Domingo, 22 de Junho de 2008

Vovô Bin Laden? Era eu...

A propósito da teoria da reencarnação, o Paulo Cunha Porto  foi saber neste site (de seriedade inatacável, evidentemente...) quem teria sido, numa vida passada. Saiu-lhe na rifa um sacerdote pré-colombiano, empoleirado numa pirâmide de Teotihuacán a pedir chuva aos deuses. Meti-me com ele por causa disso e fui duramente castigada (por esses deuses, com toda a certeza...): na minha rifa veio, nada mais nada menos do que... um avô do Bin Laden!!

 

 

Diagnóstico de su vida pasada:


No sé si le parecerá bien o no, pero usted era males en su última encarnación terrena. usted nació en algún lugar del territorio que hoy es Arabia Saudita en torno al año 1250. Su profesión era pastor, jinete o guardabosques.


Un breve perfil psicológico de su vida pasada: :


Tipo revolucionario. Inspira cambios en todas las esferas – política, negocios, religión, cuidado del hogar. Podría haber sido un líder


La lección que su vida pasada le ha dado para la encarnación actual :


Lo suyo es la resolución de problemas de contaminación ambiental, reciclaje, malos usos de materias primas, eliminación de radiactividad por todos los medios, incluidos los métodos psicológicos..


¿Recuerda ahora?

 

E ainda têm dúvidas, se a ideia me parecerá bem ou não...

Yo no me acuerdo de nada, lo juro por Dios!! 

 

Mas, pelo sim pelo não, já estou a treinar algumas técnicas de tortura psicológica para eliminar resíduos radioactivos, caso os outros métodos falhem.

 

publicado por Ana Vidal às 01:26
link do post
27 comentários:
De maria.musqueteira a 22 de Junho de 2008 às 08:06
viva ana vidal...onde se vai fazer essa coisa???? !!!! tenho um amigo meu que diz assim:" nunca entendi porque é que quando alguém vai ver quem foi na vida passada... era sempre alguém sempre sonante!" assim sendo vou lá ver o que dá ;) bom domingo!
De Ana Vidal a 22 de Junho de 2008 às 18:12
Olá, Maria! O link está aqui mesmo, no post, onde diz "este site".
Também já pensei nisso, e tem graça: realmente, ninguém quer ter sido menos do que Cleópatra ou Júlio César! A modéstia não liga com a teoria da reencarnação...
Beijinho
De Júlia a 22 de Junho de 2008 às 09:32
inspira cambios!!! risos

ontem estive para fazer e depois esqueci-me, adormeci.

quero saber que demónios trago dentro de mim -risos
De Ana Vidal a 22 de Junho de 2008 às 18:09
Inspirar cambios não é mau, Júlia. Veremos o que dá o teu.
De O Réprobo a 22 de Junho de 2008 às 10:49
Ui, que medo, Querida Ana. Agora, está Frita! De cada vez que discordarmos, chamo-Lhe "Revolucionária", o que na minha boca é insulto valente. Vale que a parte da Pastora convoca o encanto das Éclogas e da pintura francesa do Séc. XVIII.
Mas enfim, o ecologismo suponho que redimirá, Sua Gore Girl!
Beijinho
De Ana Vidal a 22 de Junho de 2008 às 18:08
Mas, caro Paulo, seu insulto é para mim um elogio! Pode chamar-me revolucionária à vontade. Não combina muito é com a pastora bucólica francesa, a não ser que seja um disfarce e o cinto de explosivos esteja escondido pelo avental...
Gore Girl? lol, essa está óptima!
Beijinho
De Pedro Barbosa Pinto a 22 de Junho de 2008 às 10:55
Vôvô Bin Laden seria a Ana mais as restantes mulheres nascidas no planeta Terra no mesmo dia que a Ana. Considerando que o dito cujo é um bom dum filho da puta, até pode estar correcto…

Pois eu, mais os restantes homens que nasceram no mesmo dia que eu, andamos pelos Estados Unidos a ‘guerrear, caçar, pescar ou a executar sacrifícios’ por finais do séc. XVII (os melhores tempos para se estar na Europa e fui dar aos EU. O azar já me vem de trás!) e, como o réprobo, gostávamos de passear e investigar tendo passado ao lado do que o perfil psicológico nos aconselhava que era sermos detectives ou espiões.
Diz que a minha riqueza nesta encarnação me está enterrada na alma e que ando por cá para desenvolver a auto-estima e implantar esperança no coração dos outros. Ainda vou chegar a Papa!


De Ana Vidal a 22 de Junho de 2008 às 18:02
Pedro, tive que ler segunda vez o primeiro parágrafo do seu comentário, que não estava a soar-me nada bem... mas como o sei educadíssimo, acho que percebi à segunda o que quer dizer.
Mas vai ter que moderar a linguagem, meu amigo, se quiser mesmo chegar a Papa!
;)
De Pedro Barbosa Pinto a 23 de Junho de 2008 às 11:31
Upsss :)
De Ana Vidal a 23 de Junho de 2008 às 11:34
Não se preocupe, Pedro, isto aqui não é o Vaticano!
lol
De mike a 22 de Junho de 2008 às 11:07
Por Alá!
De Ana Vidal a 22 de Junho de 2008 às 18:00
Para que saiba, Mike, que tem que ter muito respeitinho por este bombista que há em mim...
lol
De Musico Guerreiro a 22 de Junho de 2008 às 17:34
Eu era banqueiro no Norte da Nova Zelandia no seculo XIV.
Sempre a aprender... e eu que pensava que no sec. XIV so havia aborigenes por essas terras!
Beijos
De Ana Vidal a 22 de Junho de 2008 às 17:59
LOL. Talvez os aborígenes já tivessem bancos...
beijo
De Luísa a 22 de Junho de 2008 às 17:47
Querida Ana, está explicado. Já tinha pressentido em si o gene da militância entusiástica e activa por certas causas (boas causas) sociais. A minha vida passada é bem mais serena: fui marinheiro, cozinheiro ou carpinteiro numa ilha da Sumatra, no século XVII, e demonstrei calma e sangue-frio em todas as situações. Mas acho que preferia apascentar os meus rebanhos – e conspirar consigo, Ana! - no deserto. :-)
De Ana Vidal a 22 de Junho de 2008 às 17:57
Querida Luísa, continuando a alinhar nesta brincadeira, talvez a minha atracção pelo deserto tenha alguma raíz neste perfil passado... e gosto de confirmar nele o meu inconformismo, e de imaginar-me a despertar consciências para causas importantes sem aceitar as marés estabelecidas. Gosto de desafios, isso é verdade. Mas pacíficos, sempre. E os pastores são todos meios filósofos, não são? Já não acho tão mau ter sido o avô do Bin Laden...

Marinheiro na Sumatra? Mas isso era viver no paraíso, minha amiga! Salvo os tsunamis, de vez em quando...
De cristina ribeiro a 22 de Junho de 2008 às 18:46
Seguindo o conselho que aí me dão para a actual encarnação, o de me guiar pela intuição, aposto alto em como no caso concreto da Ana deram um tiro no pé...
De Ana Vidal a 22 de Junho de 2008 às 19:31
Obrigada pela solidariedade, Cristina, se se refere ao meu passado bombista...
:)) beijinhos
De fugidia a 22 de Junho de 2008 às 23:39
eSTOU FARTA DE ME RIR aNA.
aMANHÃ FAÇO O MEU
De fugidia a 22 de Junho de 2008 às 23:39
Sorry a troca das maiúsculas e minúsculas (risos)
De Ana Vidal a 23 de Junho de 2008 às 00:27
Queremos saber, Fugi. E não se preocupe, que pior do que o meu é difícil...
;)
De RAA a 23 de Junho de 2008 às 00:01
Tem graça, vizinha. Mão amiga foi ao site, e então parece que terei sido, no século XVI, na mais setentrional América (o Canadá actual), qualquer coisa entre o poeta e o pajé!...
Um abraço.
De Ana Vidal a 23 de Junho de 2008 às 00:26
Muito bem, vizinho. Então não mudou muito, a não ser na geografia...
Beijo
:)

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

Rosa dos Ventos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds