Domingo, 9 de Novembro de 2008

Cata-Ventos

 

Pocket Classic (3)

Marie Tourvel, no As Letras da Sopa

 

Da despedida

Pedro, no We'll always have Paris

 

Demeritocracia

Teresa Ribeiro, no Corta-Fitas

 

Prece

Ricardo António Alves, no Sublime Porta


Maria gosta da pinga

Dalhegas, no Adeus, até ao meu regresso

 

Rápidas melhoras

Patti, no Ares da minha graça

 

O que há em Havana?

Mike, no Desconversa

 

Não ama verdadeiramente quem não ama sempre

Adriana F. Nogueira, no A Senhora Sócrates

 

Os olhos postos em si, Mr. President

SSV, no Sem se Ver

 

Chavez, a Madeira está contigo!

Carlos Barbosa de Oliveira, no Crónicas do Rochedo

 

Porque há tantas outras coisas que se podem fazer à chuva

Ângela, no Com a luz acesa

 

E foi assim

Azia, no Azeite & Azia

 

Logística  e  O Nord Kivu, a ajuda humanitária e o desperdício

Luís Serpa, no Don Vivo

 

As pessoas felizes

Laura Abreu Cravo, no Mel com Cicuta


Driving away

Ricardo RF, no Lord Broken-Pottery

 

O processo de avaliação docente avança como um tanque iraquiano

João Paulo Sousa, no Da Literatura

 

Mania de blog

Adelaide Amorim, no O Bem, O Mal e a Coluna do meio

 

Etiquetas:
publicado por Ana Vidal às 11:00
link do post
11 comentários:
De patti a 9 de Novembro de 2008 às 20:16
Obrigada pelo cata-vento lá do Ares.
:)
De Ana Vidal a 9 de Novembro de 2008 às 20:25
É merecido o destaque, Patti, o seu texto é muito original. :-)
De JuliaML a 9 de Novembro de 2008 às 21:56
e eu continuo a reclamar que a Sublime Porta, continue paradoxalmente fechada.

espreitei silenciosamente alguns e gostei das escolhas!
De RAA a 10 de Novembro de 2008 às 00:14
Obrigado, mais uma vez, vizinha!

Júlia, não ligue; a porta fechada parece mais sublime do que na realidade é:| Obrigado na mesma.
De Ana Vidal a 11 de Novembro de 2008 às 15:29
Gosto muito de lê-lo, vizinho, já sabe.
De mike a 10 de Novembro de 2008 às 20:44
Obrigado, menina. :-)
De Ana Vidal a 10 de Novembro de 2008 às 22:46
De nada, menino. :-)
De angela a 10 de Novembro de 2008 às 23:00
Obrigada, Ana, pela referência. :)
De Ana Vidal a 12 de Novembro de 2008 às 17:23
De nada, Ângela. :-)
De marie tourvel a 12 de Novembro de 2008 às 17:00
Ai, ai, ai, Ana, querida. Só vi agora. Estou meio desatualizada com minhas leituras, mas nunca é tarde para agradecer. Você não existe, amiga.
Um grande beijo.
De Ana Vidal a 12 de Novembro de 2008 às 17:22
A continuar assim, Marie, os seus pocket classics vão todos passar pelo meu Cata-Ventos... são imperdíveis!

Beijo, querida

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

favoritos

O triunfo dos porcos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil


ver perfil

. 16 seguidores

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds