Quarta-feira, 11 de Fevereiro de 2009

Sou sincera

Rita Ferro 

 

 

Alguém me explica por que motivo

gente inteligente

e aparentemente evoluída

continua a insistir no argumento

de que algumas sexualidades

são contra natura?

 

 

 Não chegarão

os exemplos que a vida animal

diariamente

nos fornece,

com toda a sua espontaneidade,

sem necessidade

de sairmos

do chiqueiro

dos nossos quintais? 

 

Etiquetas:
publicado por Ana Vidal às 10:00
link do post
54 comentários:
De Meloes a 11 de Fevereiro de 2009 às 10:14
Na minha humilde opiniao o "aparentemente" deveria aparecer antes do inteligente.
Uma cabeca bem pensante nao tem de estar contra os valores, mas nao pode condenar com base numa moral bacoca comportamentos e habitos dos quais nao vem nenhum mal ao mundo.
Beijos.
De Rita Ferro a 11 de Fevereiro de 2009 às 19:41
Até pode vir mal ao mundo, Melões.
Mas nem mais nem menos do que na socialmente aceite. Abraço e obrigada, RF
De Mad a 11 de Fevereiro de 2009 às 10:47
Grande entrada, Rita.
E parabéns, m'Ana.
De Ana Vidal a 11 de Fevereiro de 2009 às 11:57
Obrigada, miúda.
Parabéns também, por ontem.
De patti a 11 de Fevereiro de 2009 às 13:18
E muitos, muitos parabéns menina Ana!
De Ana Vidal a 11 de Fevereiro de 2009 às 16:49
Obrigada, menina Patti!
De Rita Ferro a 11 de Fevereiro de 2009 às 19:43
Bom, passo-me com o teu blogue! E quando te dá para atazanar no fio de prumo? És louca! Adoro-te, LOL
De Mad a 11 de Fevereiro de 2009 às 20:21
Eeeeeeu? Eu não atazano ninguém!
:D Beijos
De Rita Ferro a 11 de Fevereiro de 2009 às 20:15
A tua resposta está mais lá para baixo... enganei-me... Mas saberás reconhecê-la, ó Mad!
De patti a 11 de Fevereiro de 2009 às 11:02
A questão está em que se crê, que só é 'natura', quem se comporta como a maioria.

E a maioria nunca olha em redor, só e unicamente em frente e muito menos para trás.

Bem vinda Rita!
De Rita Ferro a 11 de Fevereiro de 2009 às 19:45
Obrigada, Patti. Este tema dava pano para mangas!
De Pitucha a 11 de Fevereiro de 2009 às 11:07
Riita
Vidas pequenas!
Demasiado tempo livre!
Só assim se compreende que se metam na vida dos outros...
É bom tê-la de volta à blogoesfera.
De Rita Ferro a 11 de Fevereiro de 2009 às 19:47
Olá, Pitucha, obrigada! Fico desvanecida! Não esperava tanta gente à minha espera no blogosporto :-))
De Melancia a 11 de Fevereiro de 2009 às 11:43
Concordo consigo Meloes.
E o pior é quando se tem a mania do liberalismo sexual quando não passam de galinhas conservadoras e moralistas...
De Rita Ferro a 11 de Fevereiro de 2009 às 19:49
Bom, sendo galinhas... sempre terão algum coelho interessado, não é Melancia? É bom rir! Abraço!
De Melancia a 11 de Fevereiro de 2009 às 19:55
Escrevi a sério e você não me dá vontade de rir. E não aceito o abraço, devolvo.
De Rita Ferro a 11 de Fevereiro de 2009 às 20:26
Ah, agora percebo: «galinha conservadora e moralista» era eu? Não percebi, estava lenta! Espantoso como podemos dar uma imagem tão errada de nós próprios! Não a censuro, a responsabilidade é certamente minha. Mas olhe, por falar em preconceitos: a sua atitude assenta que nem luva nesta matéria!
De Rita Ferro a 11 de Fevereiro de 2009 às 20:35
(Ah, é verdade: também lhe confesso que a experiência mística de abraçar uma melancia nunca fez parte das minhas fantasias íntimas! Aceito a devolução.)
De João Paulo Cardoso a 11 de Fevereiro de 2009 às 11:53
Depois desta vou-me sentir menos culpado pela forma como afago o rato do meu computador...

Beijos.
De Rita Ferro a 11 de Fevereiro de 2009 às 19:51
Ahahahahaha! Ó Ana, tu aqui tens gente com muita graça!... O humor é tudo, João Paulo!
De André a 11 de Fevereiro de 2009 às 12:00
Caramba. Finalmente percebo os ovos de Páscoa. Obrigado
De Ana Paula Motta a 11 de Fevereiro de 2009 às 19:16
Adorei esse comentário, rs...
De André a 12 de Fevereiro de 2009 às 09:37
Não dei os parabéns... vim cá pela Mad. Parabéns Ana Bj
De Ana Vidal a 12 de Fevereiro de 2009 às 09:40
Muito obrigada, André. Volte sempre.
De André a 12 de Fevereiro de 2009 às 09:46
Claro que volto que gostei. Lá no meu canto já espetei o meu olho no buraco da fechadura desta porta (isto num repente não soa nada bem).
De Rita Ferro a 11 de Fevereiro de 2009 às 19:52
Eu não te digo, Ana? Superlol e mais uma medalha! Nota vinte para o André!
De Ana Vidal a 11 de Fevereiro de 2009 às 12:03
Ritinha, foi por acaso mas estreias-te num dia especial. Bela entrada!!
Beijos
De Rita Ferro a 11 de Fevereiro de 2009 às 19:55
É o dia dos teus anos, querida amiga e cunhada! Há dois anos, Istambul, há um, Cairo! Este ano nem verba tivemos para ir à Nazaré! Ah, mas isto muda, vais ver! PARABÉNS PRINCESA!
De Ana Vidal a 12 de Fevereiro de 2009 às 00:07
Deixa... enquanto nos restar a Baixa da Banheira haverá sempre festejos!

Obrigada, querida. Como vês, e descontando umas melancias podres, a tua estreia foi um sucesso. Para a semana há mais provocações, aposto.

Beijos!
De Pedro Barbosa Pinto a 11 de Fevereiro de 2009 às 12:23
Também ficava bem ilustrado com este video.

http://www.youtube.com/watch?v=pdgooM5MYxE
De Rita Ferro a 11 de Fevereiro de 2009 às 20:03
Está a ver, Pedro? Já um cristão não pode misturar-se com a natureza de uma forma tão pura e natural, aparece logo o parvalhão de um burro abjecto a querer aproveitar-se! E aposto que nem prisão domiciliária teve! Admire-se!
De SC a 11 de Fevereiro de 2009 às 14:48
Parabéns, Ana!
Um dia (mês, ano, sempre...!) Feliz!
Beijinho.
De Ana Vidal a 11 de Fevereiro de 2009 às 16:50
Obrigada, Catarina. E um beijo.
De joao severino a 11 de Fevereiro de 2009 às 19:44
Cara Ana

Como penso não ser estúpido deduzo que faz hoje algumas primaveras. Muitos parabéns e um resto de dia de aniversário muito feliz. Beijo.
De Ana Vidal a 12 de Fevereiro de 2009 às 00:09
Obrigada, João. Na verdade faço algumas primaveras, mais outros tantos outonos, invernos e verões... e todos muito bem vividos.

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

Rosa dos Ventos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds