Quarta-feira, 1 de Outubro de 2008

Dia da Música?

Todos deveriam sê-lo.

 

Em homenagem às origens da Música, escolhi postar hoje este maravilhoso coro porque penso que, muito provavelmente, terão sido os pássaros a inventá-la. Vale a pena ouvi-lo, garanto.

 

(Estienne Mouliné - "Consert De Différents Oiseaux"

Le Poème Harmonique: Claire Lefiliâtre)

 

 

Gardez de vous abuser tous
Ce serait chose bien etrange
Si les corbeaux et les hiboux
Chantaient comme des anges
Nous sommes des dieux déguisés
Qu'en ce lieu ces beautés attirent

Et c'est pour nos cœurs embrasés
Que nos bouches soupirent

 

Il sort de nos corps emplumés
Des voix plus divines qu'humaines
Qui tiennent les soucis charmés
Et font dormir les peines
Nous vous appellons à tesmoins
Que si nos voix font des merveilles
Nos luths ne pénetrent pas moins
Les cœurs que les oreilles
 
 
Etiquetas:
publicado por Ana Vidal às 21:29
link do post
10 comentários:
De fugidia a 1 de Outubro de 2008 às 23:12
Muito bonita, sim.
De Ana Vidal a 1 de Outubro de 2008 às 23:59
:)
De Cristina Ribeiro a 1 de Outubro de 2008 às 23:13
Magnífico.
De Ana Vidal a 1 de Outubro de 2008 às 23:59
:)
De RAA a 1 de Outubro de 2008 às 23:22
Magnífico, vizinha. Para si, tal como para mim, todos os dias o são. Olhe estava a ouvir um velho LP quando cheguei ao seu blogue. Noites nos Jardins de Espanha. Deixei chegar ao fim, ouvi a sua escolha, e agora comento ao som do lado B, que abre com uma das minhas composições preferidas: Pavana para uma Infanta Defunta. Como não podem ser todos os dias dias da música?...
Um abraço.
De Ana Vidal a 1 de Outubro de 2008 às 23:58
Que luxo, caro vizinho!
Outro para si, cheio de música boa.
De Luísa a 2 de Outubro de 2008 às 04:00
Gostei muito, Ana. A música não penetrou menos no meu coração do que nos meus ouvidos. :-)

De Ana Vidal a 2 de Outubro de 2008 às 11:37
:)
De Paulo Cunha Porto a 2 de Outubro de 2008 às 17:44
Lembrei-me, ao ler-Te e ao escutar, S. Francisco, em quem coabitaram a alegria pelo canto e a da comunão íntima com ps pássaros e suas vozes.
Bj.
De Ana Vidal a 2 de Outubro de 2008 às 19:23
Paulo, ouvi os "Poème Harmonique" na igreja dos Ingleses de Lisboa, há uns anos (nas "Lamentações de Jeremias", acho) e nunca mais os esqueci. As vozes são de uma pureza impressionante.

Bem lembrado, S. Francisco de Assis.

beijo

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

favoritos

O triunfo dos porcos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil


ver perfil

. 16 seguidores

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds