Quarta-feira, 23 de Abril de 2008

Porto Sentido



Encontrei o milhafre grave e sério, como diz a canção. Todo o dia tiritou à chuva, abandonado pela primavera. Todo o dia entristeceu num cinzento de chumbo, quem sabe o mesmo chumbo que lhe feriu a asa. Mas o rosto de cantaria recebe-me sempre tão bem, mesmo que seja pardacento o timbre e fechado o jeito, que me apetece, em cada regresso a casa, aliviar-lhe o luto e oferecer-lhe um bocadinho da luz da minha gaivota moura.

publicado por Ana Vidal às 01:31
link do post
21 comentários:
De Teresa a 23 de Abril de 2008 às 07:14
Que lindo, lindo texto, Ana! (e que linda, linda imagem para o contar!)
Less is more - na tua contenção há mundos de expressividade e significado. É quando leio coisas assim que me sinto humilde e pequenina. Eu escrevo com correcção, oh, sim, com muita correcção - mas é só isso. Tu ESCREVES. Tens o dom, Deus te abençoe.
Eu, a ter algum dom, é só, provavelmente, o de saber reconhecer o talento quando o encontro, como aqui e em quase tudo o que escreves, e de ficar feliz. Apesar de tudo... é um grande dom, não achas? :)
De Ana Vidal a 23 de Abril de 2008 às 09:51
Obrigada, Teresinha. És uma querida. Limitei-me a apanhar boleia das palavras do Carlos T, que retratou o Porto como se o pintasse. E não sejas modesta, que dons não te faltam...
Beijocas
(La Redgrave em Julho, hein? Que inveja!!)
De Pitucha a 23 de Abril de 2008 às 08:34
Um cinzento muito inspirador.
Gostei muito.
Beijos
De Ana Vidal a 23 de Abril de 2008 às 09:47
Que tu conheces como ninguém... aí em Bruxelas deve estar quase sempre assim. Uma neura, não?
Beijos
De psb a 23 de Abril de 2008 às 09:11
Ana
De facto és uma poeta. Em verso e em prosa. E também boa fotógrafa. O Rui Veloso ficaria orgulhoso, lendo este post, no entrelaçar do teu dia no Porto com a letra da canção.
Um beijo
De Ana Vidal a 23 de Abril de 2008 às 09:46
O seu a seu dono, Pedro: o texto é meu mas a fotografia não é. O Porto estava exactamente assim, escuro e triste, por isso escohi esta fotografia que encontrei na net. Não sei quem é o fotógrafo mas é bom, de facto. E adoro esta canção do Rui Veloso.
Gosto imenso de ir ao Porto, mas acho que se vivesse lá entristeceria também, sem remédio.
Um beijo
De psb a 23 de Abril de 2008 às 11:49
Honesta, como seria de esperar e como sabemos que és. Mas continuas a ser uma boa fotógrafa...
Beijo
De Ana Vidal a 23 de Abril de 2008 às 15:19
E tu continuas a ser muito querido.
Beijinho
De fugidia a 23 de Abril de 2008 às 09:41
Muito bela a fotografia, muito sentidas e belas as palavras.
Gosto muito de a ler.
Beijinho.
De Ana Vidal a 23 de Abril de 2008 às 15:12
Beijinho, Fugidia.
De carla mar a 23 de Abril de 2008 às 10:17
Vim espreitar-te...
Parto encantada... querida Poeta!
Um beijinho, cheio de sol... embrulhado, num sorriso :)
...até já!



De Ana Vidal a 23 de Abril de 2008 às 15:20
Obrigada, Carla. Venha o sol, que bem precisamos dele.
Um beijinho
De cristina ribeiro a 23 de Abril de 2008 às 10:45
Bonito de se ler. E a fotografia transmite bem esse tiritar.
Beijinho
De Ana Vidal a 23 de Abril de 2008 às 15:21
Beijinho, Cristina
De Sofia a 23 de Abril de 2008 às 12:19
UAU !

Olha miúda, este está genial! Adorei mesmo! Já o tinha lido de manhã, mesmo antes do pequeno-almoço, vê lá tu a honra!!! E nada de resmunguices, lá em casa até se estranhou eu ter começado a cantar isto... eu de manhã sou mais um 'milhafre grave e sério' do que outra coisa, mas tu animaste-me!

Beijinhos
De Ana Vidal a 23 de Abril de 2008 às 15:22
Ainda bem, Sofia. Gosto mais de ver-te gaivota!
Beijocas
De O Réprobo a 23 de Abril de 2008 às 20:59
Mas, Querida Ana, está visto que o mau tempo do Porto (do outro, do da cidade) pode ser inspirador! Provas? A fotografia e o Texto, ambos extraordinários.
Correndo o risco de ser apedrejado por Mil e Uma Senhoras, venham intempéries destas!
Beijinho
De Ana Vidal a 23 de Abril de 2008 às 21:15
O Porto (o outro) estava uma verdadeira Avalon, Paulo, e não há nada mais inspirador do que as brumas. Mas eu não queria viver num sítio assim sempre, mesmo que fosse bom para a inspiração...
Beijinho
De tcl a 23 de Abril de 2008 às 22:11
adoro esta canção do Rui Veloso, adoro mesmo.

e que fantástico momento de inspiração o teu! lindo, Ana.
De Ana Vidal a 23 de Abril de 2008 às 22:35
Também adoro, TCL.
De mariav a 24 de Abril de 2008 às 01:57
Linda a música, lindo o teu texto.
Beijo

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

Rosa dos Ventos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds