... e não te pires, que vais apanhar!
Isso eram outros tempos, em que eu ainda tinha voz. Agora nem pio!
Beijinhos
De O Réprobo a 16 de Abril de 2008 às 19:12
Está muito bem, Querida Ana, mas A Voz, com artigo definido, está postada lá no inferno. Nada contra esta barbardade, evidentemente.
Beijinho
De Júlia a 17 de Abril de 2008 às 16:57
mas a Brbara também merece o epiíteto de "A Voz",Paulo...embora não lhe tenha sido atribuido.

De Ana Vidal a 17 de Abril de 2008 às 18:23
Também acho, Júlia. Tem um aparelho vocal invulgar, tal como o Sinatra.
De Teresa a 17 de Abril de 2008 às 22:59
Maravilhosa!!! Única!
Como cantora, já que como pessoa... parece que é insuportável (entre outras pérolas que atestam a medida da cretinice, o pessoal humilde de serviço nos concertos tem a proibição severa de a olhar nos olhos, amorosa, não é??).

Tenho o cd (duplo) do concerto de onde este vídeo foi retirado. Tenho também o vhs, que ainda não substituí por dvd.

E agora estou a rir sozinha, por me lembrar de uma piada do fabuloso Jay Leno, no último Natal, falando do seu disco Christmas Memories: com um ar perfeitamente perplexo, perguntava à assistência «Isn't she Jewish?!»

Beijos!

P.S. Continuo a ter graves queixas deste sapo, que para mim nada tem de príncipe!
Ah! E tem limite de caracteres por comentário! Se isso não é censura...
De Ana Vidal a 17 de Abril de 2008 às 23:22
Tem graça, Teresa, não sabia do mau feitio. Livra! Mas isso acontece, infelizmente, com algumas divas (e "divos"): transformam-se em pessoas intragáveis, apesar de lhes admirarmos os talentos. Os desta fantástica jewish são inegáveis, seja qual for a qualidade humana. Também o Frank Sinatra ("The Voice", a propósito) tinha comprovadas ligações à Máfia e era implacável, e olha lá a vozinha do menino...

Quanto ao Sapo, não sabes que só se transforma em príncipe com um beijo? Ora, tu só lhe dás pontapés!...

(Mas tu queres mesmo escrever mais do que 4.300 caracteres???)

Beijos, resmungona-mor!

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

Rosa dos Ventos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds