Terça-feira, 29 de Julho de 2008

Caminhos privilegiados

 

Querida Júlia,

 

tem sido para mim um verdadeiro Privilégio percorrer os teus Caminhos: de poesia, de brincadeira, de música escolhida. Tudo em amena cavaqueira de amigos, talvez a melhor maneira que conheço de atravessar a vida. E a vida blogosférica não é diferente.

 

O fim de um blogue não é o fim do mundo... muitas vezes não é mais do que a renovação necessária para novas experiências. Sendo assim, fico calmamente à espera da tua próxima inspiração, sabendo que vou gostar de descobri-la e sabendo também que terei lá um lugarzinho à minha espera. O teu, aqui no Porta do Vento, está sempre garantido. Espero que continues a aparecer sempre.

 

E quando regressares, que seja como no teu poema:

 

 

REGRESSO 
 

Quando se regressa
a sombra é luz
onde os barcos deslizam.

(Júlia Moura Lopes)

 

Etiquetas: , ,
publicado por Ana Vidal às 18:43
link do post
7 comentários:
De Luísa a 29 de Julho de 2008 às 20:13
Faço minhas as suas palavras, Ana.
De Cristina Ribeiro a 29 de Julho de 2008 às 20:34
Junto-me à Ana e à Luísa.
De JúliaML a 29 de Julho de 2008 às 21:42

Querida Ana, que coincidência colocares-me estrategicamente num degrau acima do dustin hoffman, sinto-me uma estrela de cinema :-))

comoveste-me...Obrigada amiga!

um abraço grande para ti e outro para às meninas do coro :-))



De O Réprobo a 29 de Julho de 2008 às 22:34
E cá o Frei Tomás está desoladíssimo. Não há direito! Pode-se dizer que está na cara que perder o Privilégio dos Caminhos é... o fim da picada!
Reconsidere, Julíssima Amiga!
De JúliaML a 30 de Julho de 2008 às 19:39

O Frei Tmás nao tem por que estar desolado,...ora, eu não desapareço jamais para os amigos :-)

beijo grande,amigo!

De mike a 29 de Julho de 2008 às 23:41
pst, ó menina Júlia... cuide que essa luz onde os barcos deslizam se acenda depressa... :)
De JúliaML a 30 de Julho de 2008 às 19:36

estou cuidando, menino Mike, estou cuidando ;-)

beijinho

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

favoritos

O triunfo dos porcos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil


ver perfil

. 16 seguidores

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds