Sexta-feira, 6 de Junho de 2008

Oldies (7)

Otis Redding, my one and only da Soul Music... ever!*. Simplesmente maravilhoso, não concordam?

 

 

 

1. The dock of the bay

2. Try a little tenderness

3. My girl

 

* A versão feminina desta maravilha é a igualmente maravilhosa Aretha Franklin, que estará aqui também, nos "Oldies", muito em breve.

Etiquetas:
publicado por Ana Vidal às 16:35
link do post
19 comentários:
De psb a 6 de Junho de 2008 às 17:53
Ana
Nem vale a pena comentar... mas comento.
Estes dois são dos Grandes, dos Eternos.
Fabulosos!
Pena o OR ter morrido tão cedinho.
Beijos
De Ana Vidal a 6 de Junho de 2008 às 18:42
Muita pena, é verdade. Tanto que ficou por cantar e por nos encantar...
De mike a 6 de Junho de 2008 às 18:28
O melhor da soul music, que é simplesmente a melhor! A minha preferida é The dock of the bay.
De Ana Vidal a 6 de Junho de 2008 às 18:35
A minha também, por isso sujeitei a minha "jóia da coroa" a esta imagem pirosa do video. Porque tem bom som. Mas também adoro as outras duas, e mais algumas que ficaram para a história.
De minucha a 6 de Junho de 2008 às 18:36
Não sei porquê, mas Otis Redding, sempre atira comigo para dentro do Verão, seja o que for que cante.
E danço
De Ana Vidal a 6 de Junho de 2008 às 18:47
Tem razão, Minucha, nunca me lembrei disso mas é verdade. A mim também me faz mergulhar no Verão, tem piada...
De minucha a 6 de Junho de 2008 às 18:45
Ana

se puser a Aretha Franklin a cantar o "Ne me quitte pas", posso dar livremente a minha polémica opinião?
No outro dia fi-lo num blog, que levou a mal.
De Ana Vidal a 6 de Junho de 2008 às 18:49
Sabe que nunca a ouvi cantar o "ne me quittes pas"? Não seria essa a pôr aqui, com tantas que me vai ser difícil escolher... mas aqui pode dar a sua opinião, seja ela qual for, sempre que quiser. Diga lá o que acha, agora despertou-me a curiosidade...
De minucha a 6 de Junho de 2008 às 19:05
Sou fanática do Brel, mas esta é a única de que não gosto.
começa logo aqui a polémica, porque todos acham que é das mais belas canções de Amor.
Para mim Amor nunca poderá ser humilhação.
ora para mim, estes versos finais

"Laisse-moi devenir
L'ombre de ton ombre
L'ombre de ta main
L'ombre de ton chien"

são a demonstração se se ser "capacho", onde se limpam os pés. isto para mim não é Amor, é obsessão de alguém que não quer que o outro parta.
Brel ainda a canta com dignidade.
Aretha Franklin, canta-a, transformando-a em humilhação abjecta.
Adoro Aretha Franklin, mas não nesta.
é só a minha opinião, não vale grande coisa.
(sorriso)

De Ana Vidal a 6 de Junho de 2008 às 19:21
Ora essa, Minucha, vale tanto como a contrária! Que é a minha, por acaso. :)

Minucha, é impossível não concordar consigo quanto ao significado da letra, é mesmo a suprema humilhação de alguém que está desesperado porque foi ou vai ser abandonado. E o Brel escreveu-a quando estava a viver uma situação assim, portanto é mesmo sentida.
Mas o que eu acho é que são um desespero e uma humilhação sublimes, em termos musicais e literários. J. Brel era muito mais do que um letrista - era um grande poeta, para mim.
E a paixão (não necessariamente o amor), pode levar a extremos terríveis... a grande arte é quase sempre feita por gente que se excede.

Enfim, o que lhe digo é que prefiro não viver uma stuação destas, mas acho a canção uma beleza. Mas é só o meu gosto, não tem que ser o seu. Por isso volte sempre, mesmo que seja para discordar.
beijinho
De Ana Vidal a 6 de Junho de 2008 às 23:01
Minucha, se não conhece ainda não resisto a recomendar-lhe a versão absolutamente extraordinária de Estrella Morente do "ne me quittes pas". Tem um toque de flamenco que lhe dá ainda maior dramatismo, mas tem que abstrair da pronúncia, que é fatal (uma espanhola a cantar em francês...). Veja aqui: http://www.imeem.com/fernanda86/music/KFSXxJQQ/estrella_morente_ne_me_quitte_pas/
De João Paulo Cardoso a 6 de Junho de 2008 às 19:51
Vivam as Oldies Goldies!!

Beijos e bom fim de semana.

Ah!Depois de uma semana dedicada ao futebol, eis o menu para a próxima semana no "Regresso ao Eldorado":

* "Geno" dos Dexy Midnight Runners
* As cassetes
* Pluto e Ron-Ron no Top Geração Tio Patinhas
* E, pela primeira vez na internet, a foto-tabu do autor do blogue ilustra a memória em "Quando eu era uma princesinha"!!
De cristina ribeiro a 6 de Junho de 2008 às 20:53
Depois de dizer que o meu jantar vai ser muito mais animado, deixe-me falar também de "ne me quittes pas": só conheço a versão do Brel, e é verdade que só pode ter sido ditada por uma situação de extrema fragilidade, e sei- por casos próximos- que nessas alturas as pessoas perdem as defesas todas e deixam-se machucar irracionalmente,; quando há talento pelo meio , resulta numa beleza tão pungente, mas tão grande...
De fugidia a 6 de Junho de 2008 às 21:20
Querida Ana, já sabemos que somos ambas "loucas" pela "dock of the bay"
É uma das minhas músicas "top ten"

Quanto ao "ne me quittes pas" de J Brell, devo dizer que é uma música belíssima, cantada com tanto sentimento por ele que, apesar dos juízos de valor que se possam fazer sobre o conteúdo da letra, toca-me de modo muito profundo.
E a música é muito, muito mais do que a letra: é a melodia e é, sobretudo, a entrega de quem a canta.
Beijinhos.
De Ana Vidal a 6 de Junho de 2008 às 23:09
Também está no meu top ten, claro!
Adoro o Otis Redding e acho que nunca mais apareceu uma voz masculina tão boa na Soul. A do Terence Trent d'Arby aproxima-se em qualidade, mas ele canta outro género de músicas... um dia destes ponho-o aqui também.
beijinho
De O Réprobo a 6 de Junho de 2008 às 22:58
É bom é. E também gosto da Aretha, normalmente, embora não me lenbre de a ouvir no «NMQP».
Beijinho
De Ana Vidal a 6 de Junho de 2008 às 23:11
Pois, Paulo, nem eu... vou procurar.
E eu não gosto normalmente da Aretha, gosto "anormalmente"!!
;-)
De Sofia a 7 de Junho de 2008 às 12:05
'The dock of the bay' uma das minhas músicas da vida! Já dancei ao pequeno-almoço!!! Se tivesse travesseiros seria momento perfeito... (estava mesmo a apetecer!)

beijos miúda e se apareceres pela feira do Livro avisa, que eu vou continuar por aui encantada com estas maravilhas
De Ana Vidal a 7 de Junho de 2008 às 12:09
Ok. Beijinhos

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

Rosa dos Ventos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds