Domingo, 1 de Março de 2009

Desafios à linha

 

E com este post ficam saldadas as minhas dívidas de correntes e desafios. Também este vem da Luísa, mas tenho uma vaga ideia de que já passou por esta porta, há coisa de um ano. Seja como for, o prometido é devido. Aqui vai a sexta frase (juntei-lhe mais algumas, para dar sentido à coisa) da página 161 do livro que tenho mais à mão: A Paixão (Almeida Faria). E o meu comentário ao parágrafo transcrito.


"mas talvez que a vida seja sempre só essa luta inútil e a devamos contudo olhar como se fora outra, descobrir em cada coisa a face oculta, a face que está na sombra, nas origens, na fonte, e de súbito nos surge como se antes não fora"

 

Gosto das camadas ocultas das coisas: da parte do iceberg que não se vê e é a sua principal massa; de seguir as pegadas em sentido contrário, até ao lugar de onde partiram; do jogo de espelhos que simultaneamente multiplica, esconde e revela; da sombra chinesa, que preserva os contornos e apaga o que é acessório; dos significados menos óbvios de cada palavra, de cada gesto, de cada olhar. Gosto do que tem de ser adivinhado, intuído, interpretado. O que é palpável é muitas vezes estéril. Valha-nos a utopia, para podermos viver a realidade e encontrar-lhe encantos.

 

(Imagem: Livro-Espelho, fotografia de Chema Madoz)

 

Etiquetas: ,
publicado por Ana Vidal às 12:00
link do post
6 comentários:
De Manecas a 1 de Março de 2009 às 12:54
Sendo antigo ou actual é sempre presente, e sobretudo é um presente para quem lê!

Muito obrigado!

Bjs
De Ana Vidal a 1 de Março de 2009 às 14:09
Na altura o livro mais à mão era outro, já não me lembro de qual.
De Luísa a 1 de Março de 2009 às 17:22
Totalmente de acordo, Ana! A vida mais banal pode tornar-se interessante sob uns olhos curiosos, observadores e especulativos. O que me suscita esta talvez abusiva, ou talvez não, associação de ideias: será por isso que, segundo um estudo apresentado, há dias, na televisão, o «nível» de felicidade das mulheres (portuguesas) é superior ao dos homens? ;-)
De Ana Vidal a 1 de Março de 2009 às 17:58
Parece-me bem que sim, Luísa... sendo que as mulheres são mais imaginativas e que o interesse das coisas está nos olhos com que as vemos, é bem possível... ;-)
De mike a 1 de Março de 2009 às 23:11
Mulheres imaginativas... tudo o que os homens podem desejar. (risos)
Belo post, este, Ana. :)
De Ana Vidal a 1 de Março de 2009 às 23:17
Obrigada, Mike. E quantas vezes elas gostariam de ter também homens mais imaginativos... :-)

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

favoritos

O triunfo dos porcos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil


ver perfil

. 16 seguidores

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds