Sábado, 19 de Julho de 2008

Ooooops!

 

Afinal, o Hermitage já não terá o anunciadíssimo pólo fixo em Portugal. Os russos acham que nós "não temos dinheiro nem condições" para albergar uma parte da colecção do famosíssimo museu de S. Petersburgo... não percebo bem se acham que o país não tem dinheiro para manter as peças em segurança ou, simplesmente, que os portugueses não têm dinheiro para pagar a entrada. Coisa um tanto estranha, já que a breve exposição temporária no Palácio da Ajuda registou um índice de mais de 100.000 visitantes, cimentando a nova moda lisboeta de acorrermos todos em força a cada nova oferta museológica, criando filas intermináveis e dando a ilusão de que somos um povo preocupado com a cultura. Não me queixo disso, pelo contrário. Pode ser que a moda pegue de vez, e passemos a interessar-nos mesmo por estas coisas...

 

Mas, voltando ao Hermitage (ou deve escrever-se Ermitage?), é pena que, entretanto, tenhamos gasto um milhão e meio de euros (!) nos preparativos para a instalação do tal pólo fixo, pelos vistos dado como coisa garantida, por Moscovo, ao governo português. De outro modo, como se justificaria este excesso de confiança e os gastos avultados com um "projecto" não confirmado? E, já agora, o que fazer com o espaço já destinado a tão frustrado desejo?

 

Será pedir de mais que alguém nos explique tudo isto, por favor?

 

(Como se vê, hoje estou em maré de ler notícias...)

 

Etiquetas:
publicado por Ana Vidal às 16:08
link do post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

favoritos

O triunfo dos porcos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil


ver perfil

. 16 seguidores

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds