Sexta-feira, 6 de Fevereiro de 2009

Mães

Ofereço este post a  todas as mães asfixiantes para que vejam neste espelho a farda de general que vestiram, talvez sem sequer se terem apercebido disso.

 

Pergunto-me se já fui assim algum dia, e tenho um certo medo da resposta... 

 

Bom fim-de-semana!

 

(video roubado no Vou Pelo Sonho)

 

 

Etiquetas:
publicado por Ana Vidal às 13:16
link do post
6 comentários:
De Luísa a 6 de Fevereiro de 2009 às 17:06
Ana, assumo a minha condição de mãe-general. Mas como vou espaçando as ordens, ainda deixo algum tempo para respirar. Tempo demasiado, Ana. Os ares inspirados pelos nossos adolescentes são definitivamente tóxicos! ;-D
De Ana Vidal a 6 de Fevereiro de 2009 às 19:38
É verdade, Luísa, mas eles têm mesmo de aprender a respirá-los sem se deixarem contaminar. É este o mundo em que vivem e não têm outro pela frente, a não ser que o mudem...

(eu também fui - ou ainda sou - uma mãe-general) :-)

De marie tourvel a 6 de Fevereiro de 2009 às 22:06
Nossa, Ana, querida, agora fiquei com medo de ser assim com meu pequeno. Será que ele me vê assim? :)
Beijo
De Ana Vidal a 6 de Fevereiro de 2009 às 22:13
Deixa lá, acho que somos todas um bocadinho assim... :-)
De Carlota a 9 de Fevereiro de 2009 às 15:18
É assustador.
Eu não me assumo como mãe-general, mas acho que alguém tem de impor alguma disciplina. Afinal, é a vida de um ser humano que está em jogo.
Se tiver de ser eu a impor essa disciplina, seja!, mas procuro sempre encontrar um equilíbrio.
Até agora, estou bastante satisfeita com o 'feed-back' dos meus esforços no sentido de criar uma pessoa feliz.
De Ana Vidal a 9 de Fevereiro de 2009 às 15:42
Isso é que é preciso, Carlota! Não te preocupes muito... a total ausência de disciplina é bem pior, acho eu.

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

favoritos

O triunfo dos porcos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil


ver perfil

. 16 seguidores

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds