Terça-feira, 11 de Dezembro de 2007

Humor negro

Como querem que eu respeite a política em Portugal, quando a primeira figura (triste, por sinal...) do maior partido da oposição aproveita a notícia de um crime qualquer para exigir ao primeiro ministro um pedido de desculpas ao povo pela falta de segurança no país???

Será que Menezes acha que faltam motivos SÉRIOS para apontar o dedo ao governo? Será que a demagogia mais básica se aliou de vez ao ridículo? Será que a imaginação e sentido de oportunidade de LFM não chegam a mais do que a esta miséria?

Preocupa-me a prepotência imparável deste governo, mas assusta-me ainda mais a falta de alternativas válidas.

O Bordalo é que os topava bem.
publicado por Ana Vidal às 01:01
link do post
6 comentários:
De av a 12 de Dezembro de 2007 às 10:34
Nem mais. O problema é esse mesmo: falta de caracóis, excesso de avestruzes.
De Falinhas Mansas a 12 de Dezembro de 2007 às 01:44
Naturalmente que estamos mal servidos de alternativas e, acima de tudo, de políticos, profissionais, amadores, biscateiros, o que sejam. Mas é o resultado das táticas dos supostamente bons candidatos, que estão sempre a aguardar o melhor momento para porem a cabeça de fora e confrontarem, legitimamente, esta cegarrega. Não se querem expôr antes de tempo, não vá ficarem queimados. E depois? Com que face ficavam? Como é que poderiam voltar a ser (a não ser) novamente alternativa?
Bolas! Até o caracol faz melhor. Pelo menos, mete os pausinhos ao sol...
De RAA a 11 de Dezembro de 2007 às 23:52
Daria para rir, se não fosse deprimente. Salva(va)m-nos os Bordalos e os Antónios.
De tcl a 11 de Dezembro de 2007 às 23:36
quando os políticos não são mais do que políticos profissionais, só nos restam ais
De Leonor Barros a 11 de Dezembro de 2007 às 23:13
De alternativas não estamos nada bem também.
De Anónimo a 11 de Dezembro de 2007 às 14:45
Assustador o que temos e assustadora a alternativa (podemos chamar-lhe assim?)
Carla

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

Rosa dos Ventos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds