Quinta-feira, 28 de Agosto de 2008

Batalha naval

 

Durante anos a fio ele julgou-se um imponente porta-aviões. Poderoso, exibia a sua força pelos mares em que navegava, e eram muitos. Disparava a eito os seus tiros de canhão, e mil vezes a atirou para um naufrágio triste, de que só ela acreditava poder salvar-se. Ela era tímida, suave, ingénua. Queria tocá-lo, mas, por mais que tentasse, o seu alvo era sempre e só a água. Não lhe arranhava sequer o convés.

 

Um dia, vá lá saber-se porquê, afinou a pontaria. E quando tudo acabou ouviu-se a si própria dizer, com uma frieza que desconhecia ter: Submarino ao fundo.

 

Etiquetas:
publicado por Ana Vidal às 00:08
link do post
14 comentários:
De baterdeasas a 28 de Agosto de 2008 às 09:57
adorei
De Ana Vidal a 28 de Agosto de 2008 às 11:56
Obrigada
De JuliaML a 28 de Agosto de 2008 às 21:17

eheheh
gostei! principalmente porque é diferente do tipo de texto a que nos habituaste! e está perfeito!

É um erro escrever-se textos longos em blogs, ninguem lê, pelo menos como deve ser.

deliciousa ironia que me embalou até ao fim!
De Ana Vidal a 28 de Agosto de 2008 às 23:32
É, esta é uma historiazinha que vinga muitos "rebocadores", como diz a Luísa. ;)
De fugidia a 28 de Agosto de 2008 às 11:11
Posso dizer "Pois"?


Beijinho
De Ana Vidal a 28 de Agosto de 2008 às 11:52
Pode dizer tudo o que quiser, Fugi!
(tresleituras incluídas... lol)

Beijinho
De fugidia a 28 de Agosto de 2008 às 12:21
lol lol lol

Ah sim? (sorriso cândido)


Beijinho
De Meloes a 28 de Agosto de 2008 às 11:14
Muito, muito bom!
beijos
De Ana Vidal a 28 de Agosto de 2008 às 11:53
Ainda por cá?
De Luísa a 28 de Agosto de 2008 às 19:20
Belo jogo, Ana! Não há como acertar «mortalmente» nesses soberbos e imponentes «porta-aviões», que contam, lamentavelmente - e por tempo demasiado - com a complacência de muitos tímidos, suaves e ingénuos «rebocadores».
De Ana Vidal a 28 de Agosto de 2008 às 19:33
"Rebocadores"? Disse a palavra certa, Luísa, como sempre. Na mouche. ;)
De Filipa Martins a 29 de Agosto de 2008 às 14:35
Adorei!
De Ana Vidal a 29 de Agosto de 2008 às 14:48
Obrigada, Filipa.
De Meloes a 29 de Agosto de 2008 às 18:45
So parto dia 5.
Beijos

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

Rosa dos Ventos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds