Quinta-feira, 5 de Junho de 2008

Palavras

 

às vezes há uma palavra que leva a outra palavra e esta a uma terceira e por aí fora até que a primeira já não faça nenhum sentido e não tenha qualquer relação com todas as outras que gerou.  as palavras levam ideias e vontades e desejos de um lado para o outro ao sabor de ventos e marés porque as palavras são como o mar que não tem princípio nem fim apenas um vai vem cadenciado que nos embala nas suas sete ondas peregrinas em romaria até à praia.  as palavras nascem como os cogumelos uns inofensivos e outros letais mas todos com o mesmo aspecto apetitoso que apetece trincar.  as palavras têm vida própria juntam-se e separam-se como e quando lhes dá na gana sem autorização de quem lhes abriu a porta sem saber que nunca mais teria uma palavra a dizer sobre o assunto.  as palavras são caprichosas sim leves e divertidas umas vezes outras tristes e melancólicas outras graves e solenes outras de um peso tão grande que faz dobrar a espinha.  as palavras são responsáveis por muitos equívocos e por muitos dramas mas também por muitos sorrisos e boas surpresas casaram e foram felizes para sempre e tiveram muitos meninos com os olhos da mãe e o sorriso do pai the end. 

 

Etiquetas:
publicado por Ana Vidal às 01:08
link do post
35 comentários:
De mist a 5 de Junho de 2008 às 01:59
Já deve estar farta que lhe digam isto, mas lá vai: o seu blog é excelente e a sua escrita magnífica.
De Ana Vidal a 5 de Junho de 2008 às 09:48
Obrigada, mist, é muito simpático da sua parte. Volte sempre.
De Pitucha a 5 de Junho de 2008 às 08:31
É mesmo assim. Gostei muito deste teu texto.
Beijos
De Ana Vidal a 5 de Junho de 2008 às 09:49
Sei que gostas de palavras, como eu.
Um beijinho
De OnceinaWhile a 5 de Junho de 2008 às 09:38
palavras, bens preciosos que encerram mistério para quem quiser desvendar .. outras vezes verdadeiras pedras não no charco mas contra a moral e a ingenuidade de alguém ..

Perfeitamente utilizadas neste seu "desabafo" Querida Ana ..
Beijinho *
De Ana Vidal a 5 de Junho de 2008 às 09:51
É verdade, querida Once, as palavras servem para quase tudo, depende muito de como e por quem são usadas.
Beijinho
De MA a 5 de Junho de 2008 às 09:49
As palavras - algumas são como punhais, outras orvalho apenas, outras paus e pedras e outras fustigam como nortadas, como dizem os poetas - E. Andrade e Torga.

Outras têm o sorriso do pai e vivem felizes para sempre como escreve a Ana.

Que delicioso exercício de "divagação" escrita acerca das palavras.

Mais do que as análises económicas ou políticas e a actualidade são estes exercícios de "divagação" acerca das palavras ou de um quadro ( bem como a poesia ), que tornam a sua escrita tão fresca e marcante.

Beijos
De Ana Vidal a 5 de Junho de 2008 às 09:56
Muito obrigada, MA. A realidade impõe-se-me todos os dias, não é possível ignorá-la e é importante reflectir sobre ela para podermos mudar alguma coisa. Mas, sim, estas "divagações" têm mais que ver comigo.

beijo
De carla mar a 5 de Junho de 2008 às 11:48
A D O R E I.

Fantástico (como sempre!).
Beijinho :)
De Ana Vidal a 5 de Junho de 2008 às 12:46
Obrigada, Carla.
Outro!
:)
De CNS a 5 de Junho de 2008 às 12:51
As palavras têm a propriedade de se tornar respiráveis. Vitais.
Belo texto.

De Ana Vidal a 5 de Junho de 2008 às 15:50
É isso, Cristina. As palavras respiram-se, como o ar.
De sofia a 5 de Junho de 2008 às 14:33
É o que eu digo, miúda, andas muito inspirada! Não há aí um bocadinho para partilhar? Ando aqui no meio destes livros todos, mas anda difícil! Talvez amanhã... ;)

Palavras para quê... já as disseste todas!

beijos

P.S. Por falar em limões, não queres ficar a tomar conta do meu limãozinho esta noite?
De Ana Vidal a 5 de Junho de 2008 às 15:53
Com muito gosto, mas não vejo como... só se vier o limoeiro agarrado... lol
De Capitão-Mor a 5 de Junho de 2008 às 14:41
Uma reflexão muito interessante. Por vezes, por via desses mal entendidos penso que tenho de traçar as palavras a régua e esquadro...
De Ana Vidal a 5 de Junho de 2008 às 15:56
Sim, Capitão, às vezes temos que medi-las bem. Mas não sou muito adepta de tanta geometria, prefiro o desenho livre. Ou à vista...
De cristina ribeiro a 5 de Junho de 2008 às 17:02
É isso: as palavras conduzem-nos por caminhos tão escusos, por vezes; mas outras há que são redentoras...
Muito bonito.
Beihjinho, Ana
De Ana Vidal a 6 de Junho de 2008 às 03:40
Beijinho, Cristina.
:)
De O Réprobo a 5 de Junho de 2008 às 17:55
Querida Ana,
sendo as palavras o barro informe moldável à vontade do freguês, prossigamos nessa sumarenta ordenha delas e relembremos a diferente repercussão e, alfim, sentido que podem as mesmíssimas ter, em sendo proferidas ou transmitidas pela escrita. Falei disso em:
misantropoenjaulado.blogspot.com/2006/11/elogio-em-causa-prpria_26.html
Porque da ilusão ou desilusão com a permanência que elas nos possam legar depende a subsistência da validade delas. E as da Ana, nos livros ou no blogue, não ficam na trouxa para o Vento levar.
Beijinho
De Ana Vidal a 5 de Junho de 2008 às 18:25
Segui o link, Paulo, e constato que o número de "palavras" coleccionadas por si já aumentou substancialmente, daí para cá ... não vai já em mais de 28.000? Então, a isso é que eu chamo uma sumarenta ordenha!
Beijinho

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

favoritos

O triunfo dos porcos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil


ver perfil

. 16 seguidores

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds