Quarta-feira, 30 de Abril de 2008

Um ano de blogosfera



À mesa de um blog

 

«Bem observado, o post de Eduardo Pitta no "Da Literatura", que estabelece o paralelismo entre as tertúlias que havia nos Cafés e a actividade bloguística. Concordo: os blogs, hoje em dia, cumprem a mesma função dos Cafés de antigamente. E, tal como antes, cada um só convida para a sua mesa quem quiser que lá esteja.


Porque há mesas para todos os gostos: desde as elitistas dos cafés "chiques", onde o grupo está formado, de pedra e cal, e ninguém mais pode perorar (são os blogs que não admitem comentários) até às mais saloias dos cafés de bairro, em que cabe sempre mais uma cadeira, por isso qualquer desbocado pode entrar na tertúlia e dizer alarvidades de sua justiça. Entre estes dois extremos, há variações possíveis e interessantes. Por exemplo, a de pôr na rua, sem contemplações, os convivas que não saibam comportar-se à mesa, sorvam o café com ruído, palitem os dentes ou agarrem na xícara de dedinho empinado, enquanto dizem baboseiras. O Porta do Vento tende para esta opção, mas, como começou agora a andar nesta vida de cafés, por enquanto bebe uma bica aqui, um galão acolá. E assim, de mesa em mesa, há-de encontrar os seus pares e fazer um dia a sua.


Até lá, todos poderão vir dar uma espreitadela e dizer como gostam da torrada. E, porque hoje é Domingo, a bica é por conta da casa.»


 



Escrevi isto há um ano, pouco depois da Declaração de Princípios. Felizmente, os meus vaticínios cumpriram-se: o Porta do Vento fez a sua própria mesa, e hoje tenho o maior gosto em enchê-la de cadeiras, com muitos lugares cativos e outros que se mantêm disponíveis para novos convivas. Felizmente, também, nunca tive que expulsar da mesa nenhum deles. Por outro lado, orgulho-me de dizer que, durante este primeiro ano, muitas outras mesas me aceitaram no seu convívio. Primeiro timidamente, depois com mais confiança e, por fim, como quem se sente já em casa, fui-me tornando visita habitual e hoje conto com a minha cadeira nessas mesas, onde sou sempre bem recebida. A blogosfera é um meio extraordinário, não há como negá-lo. É um precioso instrumento de auto-análise, uma terapia, uma distracção, uma prodigiosa fonte de aquisição de conhecimentos, tão extensos e aprofundados quanto o queiramos, um estimulante ginásio para os neurónios e, last but not the least, uma curiosa forma de descobrir e explorar afinidades várias.

Há que não perder de vista algumas regras de ouro, se quisermos ter um convívio agradável e civilizado: respeitar o anonimato de quem não quer expôr-se (a não ser que o use para fins menos nobres, e nesse caso o desprezo é a única resposta); não abusar da confiança de quem mostra a cara, nem deduzir dessa atitude um convite a uma intimidade maior do que a que nos é proposta; não interferir com grupos ou indivíduos que não querem ser invadidos, impondo a nossa presença quando ela não é desejada; não ultrapassar barreiras de convivência, a não ser de comum acordo e em casos especiais. Mas todas estas regras são, afinal de contas, aplicáveis ao universo do convívio, dentro e fora da blogosfera. Regras básicas de educação, simplesmente.

Durante este primeiro ano, reencontrei velhos amigos (com quem, de outra forma, talvez não tivesse voltado a cruzar-me), e fiz novos amigos, indubitavelmente. Alguns deles já conheci pessoalmente, entretanto, confirmando assim as afinidades que nos fizeram dar esse passo. Outros, provavelmente, nunca conhecerei ao vivo, por razões várias, o que não faz com que deixe de considerá-los Amigos de pleno direito. E a percepção dessa nova dimensão de amizade, devo-a a este fascinante meio de comunicação.

Por tudo isto e muito mais, este ano foi iniciático. Não me arrependo das horas que o blog me roubou a outras actividades, porque aprendi muito com esta experiência. Falando por números (e tendo em conta que não são mais do que isso mesmo) o Porta do Vento registou quase 30.000 visitantes, 550 posts e 3724 comentários. Muitos mais, todos eles, do que alguma vez me passou pela cabeça. Acho que posso dizer, com algum orgulho, que "a mesa do fundo" está bem recheada e que a bica não é de má qualidade...

A todos os que me dão a honra de sentar-se a esta mesa, muito obrigada. Tem sido uma tertúlia de valor incalculável.

Sai um champanhe, que hoje é dia de festa!

publicado por Ana Vidal às 02:51
link do post
52 comentários:
De O Réprobo a 30 de Abril de 2008 às 08:02
Ora ainda bem que sou o primeiro a felicitá-La aqui. Querida Ana, não sei como exprimir o meu reconhecimento pela maravilhosa oportunidade de fruí-La, nesta Ventosa e Magnífica «Porta». Ela é bem a de felicidade, nos momentps em que A lemos.
Desajeitadamente deixei o presentinho da ordem no local que sabe. Beijinho de parabéns!
De Ana Vidal a 1 de Maio de 2008 às 01:44
Obrigada, Paulo. Sempre amável e sempre atento. A felicidade desta Ventosa Porta consiste simplesmente em deixar entrar os Amigos. Obrigada também pelo generoso presente lá no Afinidades, e pelo tratamento de luxo do dia de hoje.

Beijinho
De Pitucha a 30 de Abril de 2008 às 08:29
Parabéns e que a mesa continue sempre pronta a acolher-nos. Para nosso bem e deleite.
Beijos
De Ana Vidal a 1 de Maio de 2008 às 01:37
Pitucha, esta mesa é de todos vós. Para uma meia "deleite" ou só um cafezinho...
;)
Beijos
De Once a 30 de Abril de 2008 às 09:04
Querida Ana,

Descobri esta porta há relativamente pouco tempo tendo-me deliciado a abri-la devagar e ler-lhe toda a sensibilidade, humor e poesia que é capaz de nos transmitir nas suas linhas.
Por isso lhe dou os parabéns e lhe desejo que este ano continue em muitos outros *

Quanto ao que aborda como “regra” na blogosfera não posso estar mais de acordo.
Tendo já sito vítima de situações menos, menos, acho que no universo virtual, a coberto de um certo anonimato, a “galhardia” é mais solta e a “valentia” do insulto mais fácil de exprimir.
Pautemo-nos pelo senso que deve regrar toda a nossa vida e pelo respeito que nos merece quem connosco convive .. real ou virtualmente.
Fica um beijo de Parabéns * e um brinde ;)
De Ana Vidal a 1 de Maio de 2008 às 01:35
Querida Once, muito obrigada!
Tive a sorte de não ter ainda passado por situações dessas, e espero que me vá livrando disso. Para mim as regras são bem claras: muita brincadeira mas também muito respeito, sempre. E quem não estiver de acordo escusa de aparecer por cá, blogs é o que não falta por aí...

Um beijinho, venha sempre.
De fugidia a 30 de Abril de 2008 às 09:25
Querida Ana Vidal,
o seu post diz tudo e, mais uma vez, me sinto esmagada pela forma belíssima como escreve.
Muitos parabéns por este ano de blog. Sou visita há relativamente pouco tempo e sinto-me honrada pela forma como me recebeu e pela amizade que me ofereceu neste mundo virtual.
O tempo a navegar pela sua porta (e por outros espaços que igualmente admiro) tem sido uma fonte de aprendizagem mas, sobretudo, um recanto de conforto.
Obrigada.

Hoje sem bonecos, porque os bonecos não têm a profundida das palavras e estas não têm a dos gestos. E o que eu queria mesmo era dar-lhe um beijo enorme.
De Ana Vidal a 1 de Maio de 2008 às 01:29
Querida Fugidia, que palavras tão boas de ouvir! Um recanto de conforto é tudo o qye eu quero que este espaço seja para os meus amigos.

Um beijo grande com palavras dentro, e gestos também. E um boneco!
De júlia a 30 de Abril de 2008 às 09:34


e eu coloco o pé na festa, pois adoro festas :-)

Que por muitos e felizes anos, possamos ouvir o vento, contigo!

um beijo grande

meu
De Ana Vidal a 1 de Maio de 2008 às 01:23
Ora então ponha aqui o seu pézinho, menina Júlia!
E espero que te divirtas sempre nesta festa, e que eu me divirta contigo.

Outro beijo
De psb a 30 de Abril de 2008 às 09:37
Ana
Como sabes, sou um novato nesta coisa dos blogs, com pouco mais de 7 meses de vida, não tendo, portanto, ainda nascido sequer.
Por sorte minha, tropecei acidentalmente na tua Porta através do blog do Arre Burro, despertando uma amizade com uns anitos longos, diria para cima de 35, entretanto adormecida pelas vicissitudes várias da vida de ambos.
Ao longo destes meses, tenho tido o prazer de entrar diariamente por esta Porta, uma vez que se tornou companhia obrigatória, como um vício que nos deleita. Da abrangência dos temas, à facilidade da comunicação, à qualidade da escrita, impregnada de humor, inteligência, acutilância e muita poesia, fizeste deste espaço uma referência blogosférica assinalável, onde cabe de tudo um pouco, dentro de um critério cuidadoso de opções estéticas elevadas.
Hoje, tenho o privilégio de modestamente colaborar contigo com um escrito semanal, respondendo ao desafio do teu convite, que me envaideceu e me dá puro gozo.
Saberás, melhor que ninguém, que esta mesa não de café mas de banquete, está cheia de convivas que se acotovelam para cá estarem e poderem usufruir da tua companhia e da tua amizade.
Um beijo grande de Parabéns.
De Ana Vidal a 1 de Maio de 2008 às 01:21
Pedro, deixas-me encavacada com tantos elogios... O teu contributo não tem nada de modesto, é precioso. Ainda bem que te dá gozo escrever, porque eu gosto muito das tuas crónicas e o convite não foi inocente. E se é um vício, espero que não te inscrevas nos Blogs Anónimos...
Foi muito bom reencontrar-te ao fim de todos estes anos, uma das boas surpresas que os blogs me trouxeram. A mesa estará sempre posta para ti.
Um beijo
De Papoila a 30 de Abril de 2008 às 10:03
Parabéns e obrigada!
Devo ser a mais "novata" e ainda titubiante nestas coisas de blogoesfera mas, tenho que lhe agadecer os momentos que me tem proporcionado com a sua escrita desenvolta e o ir ao encontro dos meus pensamentos sobre as coisas que nos rodeiam.
Mais um obrigada e felicidades para o futuro!
De Ana Vidal a 1 de Maio de 2008 às 01:10
Muito obrigada e apareça sempre, Papoila (...saltitante?).
Novata sou eu também, acredite que 1 ano não é nada na blogosfera.
De Patti a 30 de Abril de 2008 às 11:16
Tchim Tchim!

A muitos anos.
De Ana Vidal a 1 de Maio de 2008 às 01:08
Obrigada, Patti. À nossa!
De Mike a 30 de Abril de 2008 às 11:16
Eu sou um rooky nestas andanças, AV e fiquei espantado e impressionado com a estatística. Mas não é por isso que aqui estou de flute na mão... é que alguém disse que havia champanhe e como a porta está aberta... (risos). Tem sido um prazer. Parabéns Ana.
De Ana Vidal a 1 de Maio de 2008 às 01:08
Não fique, Mike. Estes números não são nada, comparados com os blogs "à séria". Mesmo assim, um dia destes assustei-me quando vi que estavam 28 almas online, a espreitar por esta Porta... até me encolhi...
Chin-chin! Volte sempre.
De MANECAS a 30 de Abril de 2008 às 12:43
Bom eu sempre chego aos sítios onde há festa!!!
Mesmo na vida profissional, naqueles fins de tarde em que se festeja um aniversário, muitas vezes sem o saber, entro numa sala e...pois é... lá tenho de comer a fatia do bolinho e o copinho de espumante...Já me conhecem por estes acasos...
Entrei hoje aqui, confesso que não sou assim tão assíduo , como a tua arte mereceria, mas espero que me possas perdoar...E lá me vejo outra vez já com os dedos sujos do creme (não te preocupes que eu lambo-os discretamente...) a interromper mais uma sala cheia de gente a felicitar-te!!!
Eu vou-me já embora...
Sabes que fiquei muito feliz por te ver rodeada de tanta gente, de te ver sorrir e de te ver feliz por mais esta obra que manténs com tanto desvelo...
É este sentir felicidade, por te ver feliz, que se chama amizade, não é?
Obrigado e um beijinho cheio de carinho e uma amizade imensa!
De Ana Vidal a 1 de Maio de 2008 às 01:01
Acho que a amizade é isso mesmo, Manecas!
E lá acertaste mais uma vez no dia do croquete, hein?
Mas não limpes os dedos à toalha, que a mesa até está limpinha...
Um grande beijo para ti também, lambuzado de creme. Aparece!

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

favoritos

O triunfo dos porcos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil


ver perfil

. 16 seguidores

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds