Sexta-feira, 17 de Outubro de 2008

Helena

 

BALANÇA

 

No prato da balança um verso basta

para pesar no outro a minha vida.

 

 

É para a Helena, uma minúscula "tangerina" acabada de nascer, este belíssimo poema de Eugénio de Andrade. Que a sua vida seja sempre assim, tão leve que um verso baste para equilibrar a balança dos seus dias.

 

À Sofia e ao Pedro, que neste momento estão também tão leves que os pés nem devem tocar o chão, desejo toda a felicidade do mundo. Este foi um milagre esperado, desejado, sofrido e merecido como poucos.


(Balança é também o signo da Helena, que além disso tem um nome lindo, que me diz muito)

 

Etiquetas: ,
publicado por Ana Vidal às 21:53
link do post
5 comentários:
De JuliaML a 18 de Outubro de 2008 às 01:10

é um nome lindo,sim! olha, já o disse lá no ninho, fiquei arrepiada com os posts anunciativos. coisa linda de se ler/ver.

a vida pode ser bela!

envio aqui tambem um abraço que abrange os três.

De Luísa a 18 de Outubro de 2008 às 14:24
Muitas felicidades para a ainda minúscula «Tangerina» e para os seus pais. :-)
De Huckleberry Friend a 18 de Outubro de 2008 às 22:22
Ao fim de três dias, os pés ainda não tocam no chão. Esta supresa cheia de balões faz com que subam ainda um bocadinho mais: por agora, nenhum de nós tem, sequer, os 2,820 kg que alguém escreveu num papel... e isso é tão bom! Mas vamos esticar a mão até lá abaixo, ao teclado do computador, para mandar três beijinhos (um deles muito pequenino, mas nem por isso menos sentido!) a esta amiga. Andam muitos sorrisos a voar por aqui, mas aquele que esta entrada causou não se confunde com os demais. Obrigado, Ana!
De Ana Vidal a 19 de Outubro de 2008 às 00:14
Uma beijoca na mini-bochecha da Helena, e mais duas para os pais babados. Assim que puder vou lá ver a oitava maravilha... :-)
De sofia k. a 19 de Outubro de 2008 às 13:30
Tão querida...

estamos mesmo muito babados... mas olha que ela é mini, mas as bochechas são maxi!!! Esperamos a tua visita para adorares a nossa nenuca...

beijinhos dos três
(p.s. - com apenas 4 dias vai provar travesseiros... )

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

Rosa dos Ventos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds