Segunda-feira, 4 de Agosto de 2008

O avesso do avesso

 

O Sr. Trindade, mecânico bonacheirão e atencioso que a minha Mãe tratou, há muitos anos, de uma pneumonia grave, já descobriu quem eu sou. Desde que vivo em Sintra, acontece-me muitas vezes ser interpelada na rua por gente que a conheceu bem e a adorava.

 

Vê-me passar (de phones nos ouvidos e de ténis, apressada na minha caminhada matinal) e chama-me da porta do Café Ideal: "A menina não se lembra de mim, era muito pequenina... mas eu gostava muito da sua mãezinha. Foi ela que me salvou a vida. Olhe, gostava de lhe apresentar a minha esposa. Anda cá, Carmo."

 

Recebo dois beijos repenicados da cara mais simpática que tenho visto nos últimos tempos, dou-lhes dois dedos de conversa e despeço-me, recusando, com dificuldade, o bolinho tentador que me querem oferecer à viva força. Afasto-me sorrindo, e de repente dou-me conta do nonsense: acabei de conhecer o "negativo" da velha referência: A Carmo e O Trindade.

 

Etiquetas: ,
publicado por Ana Vidal às 01:12
link do post
10 comentários:
De Cristina Ribeiro a 4 de Agosto de 2008 às 09:38
:) Coisas que, parecendo pequeninas, dão sabor à vida.
Boa semana, Ana.
De Ana Vidal a 4 de Agosto de 2008 às 10:16
Boa semana, Cristina. :)
De Cristina Ribeiro a 4 de Agosto de 2008 às 10:00
Off topic-Tendo ontem, após um comentário, começado a reparar nas BRISAS que vão entrando pela porta, essa de Jorge Luís Borges é de sábio.
De Ana Vidal a 4 de Agosto de 2008 às 10:15
É mesmo. Concordo absolutamente com ele, e para mim não é difícil praticar o esquecimento. Porque sou naturalmente distraída e porque não consigo odiar ninguém. Nem quero... os ódios consomem muita saúde e a minha é-me preciosa!
De fugidia a 4 de Agosto de 2008 às 13:32

E o dia começa logo bem; com uma bela caminhada, ao sabor da brisa matinal, e com esse carinho...
Beijinhos.
De Ana Vidal a 4 de Agosto de 2008 às 19:17
E sem me cair em cima "o Carmo e a Trindade"...
Beijinhos
De mike a 4 de Agosto de 2008 às 19:20
A Carmo e O Trindade, Ana. ;)
De Ana Vidal a 4 de Agosto de 2008 às 19:25
Esses caíram, mas suavemente...
De JuliaML a 5 de Agosto de 2008 às 20:38
:-)

acho tão giras essas coisas!
De Ana Vidal a 6 de Agosto de 2008 às 00:55
Júlia... onde andas?
:)

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

Rosa dos Ventos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds