Segunda-feira, 16 de Fevereiro de 2009

Comboio fantasma (1)

"(...) na vertical dos sentidos", cantava esta criaturinha desafinada, em 1983. Mas mentia. Primeiro, porque não era uma ave do paraíso. E depois porque, nela, pelo menos o sentido da audição estava bastante na horizontal. Quero dizer... morto. E os outros não deviam estar em melhor estado, aposto.

 

(Encontrado no Chove)

 

 

Etiquetas:
publicado por Ana Vidal às 21:37
link do post
15 comentários:
De Luis Saint-Maurice a 17 de Fevereiro de 2009 às 09:27
Posso entender que não seja de facto apreciadora deste momento....posso acreditar que para uma principiante a coisa não coreu bem. Não posso aceitar a forma como se refere à minha irmã. Criaturinha, existem nos jardins atrás dos vasos. Lamentavelmente a qualidade do seu texto leva-me a crer que quem está definitivamente Morta, na horizontal, é a sua forma de expressão e o seu sentido de educação publicamente legível
De Ana Vidal a 17 de Fevereiro de 2009 às 09:45
Caro Luís Saint- Maurice,

Em primeiro lugar, não foi minha intenção ofender ninguém. Admito perfeitamente que não se goste de ver ridicularizada uma pessoa de quem gostamos e por isso lhe peço desculpa aqui, também publicamente. Se fosse minha irmã, eu também não gostaria. Depois deste mea culpa, quero dizer-lhe que a palavra "criaturinha" se refere à idade e à óbvia fragilidade da intérprete, e não a uma menorização dela enquanto pessoa.
Mas mereço o reparo e o comentário ácido a um texto igualmente ácido. Parece-me que estamos quites.



De Leonor de Saint Maurice a 17 de Fevereiro de 2009 às 11:52
Vejo que o meu irmão já disse tudo.

Acrescento apenas que quando se aponta 1 dedo a alguém, tem-se 4 dedos a apontar para nós. Que lhe sirva de lição.
De Ana Vidal a 17 de Fevereiro de 2009 às 12:11
Cara Leonor, as minhas desculpas estão apresentadas. Mas pelos termos que usei, e não pela crítica em si. Quem se expõe publicamente sujeita-se à crítica. É assim para quem escreve, como eu, mas também para quem canta, pinta, ou outra coisa qualquer. Isto porque vivemos num país em que existe liberdade de expressão, e ainda bem que assim é.

Já agora, permito-me perguntar-lhe se esta sua actuação no festival da canção a satisfaz, em termos de qualidade artística. Para mim, a sua falta de preparação era confrangedora e acho que nenhum responsável deveria tê-la apresentado naquelas condições. Mas é apenas a minha opinião, claro.
De JB a 17 de Fevereiro de 2009 às 12:11
Por estes acasos do destino, sou amigo do Luis Saint-Maurice e da "dona" do Porta do Vento. E só hoje fui ver um pedaço do filme, para perceber a que se referiam.
Percebo tudo: a indignação, o pedido de desculpas, a interpretação mais enervada. Estou certo, conhecendo a autora do texto, de que não houve intenção de ridicularizar mais do que seria aceitável. É a perversão da internet. Que nos sirva a todos de lição, quando usamos os nossos espaços na blogosfera.
De Ana Vidal a 17 de Fevereiro de 2009 às 12:14
Já esclareci o assunto com o Luís Saint-Maurice, em público e em privado. Mas obrigada pelo apoio, João.
De Leonor de Saint Maurice a 17 de Fevereiro de 2009 às 12:17
Cara Ana Vidal,

Apenas me referia ao tratamento de "criaturinha". Penso que podemos ser críticos, e devemos, mas não achincalhando os outros. Insurge-me com essa liberdade de expressão.
De resto, estamos de acordo. A prestação não foi péssima para o nível a que estou habituada, e como diz, está sempre sujeita a todas as críticas uma vez que são públicas. A forma é que pode ser discutível.
Mas agradeço-lhe a forma como tem aceite esta investida familiar.
Obrigada.
De Leonor de Saint Maurice a 17 de Fevereiro de 2009 às 12:18
Errata : Insurgi-me contra ....
De Ana Vidal a 17 de Fevereiro de 2009 às 12:30
Uma investida familiar comove-me sempre, Leonor, porque sei que a minha família agiria exactamente da mesma maneira.
Um abraço.
De Leonor de Saint Maurice a 17 de Fevereiro de 2009 às 12:39
Um por todos e todos por um.
Amigas ?
:-)
De Ana Vidal a 17 de Fevereiro de 2009 às 13:06
Claro que sim, Leonor!
Um beijo :-)
De Luísa a 17 de Fevereiro de 2009 às 15:12
Ana, naquele tempo tudo tinha um aspecto muito amador (não necessariamente no mau sentido). O som e a imagem televisivos deixavam bastante a desejar em relação às sofisticações de hoje (hoje, a desejar, deixam os conteúdos) e os intérpretes ficavam mais expostos. Não me recordo desta intervenção da Tessa. Mas acho que só acompanhei os nossos festivais da canção até à revolução. Depois, outros interesses se impuseram. ;-)
De Ana Vidal a 17 de Fevereiro de 2009 às 16:39
Eu também não me lembrava, Luísa. :-)
De Anónimo a 17 de Fevereiro de 2009 às 15:14
Até que enfim alguém diz a esta senhora umas verdades. Gostei.
De Ana Vidal a 17 de Fevereiro de 2009 às 16:35
Gostou, Anónimo(a)?
Então, se achava que esta senhora precisava de ouvir umas verdades, porque não se encheu de coragem e as disse antes? E, já agora, com o seu nome verdadeiro, para não parecer tão cobarde... comentários anónimos deste teor não merecem mais do que o meu desprezo, sabe? A "discussão" que aqui aconteceu foi limpa e frontal, coisa que me parece desconhecer em absoluto. Aprenda, que só lhe fará bem.

É pena que venha sempre esta arraia miúda a aproveitar a confusão para uma ferroadazinha anónima.

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

Rosa dos Ventos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds