Segunda-feira, 16 de Junho de 2008

Futuro


A melhor maneira de prever o futuro é inventá-lo.

 

(autor desconhecido)

 

 

Etiquetas:
publicado por Ana Vidal às 02:21
link do post
10 comentários:
De Hetie a 16 de Junho de 2008 às 05:50
Cara Ana....por falar em futuro, nosso amigo do Zoo ja abriu novo negocio? me avise para que eu possa visita-lo, se me for permitido.
Obrigada,
beijinhos.
De Ana Vidal a 16 de Junho de 2008 às 11:00
Olá Hetie.
Não, que eu saiba o JG ainda não voltou à blogosfera. Quando isso acontecer eu dou notícia.
Beijinhos
De CNS a 16 de Junho de 2008 às 11:17
E queremos prevê-lo?

boa semana
De Ana Vidal a 16 de Junho de 2008 às 11:38
Por mim, prefiro inventá-lo!

Boa semana, Cristina.
De mike a 16 de Junho de 2008 às 22:21
A melhor ou a única? :)
De Ana Vidal a 16 de Junho de 2008 às 22:36
Sem bolas de cristal, búzios ou cartas... sim, a única. E sempre a melhor, acho eu.
De O Réprobo a 16 de Junho de 2008 às 22:36
Queerida Ana,
nada mal, considerando o que há a dar. Tendo presente o que nos é legado, tenho a de A. N. Whitehead, que diz que "a melhor maneira de dominarmos a Natureza é submetermo-nos a ela". Juntem-se as duas e temos um tradicionalista!
Beijinho
De Ana Vidal a 16 de Junho de 2008 às 22:39
Ou teremos um velho sábio, como o prova a cor da sua cabeça...
Mas inventar o futuro em vez de esperar que ele se desenhe à nossa frente, não tem nada de tradicionalista, Paulo!
Beijinho
De O Réprobo a 17 de Junho de 2008 às 12:23
Fazer o Futuro é conceito aberto, Ana. Eu falei em tradicionalismo, quando ligado ao que aceitamos de trás, na frase de ANW.
Beijinho
De Ana Vidal a 17 de Junho de 2008 às 13:02
É com o que levamos de trás que construímos o Futuro, não é? Tudo está ligado, então...

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

Rosa dos Ventos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds