Segunda-feira, 25 de Agosto de 2008

Escultura

 

Quem disse que só Rodin esculpiu mãos

de maneira sublime?

 

(Fotografia de Rodrigues, em Serpa)

 

Etiquetas: ,
publicado por Ana Vidal às 23:16
link do post
6 comentários:
De Cristina Ribeiro a 26 de Agosto de 2008 às 14:33
Também eu vejo em muitas obras da natureza, nomeadamente árvores, peças que o melhor dos escultores teria gostado de criar...
De Ana Vidal a 26 de Agosto de 2008 às 17:47
É mesmo, Cristina. Esta parece mesmo um par de mãos de Rodin, um escultor que eu adoro.
De JuliaML a 26 de Agosto de 2008 às 22:57

tu acreditas que ontem vim aqui (duas vezes, eu e a minha sombra) comentar neste teu post?
não lembro se perdi inadvertidamente os comentários ou não tive estaleca para clicar no botão e enviar.
é que me deu para desatinar com o rodin.

sobre esta obra prima,, é um escultor , os olhos que a vejam. tropeçamos a maioria das vezes nestas belezas naturais com osolhos fechados para estas maravilhas.


De Ana Vidal a 26 de Agosto de 2008 às 23:05
Viraste fantasma, Júlia? LOL
Percebo-te: o Rodin também me faz desatinar.

Mas enfim, hoje comentaste e em grande estilo!
De JuliaML a 27 de Agosto de 2008 às 22:51

virei

mas amanhã vai ser pior. um mau dia...e agora lembrei que por coincidência é 5ª feira. ironias destas ,só comigo acontecem.
Acetam-se e agradecem-se sugestões na minha caixinha.
falando de Rodin- há dias delirei com a Angela do Micro-argumentos.colocou-o, num micro-conto, como auxiliar dos discipulos.

ahahah

eu costumava separar a obra do criador,mas será humano, esquecer ?...
beijinho

De Ana Vidal a 28 de Agosto de 2008 às 02:48
A obra é sublime, o criador é pouco recomendável (a não ser que tenha sido a Camille Claudel). Acontece tantas vezes...

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

favoritos

O triunfo dos porcos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil


ver perfil

. 16 seguidores

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds