Quarta-feira, 14 de Janeiro de 2009

Explicação (2)

 

Nestes dias de total ausência de inspiração para a escrita, somada a uma espécie de overdose de blogosfera, tenho-me lembrado de uma frase genial de Shoppenhauer:

 

Quando não tenho nada que me angustie,

é isso mesmo que me angustia.

 

Não leiam nestas palavras, ou na minha ausência, dramas existenciais ou tragédias de qualquer espécie. Nada disso se passa, é apenas uma preguiça estranha para este mundo que tanto me diverte habitualmente. Já me aconteceu de outras vezes, mas as pausas que anunciei não tiveram grande cumprimento, na verdade. Vou passando sempre por aqui, embora vá fazendo batotas na postagem e me apeteça mais saltitar pelas caixas de comentários alheias do que cumprir "o santo post de cada dia". Não gosto de encher chouriços quando não tenho nada para dizer.

 

Obrigada pelos vossos comentários de incentivo e pelas palavras simpáticas. Não se preocupem, está tudo bem comigo e isto é só uma fase. Afinal, eu acabo sempre por voltar, não é?

 

 

Etiquetas:
publicado por Ana Vidal às 23:06
link do post
21 comentários:
De JuliaML a 14 de Janeiro de 2009 às 23:33
também ando um pouco letárgica :-/

mas comigo está a passar-se o contrário, não me apetece comentar nem bloggar, embora goste de vos ler.

esperamos por ti, cheia de energia. sabemos que não fazes as coisas pela metade,

beijo
De Ana Vidal a 15 de Janeiro de 2009 às 15:48
Beijo, Júlia, e obrigada.
De tcl a 15 de Janeiro de 2009 às 00:11
não te angusties querida, dá a todos e isto às vezes também cansa... a grande máxima é: nunca, mas nunca escrever por obrigação (no nosso blogue, está bem de ver...)
De tcl a 15 de Janeiro de 2009 às 00:13
e no dos outros, claro! este aparte era porque eu passo os dias a escrever por obrigação... no trabalho e isso
De Ana Vidal a 15 de Janeiro de 2009 às 00:23
É isso mesmo, Magritta. (eu avisei que passava a chamar-te assim, depois dos desenhos fantásticos...)
De patti a 15 de Janeiro de 2009 às 01:31
E muitas vezes os intervalos podem ser retornos revigorantes.
Vais ver que quando menos esperas surge-te assunto e lá vens tu.
Também concordo que postar por postar, mais vale estar quieto, pois o blog tem de ser primeiro que tudo uma satisfação para nós próprios.
Beijinho.
De Ana Vidal a 15 de Janeiro de 2009 às 15:48
É isso, Patti.
Um beijinho
De CNS a 15 de Janeiro de 2009 às 10:57
Há alturas assim... Em que é necessário interromper essa mágica ligação entre o pensamento e as mãos. E olhar apenas. Sem mais nada.

Vou passando nesta porta ventosa para saber noticias do seu retorno :)
De Ana Vidal a 15 de Janeiro de 2009 às 15:51
Obrigada, Cristina. Também vou passando pela sua casa com jardim que agora virou deserto, mas não me assusta, porque continua acolhedora como sempre. :-)
De Lagash a 15 de Janeiro de 2009 às 11:05
Olá Ana,

Cheguei atrasado...

Pretendia dar-te um prémio (que dei) mas tu já recebeste um igual!

Ainda bem... é sinal que mereces.

Parabéns ao teu blog.

Visita ainda assim este link:

http://lagash.blogs.sapo.pt/2009/01/14/

Cumprimentos
Mário L. Soares
De Ana Vidal a 15 de Janeiro de 2009 às 15:46
Obrigada pela lembrança, Mário.
Um abraço
De Pedro a 15 de Janeiro de 2009 às 12:08
"Não gosto de encher chouriços quando não tenho nada para dizer." - prova de grande inteligência (como vê, aquela história dos partidos, lembra-se? - não é para levar muito a sério ;)"

E obrigado pela dica - afinal é outra coisa, mas sob controlo De qualquer forma, de volta e meia tenho e não conhecia!
De Ana Vidal a 15 de Janeiro de 2009 às 15:47
Sempre às ordens, Pedro. Sei bem o que isso custa!
Um beijo
De Luísa a 15 de Janeiro de 2009 às 17:26
O importante, Ana, é que vamos continuando a saber de si e das suas opiniões acerca disto e daquilo, que nos ajudam a formar (e a equilibrar) as nossas. O quando e o onde são de somenos. :-)
De Ana Vidal a 16 de Janeiro de 2009 às 00:35
Obrigada, Luísa, embora eu não tenha nenhuma pretensão de formar ou equilibrar opiniões. Gosto de pôr as minhas em discussão, e já é muito... por isso é tão bom ter-vos por aqui!
De Xantipa a 15 de Janeiro de 2009 às 19:13
Querida Ana,
Eu também estive um pouco assim (estive cerca de 3 semanas sem escrever). Acontece.
:)
E até estou muito bem, simplesmente não me sentia com capacidade para escrever nada.
Ainda bem que está tudo bem por aí.
Um abraço deste sul chuvoso
da Adriana
De Ana Vidal a 16 de Janeiro de 2009 às 00:36
Outro, Adriana, deste centro gelado! :-)
De Cristina Ribeiro a 15 de Janeiro de 2009 às 20:34
Escrever quando apetece, e estar-se bem, Ana...
De Ana Vidal a 16 de Janeiro de 2009 às 00:37
nem mais...
De mike a 15 de Janeiro de 2009 às 23:21
A menina é uma stressadinha, hein? Encher chouriços também não gosto, mas se forem assados, encho-me eu com eles... (muitos risos)
E ainda bem que acabas sempre por voltar, Ana. :D
De Ana Vidal a 16 de Janeiro de 2009 às 00:38
Então não és tu que te rendeste às delícias vegetarianas, Mike??? ;-)

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

Rosa dos Ventos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds