Sábado, 11 de Outubro de 2008

(Not so) Oldies

Mais do que justa, esta homenagem que aqui faço a Rui Veloso, porque já tardava. As canções são lindas, como não poderia deixar de ser quando se trata de uma parceria imbatível: a que ele tem desde sempre com Carlos Tê, um belíssimo letrista. Os dois juntos têm assinado verdadeiras obras-primas. Difícil foi escolher, mas estas são algumas das minhas preferidas.

 

(A Ilha)

 

(Jura)

 

(Nunca me esqueci de ti)

 

(Cavaleiro Andante)

publicado por Ana Vidal às 19:27
link do post
21 comentários:
De JuliaML a 11 de Outubro de 2008 às 19:52

como se não bastasse, Ana, ele é ainda uma boa pessoa!
De Ana Vidal a 11 de Outubro de 2008 às 20:52
É verdade, Júlia.
De Cristina Ribeiro a 11 de Outubro de 2008 às 22:00
E sente o que canta- não só o Porto...
De Ana Vidal a 12 de Outubro de 2008 às 00:48
Acho que esse é um dos segredos da boa música, Cristina. E é o caso. :-)
De leamiguel@gmail.com a 11 de Outubro de 2008 às 22:09
Uma homenagem justíssima a esta dupla que tem dado tanta coisa boa à música portuguesa. O Carlos Tê é um poeta enorme. O Rui Veloso é um músico de talento. São como unha com carne o que nem sempre acontece.

E quando o Rui se põe a tocar blues? Lembro-me que o BB King quando foi ao Casino Estoril convidou-o a tocar com ele e percebeu-se que não estava à espera de ouvir aquele português com um ar meio apatetado a improvisar com o nível com que o fez. Foi , não obstante o convite, apanhado de surpresa. Percebi isso porque, embora o BB seja preto, estava com os olhos mais em bico do que os do Kim Il Sung. Farto-me de dizer às pessoas que o Rui Veloso é do melhor que há a tocar blues, mas acham que estou a exagerar.
De Ana Vidal a 11 de Outubro de 2008 às 22:46
Também o acho óptimo nos Blues, aliás acho-o óptimo em tudo aquilo que faz. Com aquele ar distraído, meio apatetado, como dizes... puro engano.
De Paulo Cunha Porto a 11 de Outubro de 2008 às 22:37
Querida Ana,
houve uma altura em que ele esteve em casa do Tio militar, aqui ao pé da minha. O nímero de telefone era diferente do meu apenas num algarismo, donde uma namorada dele à época, famosa, de resto, andava sempre a ligar para cá, perguntando pelo rapaz.
Tempos do meu liceu, em que cantarolávamos o «Chico Fininho» e «A Rapariguinha do Shopping», quando o melhor estava para vir.
Beijinho
De Ana Vidal a 11 de Outubro de 2008 às 22:42
É verdade, Paulo, o melhor estava mesmo para vir! Mas já prometia.
História engraçada, essa da vizinhança famosa.
Beijinho
De mike a 12 de Outubro de 2008 às 00:08
E se me permite, Ana, ainda vou estreitar mais o filtro. Jura e Nunca me esqueci de ti, para mim, ganham com considerável distância. Bela homenagem. :-)
De Ana Vidal a 12 de Outubro de 2008 às 00:51
Já tive dificuldade em escolher só estas canções, Mike. Não me peça que estreite muito mais o filtro... ele tem tantas, e todas tão boas!
De fugidia a 12 de Outubro de 2008 às 00:10
Hum... falta o "primeiro beijo!
Pois...
(risos)

Beijinhos, Ana
De Ana Vidal a 12 de Outubro de 2008 às 00:52
Falta o primeiro e todos os outros que se lhe seguiram, Fugi... ;-)
De cns a 12 de Outubro de 2008 às 00:20
...e o bairro do oriente...

bom fim de semana
De Ana Vidal a 12 de Outubro de 2008 às 00:53
acho que cada um de nós se vai lembrar de mais algumas que deviam estar aqui... :-)
De JuliaML a 12 de Outubro de 2008 às 01:03
por mim, ouço-as sempre com muiiiiiiiiiiiiiito prazer!

De JuliaML a 12 de Outubro de 2008 às 01:15

já o vi muitas vezes ao vivo e emociono-me sempre..

Não tenho colocado quase nada dele (só coloquei uma) no meu blog pq pensei que as pessoas estariam fartas de o ouvir.

Olha,abriste-me a porta, vou colocar uma pelo menos que não estã aqui estavam para sair, guardads.

eu gosto muito .do anel de rubi e "não há estrelas no céu" alem do Porto Sentido, e TODAAAAS!

brigada,Ana!
BIBÒPOERTO!
De Ana Vidal a 12 de Outubro de 2008 às 10:56
Essas são as mais famosas e as mais ouvidas, mas mesmo assim não cansam, Júlia. Toda a produção do RV resiste ao tempo e à repetição, é impressionante. Já lá vou ao Privilégios ver o que escolheste, Júlia. ;-)
De Luísa a 12 de Outubro de 2008 às 05:13
Escolheu muitíssimo bem, Ana. Nunca estive especialmente atenta ao Rui Veloso, penso que em parte por estranhar – não sei porquê - o uso do português no seu tipo de música, mas gostei imenso de o ouvir agora. :-)
De Ana Vidal a 12 de Outubro de 2008 às 10:53
O Rui Veloso é um dos grandes responsáveis - talvez o primeiro de todos - pela reconciliação da nossa língua com um tipo de música que estávamos habituados a ouvir só em inglês. E fê-lo sempre com uma qualidade e um bom gosto inatacáveis, acho eu. Fico contente por ter gostado, Luísa.

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

favoritos

O triunfo dos porcos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil


ver perfil

. 16 seguidores

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds