Segunda-feira, 31 de Março de 2008

Leva tempo


Leva tempo entender que a vida é curta.
Às vezes, leva quase toda a vida.
O vivo, quando entende, agora surta,
busca agarrar a vida já vivida

e perde o pouco tempo que lhe resta
cavando o tempo em busca de si mesmo.
Gastasse as poucas horas numa festa,
evitaria esse final a esmo.

A vida é curta além do que entendemos
porque nenhum de nós foi avisado
do tempo que anda além do que o que vemos.

Se o fôssemos, quem não teria dado
mais tempo ao "meu amor" do que ao "oremus",
mais glórias ao virá do que ao passado?

Jayme Serva, no seu melhor.
Etiquetas: ,
publicado por Ana Vidal às 16:25
link do post
10 comentários:
De av a 3 de Abril de 2008 às 10:34
Beijo, Jayme. Melhor é ter vc por aqui.
De jayme a 2 de Abril de 2008 às 19:36
AV, bom mesmo é estar por aqui. Beijo!
De av a 2 de Abril de 2008 às 12:44
Já descobri o outro, Júlia. Não sabia que era dele... e são óptimos, de facto. Temos um Capitão-Poeta!
De Júlia Moura Lopes a 2 de Abril de 2008 às 01:50
tem dois,Ana! Eu já lhe vi dois e muitissimo bons.

Umapena ele não fazer mais. Por isso fiquei desconficada se esse não seria dele também.
beijo ensonado
De av a 2 de Abril de 2008 às 00:30
Este soneto é do Jayme Serva, Júlia. Mas o nosso Capitão tem um poema muito bonito também, lá nos trópicos...
De Júlia Moura Lopes a 1 de Abril de 2008 às 23:55
não entendi nadaaaaaa

O poema é do nosso Capitão?
De av a 31 de Março de 2008 às 20:09
Adoro os sonetos do Jayme, Capitão.
E parabéns a ti também, que o teu poema é óptimo. Espero ver mais como este. Que insónias tão produtivas...
Beijinho

(Não sabias do Cavalo Ruço? Pensei que sim, e que estavas a meter-te connosco por causa disso!)
De Capitão-Mor a 31 de Março de 2008 às 19:55
Que palavras sublimes!

Sim, o poema é meu. São os resultados de algumas noites com insónias.

Foi uma surpresa agradável aquela história do "Cavalo Ruço"! :)
De av a 31 de Março de 2008 às 19:20
Que bom, Once. Volte porque será sempre bem-vinda, com muito ou pouco tempo.
Beijinho
De Once In a While a 31 de Março de 2008 às 17:52
" a vida é curta além do que entendemos .." sem dúvida.
Mas agora estou "furiosa" .. o meu tempo é curto para estar ali perdida de sorriso a ler violinos ;)
Mas gostei tanto que voltarei!

Beijinho

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

Rosa dos Ventos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds