Quinta-feira, 30 de Outubro de 2008

Quero, posso e mando!

 

 

«Quero que Lisboa seja um cidade portuária e, pelo que tenho interpretado, a maioria nesta Câmara quer que Lisboa continue a ser uma cidade portuária. Eu não quero um porto só com uma marina de iates ou com um terminal de contentores mas um porto que fortaleça a base económica da cidade»

 

A contestação generalizada que este assunto tem gerado ultimamente terá tido, pelo menos, o mérito de obrigar todos os interessados a dizer o que têm na manga. António Costa já se pronunciou e, no tom ditatorial a que o governo do seu partido já nos habituou, foi peremptório a dizer o que "quer" e o que "não quer". E eu que pensava que o que ele "queria" era devolver o rio à cidade, como tão convictamente anunciava antes de ser eleito!

 

Esperemos, então, a expressão pública do que "querem" a APL e o próprio governo. Assim "possam e mandem" todos eles, claro.

 

Atenção: A petição contra este escândalo continua na barra lateral deste blogue. Assinem e divulguem, porque também todos nós temos "querer". No momento em que escrevo estas linhas, o número de assinaturas é de 6171. Não chega...

 

Etiquetas: ,
publicado por Ana Vidal às 00:07
link do post
28 comentários:
De Luísa a 30 de Outubro de 2008 às 02:15
Lisboa não tem de ser uma cidade portuária, Ana, se for melhor para ela ser uma cidade turística. Já estou tão farta de ver tapumes à beira-rio, desmazelo e lixo nas zonas mais nobres, entre o Terreiro do Paço e Belém. E parece que as obras em Alcântara serão coisa para durar uma boa meia dúzia de anos. Mais tapumes, mais desmazelo, mais lixo… Espero que a inacção e a hipocrisia dessa pequena enguia da retórica que é o António Costa lhe custe bem caro.
Tenho dito. :-)
De Ana Vidal a 30 de Outubro de 2008 às 02:32
Passámos décadas sem ver o nosso rio, tapado por contentores, ao contrário de quase todas as cidades europeias. E agora que já o víamos, recomeça o pesadelo? Não pode ser, temos que nos insurgir contra isto.
Também tenho dito! :-)
De Luísa a 30 de Outubro de 2008 às 15:38
Ana, não estou a conseguir ver a sua imagem.
De Ana Vidal a 30 de Outubro de 2008 às 18:39
Não sei o que se passa com as minhas imagens, ultimamente. São contentores, senhora! (que infelizmente não vão transformar-se em rosas...)
De Luísa a 31 de Outubro de 2008 às 02:43
Já se vê, Ana, e é muito gira. De uma Lisboa amarela com uns tons de rosa... :-)
De Ana Vidal a 31 de Outubro de 2008 às 11:01
E muito azul à vista, como convém... ;-)
De Teresa Ribeiro a 30 de Outubro de 2008 às 09:50
Ana, fez muito bem em lembrar essa promessa de António Costa de "devolver o rio à cidade"! Os políticos contam descaradamente com a memória curta do eleitorado quando fazem promessas...
De Ana Vidal a 30 de Outubro de 2008 às 18:37
Com a memória curta e com a natural abulia dos portugueses, e infelizmente podem mesmo contar com ambas...
Bem-vinda de novo, Teresa. Fez falta por cá. :-)
De Mialgia de Esforço a 30 de Outubro de 2008 às 12:05
Conheço praticamente todas as capitais europeias e afirmo com toda a segurança que Lisboa é aquela com pior qualidade de vida e onde o cidadão é tratado como o lixo que a atulha!

As situações menos claras, para ser carinhoso, sucedem-se: são as casinhas de renda bonificada, é o inibir o acesso ao jardim do Príncipe Real, são as cortes de trânsito na Av. da Liberdade, a Gebalis y sus muchachos, o Parque Mayer, o Casino, agora este cozinhado putrefacto do terminal de contentores, etc. E o cidadão que se lixe! O tuga, que só pensa nos seus interesses individuais, refila, barafusta mas amocha como de costume. A nomenklatura que governa a chafarica sabe que é assim.

De Ana Vidal a 30 de Outubro de 2008 às 18:32
Detesto ter que dar-lhe razão, Mialgia, mas não tenho outro remédio.
E nós temos uma capital lindíssima, que merecia muito melhor tratamento...
De propagandaearte a 30 de Outubro de 2008 às 15:44
Maravilha de blog!!!
Cultura, sensibilidade e prazer de ler em todos os sentidos. Maravilha.
Prometo que virei com mais calma e farei muitos comentários com muito prazer.
Um abraço e parabéns pelo destaque no Sapo, que foi o que me fez conhecer este ótimo blog.
Um abraço do Marco.
De Ana Vidal a 30 de Outubro de 2008 às 18:20
Eu é que agradeço, propagandaearte. Volte sempre.

Já agora, não se vá embora sem assinar a petição que está lá em cima...
De carlosbarbosaoli a 30 de Outubro de 2008 às 17:46
Os selvagens responsáveis por este crime contra Lisboa, deviam passar o resto da vida numa masmorra, sem poder ver a luz do dia nunca mais.
Quanto às promessa de António Costa, tive o cuidado de as comentar e guardar num post do CR, aqui há tempos. Para mais tarde recordar...
Até agora, creio que não cumpriu nem uma. Tenho pena, porque até penso que poderia ser um bom presidente da câmara, se não estivesse lá a pensar no assalto ao cargo de PM.
De Ana Vidal a 30 de Outubro de 2008 às 18:23
Sugiro que as publique agora, Carlos. Era oportuno, para comparar com esta aberração dos contentores...
De Paulo Cunha Porto a 30 de Outubro de 2008 às 18:23
O homem ainda se vai defender dizendo que um porto que contribua para a economia da cidade era uma maneira de me arrastar para a vida pública...
Mas o assunro é sério, não queremos a Capital com um tapume de caixotes.
Beijinho
De Ana Vidal a 30 de Outubro de 2008 às 18:28
Não queremos mesmo, Paulo!
Um beijinho
De patti a 30 de Outubro de 2008 às 19:20
Isto é tudo, de uma arrogância suburbana 'mete nojo'.
Enquanto aos fins-de-semana nos distrai com concertos sinfónicos nas praças, com poluição de carros topos de gama na Avenida e ruas fechadas ao domingo, aos dias de semana encafua-se lá no gabinete e congemina estratégias de arraso da cidade.
Já dava nome de herói da BD: O Dissimulado
De Ana Vidal a 30 de Outubro de 2008 às 20:27
Uma espécie de Lex Luthor, Patti? ;-)
De patti a 30 de Outubro de 2008 às 20:29
Pode ser, só lhe falta é cair o pelo!
De Ana Vidal a 30 de Outubro de 2008 às 22:51
:-)
De miguel a 30 de Outubro de 2008 às 19:50
Barcelona é uma cidade bestial, é o que ouço dizer. Estive lá este Verão e concordo. Quanta diversão, quanta cultura, quanta organização. É pena é em vez do Tejo e do oceano ter assim uma espécie de banheira de água morna onde até se toma banho. Foi ao olhar essas águas , lá do alto de Montjuich , mais o vai-vem dos barcos e o fantástico terminal de contentores, todos muito alinhadinhos ( parece que o de Tarragona ainda é maior) que pensei: pudera, com um movimento destes, já sei onde é que estes tipos vão buscar o dinheiro para alimentar esta cidade de sonho.

E no entanto Barcelona , cuja faixa que é virada para o mar é capaz de ser menor do que a de Lisboa, continua ,não obstante os necessários contentores, a ser um símbolo de cosmopolitismo , de oferta em espaços e actividades e de fantasia para qualquer turista que o queira ser, nomeadamente na sua frente ribeirinha.

Portanto, nesta questão dos contentores, na minha opinião, há que ponderar os prós e os contras e lembrar os exemplos que vêm de fora. Não li a petição mas acho que vai um pouco na linha do clássico " bota-abaixo" . Ou não será?
De Ana Vidal a 30 de Outubro de 2008 às 20:24
Faltavas tu, Miguel, a defender o governo cegamente. Tão cegamente que nem leste a petição ou te interessas pelos argumentos de quem está contra a localização do porto de contentores...

Quando tiveres paciência e um bocadinho mais de amplitude mental, proponho que leias os dois links que indico no meu post que convida a assinar a petição, já que são uma argumentação e contra-argumentação, ou seja - para me perceberes melhor - um bota-abaixo versus um bota-acima sobre este tema.

Com o teu exemplo de Montjuic presumo que estás a sugerir que, para os lisboetas verem o Tejo, é perfeitamente normal que tenham que subir ao Castelo de S. Jorge... ou não será?
De miguel a 30 de Outubro de 2008 às 21:24
Irra, tinha acabado de escrever um comentário - resposta todo catita e falhou o envio não percebo porquê.

Como não vou escrever outro tão circunstanciado informo-te apenas , Ana, que já li a petição e tratei logo de pesquisar sobre a posição da APL. Ei-la :

http://ww1.rtp.pt/noticias/index.php?article=370428&visual=26&rss=0

Não sei quem tem razão . Mas costumo correr na zona a intervencionar e além de pouco extensa ( 1,5km - só entre o Terreiro do Paço e Belém há 8 km de frente ribeirinha)
) é também pouco "povoada" pelo lisboeta amante do seu rio.

Quanto ao meu voto ando a magicar desde há uns tempos que po-lo-ei na urna, sim, mas provavelmente em branco!

satisfeita? :)
De Ana Vidal a 30 de Outubro de 2008 às 22:00
Nada satisfeita, Miguel. Porque o meu voto será muito provavelmente da cor do teu e porque preferia mil vezes que nenhum deles fosse assim. Significaria que temos um governo com que estamos satisfeitos ou uma alternativa viável, e infelizmente nada disso acontece.

Quanto à petição, fico contente por teres, pelo menos, conhecido o seu conteúdo. E a fraca utilização de 1,5Km de rio por parte dos lisboetas não autoriza ninguém a deduzir que pode impossibilitá-la de vez.
De mike a 30 de Outubro de 2008 às 21:53
Neste caso creio que ele gostaria de querer, de poder e de mandar. É que o espaço a que se refere é propriedade do Porto de Lisboa. A CML não risca nada sobre o assunto... "um porto que fortaleça a base económica da cidade"... que barbaridade e quanta demagogia.
De Ana Vidal a 30 de Outubro de 2008 às 22:28
Demagogia é coisa que não falta aos nossos governantes, Mike. Se tudo se resolvesse com Magalhães...

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

Rosa dos Ventos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds