Sábado, 11 de Agosto de 2007

Noite da Lusofonia


Ontem foi uma noite grande para a Lusofonia. No palco do anfiteatro natural de Alte, no Algarve, a cantora e fadista Katia Guerreiro convidou amigos de vários países de expressão portuguesa, e juntos fizeram magia. Pura magia.

Além de Katia (quanto a mim, a melhor voz que temos actualmente no Fado), Zé Renato (Brasil), Pedro Joia (Portugal), Dani Silva (Cabo Verde), Valdemar Bastos (Angola), e, last but not least, aquele que foi para mim a grande revelação da noite - Manecas Costa (Guiné-Bissau), encheram a noite morna de um Agosto algarvio de sons cintilantes e peregrinos, convocando o que de melhor existe na alma lusófona e confirmando a justeza e o alcance da célebre afirmação de Pessoa: "A minha pátria é a língua portuguesa".

Mais de 500 pessoas assistiram, emocionadas, a esta partilha de talentos e culturas. Entre elas, a primeira dama Maria Cavaco Silva, convidada de honra, acompanhada de filhos e netos. Não está ainda disponível um registo do concerto, por isso deixo aqui dois exemplos da versatilidade de Katia Guerreiro: num fado "Ancorado em mim" (a letra é minha, o que muito me honra), e numa outra parceria lusófona, com o cantor brasileiro Martinho da Vila "Dar e receber" (para o cd Brasilatinidade, de MV).

(Ancorado em mim)

(Dar e receber)
Etiquetas: ,
publicado por Ana Vidal às 12:22
link do post
3 comentários:
De ana vidal a 13 de Agosto de 2007 às 11:22
O Zé Renato é muito bom também. É da velha guarda da MPB, parceiro do Chico, do Caetano e de outros dessa época mágica. Canta uma das canções mais bonitas que eu conheço, que se chama "Navegantes". E adora Portugal.

Obrigada aos dois pelos elogios.
De Cage da Ilha a 12 de Agosto de 2007 às 16:30
Bonito, o "Ancorado em mim". Gosto muito do Dani Silva.
De RAA a 12 de Agosto de 2007 às 16:13
Cartaz formidável! Só não conheço o Zé Renato; o resto é tudo bom. «Ancorado em mim» é uma letra magnífica.

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

favoritos

O triunfo dos porcos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil


ver perfil

. 16 seguidores

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds