Sexta-feira, 27 de Fevereiro de 2009

Ventos Amigos (27)


 

Em boa ou má hora, consoante as perspectivas dos leitores que sejam “obrigados” a ler-me por aqui, a amiga Ana Vidal convidou este vosso escriba para aqui deixar umas breves palavras.  E a verdade, é que depois de ter visto os poemas que outros ilustres convidados aqui deixaram, fiquei angustiado. Angustiado porque não sou poeta, até porque qualquer potencial para tal foi devidamente renegado e, como tal, fiquei sem saber o que escrever que pudesse incluir as palavras Porta e Vento. O que é facto é que já as incluí neste texto, agorinha mesmo, pelo que poderia dar por concluída a minha tarefa. Mas não, prefiro ainda maçar um pouco mais aqueles que por esta altura ainda me estejam a ler, para dizer que é uma honra entrar por esta porta e soprar um leve vento de agradecimento à Ana pela oportunidade de imerecidamente fazer brevemente parte deste seu cantinho e, mais ainda, por poder volta e meia com a Ana trocar ideias e debatê-las de forma saudável, coisa em que os portugueses são muito pouco prendados. E agora sim despeço-me para que os leitores desta Porta do Vento possam antes ler os seus textos bem mais interessantes que os meus devaneios.

 

Texto enviado por: Samuel de Paiva Pires

 

 

Etiquetas:
publicado por Ana Vidal às 21:30
link do post
3 comentários:
De Samuel de Paiva Pires a 28 de Fevereiro de 2009 às 13:53
Um beijinho Ana, e mais uma vez, obrigado pelo convite!
De Ana Vidal a 28 de Fevereiro de 2009 às 14:14
Eu é que agradeço. Tenho tido muito pouco tempo para blogar, mas um dia destes voltamos a um debate dos nossos. É muito saudável e proveitoso discutir ideias com quem, não concordando connosco, sabe defender as suas posições com vigor e argumentos válidos, e respeitar as dos outros. É o seu caso, Samuel.
Um beijinho
De Samuel de Paiva Pires a 28 de Fevereiro de 2009 às 14:17
E eu faço minhas as suas palavras Ana! Com certeza voltaremos a um debate dos nossos :) Um beijinho

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

favoritos

O triunfo dos porcos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil


ver perfil

. 16 seguidores

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds